Ver mais

Mudanças no Ethereum staking e os impactos do Shanghai Update

10 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • Alguns conceitos essenciais sobre os upgrades na Blockchain Ethereum.
  • Qual o motivo de tanto alvoroço em torno das retiradas staking? A ansiedade antes do EIP-4895 se tornar realidade.
  • Ethereum Shanghai Update, onde estamos agora? A confusão em torno do nome “Shapella”. Como Shanghai impactará usuários e traders? Esta atualização pode dar ao Ethereum a capacidade de liderar a adoção institucional dos criptoativos?
  • promo

Em setembro de 2022, ocorreu a última “grande” atualização do Blockchain Ethereum, “the Merge“, que mudou o algoritmo de consenso para Proof-of-Stake (PoS).

Agora, todos estão de olho na atualização Shanghai, que está programada para ocorrer na rede principal do Ethereum no começo de abril. A data inicial era março de 2023.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Eis o tema de nosso artigo de hoje: Shanghai, o “novo” upgrade Ethereum.

Mas antes de mergulharmos em nosso tema principal, vamos começar do início.

Alguns conceitos essenciais

1) Quem desenvolve e porque os upgrades Ethereum são necessários?

Muitas equipes diferentes de toda a comunidade estão trabalhando nas várias atualizações do Ethereum.

As atualizações são necessárias porque o Ethereum que usamos hoje precisa oferecer uma melhor experiência aos usuários finais e aos participantes da rede.

2) Qual o principal objetivo de um ‘upgrade’ Ethereum? 

As atualizações do Ethereum têm como objetivo melhorar a escalabilidade, a segurança e a sustentabilidade da rede. O Ethereum passou recentemente por algumas atualizações importantes de segurança e sustentabilidade, e há mais no futuro, especialmente em relação à escalabilidade. 

Dentre os principais upgrades Ethereum, vale a pena saber:

Constantinople em 2019 

Garantiu que a blockchain não travasse antes da proof-of-stake ser implementada. Otimizou o custo do gás de certas ações na EVM. Acrescentou a capacidade de interagir com endereços que ainda não tinham sido criados.

Istambul em 2019

Otimizou o custo do gás de certas ações na EVM. Melhorou a resiliência a ataques de negação de serviço. Tornou as soluções de escalonamento Layer 2 baseadas em SNARKs e STARKs mais eficientes. Possibilitou a interoperabilidade entre Ethereum e Zcash. Permitiu que contratos introduzissem funções mais criativas.

Beacon Chain em 2020 

A Beacon Chain trouxe o staking para o Ethereum e lançou as bases para futuras atualizações. Beacon Chain foi o nome da rede criada para garantir que a lógica da proof-of-Stake fosse sólida e sustentável antes de habilitá-la na rede principal do Ethereum ( Mainnet). The Beacon Chain foi ativada em 2020.

Berlin em 2021

A atualização de Berlim otimizou o custo do gás para certas ações de EVM, e aumentou o suporte para múltiplos tipos de transações.

London em 2021

O upgrade London introduziu o EIP-1559, que reformou o mercado de taxas de transação, juntamente com mudanças na forma como os reembolsos de gás são tratados e no cronograma da Ice Age.

Paris (The Merge) em 2022 

Foi o upgrade Ethereum responsável por fundir a rede principal do Ethereum com a rede proof-of-work “Beacon”. The merge foi ativado em setembro de 2022.

Capella, programada para 2023

A atualização de Capella é a terceira maior atualização para a camada de consenso (Beacon Chain), que permite a retirada de staking. Ela deveria ocorrer no início de março, simultaneamente à atualização de Shanghai. Mas a atualização Shanghai foi postergada para o início de abril. O upgrade também fornece a funcionalidade de varredura automática da conta, que processa continuamente contas validadoras para quaisquer pagamentos de recompensas disponíveis ou saques completos.

Shanghai, programada inicialmente para início de março, e adiada para abril de 2023

“Shanghai” é uma atualização que implementa mudanças na camada de execução da Ethereum, principalmente permitindo que o ETH em stake seja depositado nas carteiras da camada de execução. Ele é um upgrade composto por vários EIPs – Ethereum Improvement Proposal (EIP-4895, EIP-3855, EIP-3860, EIP-3651 e EIP-6049). Ou seja, além das retiradas no contrato de staking, a atualização Shanghai traz outras melhorias, como veremos mais adiante. 

Os EIPs incluídos na atualização de Shanghai serão um bom passo para alcançar o “sharding” mais adiante.

Sharding, previsto entre 2023-2024

Sharding é o upgrade que expandirá a capacidade da blockchain Ethereum de armazenar dados e trabalhará harmoniosamente com as L2s para dimensionar e escalar a rede, bem como reduzir as taxas de rede. A atualização Sharding será implementada em várias etapas, dentre elas o EIP—4844 (Photo-Danksahrding). 

O upgrade Sharding é extremamente importante para melhorar o rendimento das transações, pois a cadeia será capaz de realizar “processamento paralelo”. Espera-se que o sharding upgrade seja implementado em duas etapas em 2023 e 2024. 

Antes de prosseguirmos, uma curiosidade. Dentro do ecossistema Ethereum, as atualizações da camada de execução recebem o nome de cidades que receberam eventos Devcon, enquanto as atualizações da camada de consenso recebem nomes de estrelas.

Qual é o motivo de tanto alvoroço em torno da liberação do ETH em staking? Entenda o EIP-4895.

1) Quando surgiu o mercado de staking? 

O The Merge mudou o mecanismo de consenso do Ethereum, de prova de trabalho para prova de participação

O novo mecanismo de consenso da Ethereum (PoS) se baseia em um processo chamado “staking”, onde os detentores de tokens ether (ETH) tiveram que empenhar pelo menos 32 ETH para participar do mecanismo de consenso. 

Em troca, eles obtém uma renda passiva (staking yield) que atualmente é um pouco mais de 5%. 

Os tokens “ether” (ETH) empenhados (staked) estão bloqueados há cerca de dois anos – isto é, desde que o mercado de ETH staking surgiu.

Por isso, uma das melhorias da atualização Shanghai mais esperadas pela comunidade Ethereum é a liberação do ether em staking, que se dará com o EIP-4895. 

EIP-4895 é uma melhoria na blockchain Ethereum que permitirá que os validadores saquem seus 32 ETH do contrato “de participação“ (staking contract).

2) Rede Beacon e a migração do staking para a Mainnet

O staking (aposta) aconteceu na rede Beacon, criada para a transição da rede principal do Ethereum para o PoS.

Nesse passo, para que o saque do ether em staking seja executado na Mainnet atual, é necessária a implementação do EIP-4895 que, uma vez executado, permitirá que validadores transfiram as retiradas da rede Beacon para a EVM, ou Máquina Virtual Ethereum.

3) A ansiedade antes do EIP-4895 se tornar uma realidade

Antes da implementação do the Merge, foi acordado que os Stakers poderiam retirar sua participação em uma questão de 6 e 12 meses.

Mas em novembro de 2022, uma nova previsão apontou 2024 como prazo mais razoável para a retirada.

Este novo prazo acabou gerando muita reclamação e “choro”, o que levou a Ethereum Foundation e os desenvolvedores do Core do Ethereum a colocarem o EIP-4895 como prioridade. 

O EIP-4895 é de longe o mais esperado, pois aproxima a Ethereum de um sistema totalmente funcional de Prova-de-Participação (PoS). Mas antes disso acontecer, era necessário a implementação do hardfork “Shapella” na rede teste Goerli, que ocorreu na última terça-feira (14/3). 

O que é Shapella? A confusão em torno do nome do próximo upgrade Ethereum

Os desenvolvedores do Ethereum passaram a se referir ao hardfork da blockchain Ethereum – aqui, uma atualização chave – como “Shapella”.

Isto tem confundido traders, analistas e executivos da indústria que chamam o hardfork esperado para o próximo mês como “Shanghai.

Qual o nome correto afinal?

O protocolo Ethereum é composto por duas camadas: a camada de execução e a camada de consenso.

Na próxima atualização Ethereum, a camada de execução será submetida à atualização Shanghai, enquanto na camada de consenso é conhecida como “Capella”. 

Eis o porquê os desenvolvedores se referem inteligentemente a tudo isso como “Shapella” (Shanghai + Capella). 

O upgrade Shapella combina mudanças na camada de execução (Shanghai) e na camada de consenso (Capella). 

Sua implementação na rede de testes Goerli é a última chance de garantir que o hard fork  Shanghai possa ocorrer sem problemas quando ocorrer na rede principal.

No dia 14 de março, o hardfork Shapella foi executado na rede de testes Goerli. 

Agora, a previsão é que no dia 12 de abril, a mainnet do Ethereum realize a atualização para o upgrade Shapella – como preferem alguns – ou Shanghai – como preferem outros. Tecnicamente, não é errado referir-se ao próximo upgrade como Shanghai

Ethereum Shanghai-Capella upgrade.  Onde estamos agora?

Conhecida como “Shanghai”, esse novo upgrade Ethereum é importante, porque permitirá a divisão da infraestrutura da blockchain Ethereum em partes menores, com o objetivo de dimensionar a plataforma para que ela possa suportar muito mais usuários do que atualmente.

No entanto, diante de uma atualização dessa grandeza, os desenvolvedores Ethereum precisam garantir que não haja margem para erros. Qualquer falha durante a atualização pode resultar em atrasos e perdas maciças. 

Bem por isso, a implementação do upgrade Shanghai deve ocorrer em etapas. 

1) As três redes de teste que antecederam o Shanghai update.

Antes da atualização Shanghai entrar totalmente em funcionamento, os desenvolvedores Ethereum buscam possíveis falhas usando 3 testnets: Zhejiang, Sepolia e Goerli. 

Para os não familiarizados, testnets são redes duplicadas que funcionam paralelamente à rede principal. Estas redes duplicadas permitem aos desenvolvedores e usuários testar atualizações e aplicações em um ambiente de baixa participação antes de entrar em funcionamento.

Zhejiang 

Esta é a primeira testnet das três que entrou em cena em 1º de fevereiro. Este foi um teste público e possibilitou simulações pelos usuários  do processo de retirada de ETH staking.

Dentre outras coisas, a testnet  Zhejiang tinha dois propósitos principais:  

Primeiro, permitir que os desenvolvedores do Ethereum monitorem a retirada simulada em massa do token ETH.  Com isto,  é possível descobrir e ajustar problemas potenciais para um desempenho ideal dos sistemas quando a atualização  for realmente ativada. 

Segundo, fornecer plataformas de “staking “(como Lido, Coinbase, dentre outras), para verificar como elas coletariam, exibiriam e usariam as informações de retirada. 

Em resumo, através da Testnet Zhejiang , os usuários puderam depositar ETH (ether)  a partir de 1º de fevereiro e retirá-las uma semana depois, em 7 de fevereiro.

Sepolia

Em 28 de fevereiro, “Sepolia testnet foi atualizada com sucesso”, disse um dos principais desenvolvedores do Ethereum, terence.eth. “Próxima parada”: Goerli”, acrescentou ele.

Os testes nesta segunda rede paralela à rede principal foram semelhantes com a Zhejiang, só que este teste foi privado. Isto é, apenas os desenvolvedores do Ethereum Core receberam autorização a executar validadores neste testnet.

 Goerli

Goerli é o testnet final antes da atualização em Shanghai. Assim como Zhejiang, o Goerli é um teste público e proporciona aos desenvolvedores uma última oportunidade de corrigir quaisquer problemas antes da tão esperada atualização de Shanghai.

É também o maior testnet e o mais próximo da verdadeira cadeia principal. O intervalo entre Zhejiang e Sepolia era de 3 semanas. Se os desenvolvedores seguirem o mesmo intervalo antes de Goerli, o teste final pode ocorrer por volta de 21 de março.

Neste quadro, as estimativas para o lançamento real da atualização Shanghai está previsto para abril deste ano.

Implicações do hardfork Shanghai para os usuários 

EIP-3855 e EIP-3860

A blockchain Ethereum entrou em funcionamento em 30 de julho de 2015 e, ao longo do tempo, passou a enfrentar transações lentas e altas taxas de transação.

Principalmente após a explosão das finanças descentralizadas (DeFi Summer), vimos um aumento de valor nas taxas de transação bloqueadas na rede (TVL, Transactions Value Locked).

Com o aumento do interesse por tokens não fungíveis (NFTs) e o boom dos NFTs, vieram também as altas taxas de gás e a péssima experiência aos usuários.

Quanto às taxas de gás, para se ter uma idéia, a mintagem do “The Otherside” do Yuga Labs foi um desses eventos em que as taxas de gás estavam super altas – algo em torno de 2,5 ETH por NFT. Não à toa, Ethereum acabou rotulado por alguns como a “rede dos ricos”.  

Com relação à experiência dos usuários (UX), já há algum tempo Ethereum não é um modelo nesse quesito. Sua rede não estava projetada para suportar seu rápido crescimento. 

Como resultado, muitos projetos migraram para outras blockchains, tais como Solana ou soluções de escalabilidade de camada 2 do Ethereum como Polygon.

Por isso, também fazem parte da atualização Shanghai os EIPs 3855 e 3860.

O EIP-3855 deve ajudar na velocidade das transações, e o EIP-3860 espera reduzir os custos de transação, o que deve ajudar a melhorar o uso de DeFi e NFTs na rede, e tornar a blockchain Ethereum mais atraente.

Assim, um staking mais flexível com melhor desempenho tornará Ethereum amigável aos usuários, inclusive atraindo novos participantes, o que pode ampliar o efeito de rede e fomentar a rede no longo prazo.

Como a atualização Shanghai afeta traders?

Quanto aos traders, a maioria das atualizações blockchain tem um impacto nos preços e com a atualização Shanghai, não poderia ser diferente.

O volume de “ether” nas corretoras já começou a cair à medida que os investidores transferirem seus ativos para a autocustódia – o que é recomendável antes de qualquer atualização blockchain.

A atualização anterior do Ethereum provocou uma boa volatilidade no mercado, o que beneficiou muitos traders. 

Com volume de ETH nas exchanges caindo rapidamente, os traders podem se beneficiar com mais um pico nos preços do ETH provocado pela atualização Shanghai.

Para se ter uma ideia, os preços do ether (ETH) dispararam de cerca de US$1.000 em julho e chegaram a mais US$2.000 em agosto do ano passado, estabilizando em aproximadamente US $1.650 após o the Ethereum Merge, segundo dados do Coingenko

O outro fator importante, como já comentado, é que quem possui ETH staked bloqueado por mais de dois anos, agora poderá sacá-lo logo após a atualização “Shapella”.

Com mais de 16,4 milhões de “ether” (ETH) em staking, se parte disso chegar ao mercado, aumentará a oferta de Ether e, consequentemente, teremos uma diminuição nos preços logo após a atualização Shanghai se consumar. 

Como Shanghai afeta investidores?

Os investidores costumam olhar um ativo com uma visão mais a longo prazo, e a se concentrarem mais nos fundamentos e nos indicadores técnicos dos ativos – ao invés dos preços. 

Logo, a tendência é que investidores vejam a atualização Shanghai positivamente, dado que melhora os fundamentos da blockchain Ethereum, assim como aconteceu com “the Merge” no ano passado.

Pensamentos finais

The Merge mudou o mecanismo de consenso para PoS, ajustando-se à  tendência mundial ESG, o que acabou trazendo mais capital institucional para o Ethereum e, também, para o ecossistema cripto mais amplo.

Some-se a isto, a capacidade de investidores institucionais de participar do ETH staking, e obter um rendimento fixo

Além disso, a capacidade dos investidores institucionais de participar do stake e ganhar um rendimento fixo, assemelha-se a instrumentos financeiros nos mercados de capitais. 

Com os fundamentos do Ethereum melhorando através do the Merge, da atualização Shanghai e o upgrade Sharding em 2024, é provável que tanto investidores varejistas quanto institucionais queiram fazer parte da história de crescimento do ecossistema Ethereum.

Neste contexto, você acha que Ethereum tem a capacidade de liderar a adoção institucional dos criptoativos? 

Percebeu como Shanghai vem complementar outros upgrades Ethereum, em um cenário mais amplo que busca levar a blockchain Ethereum ao mainstream?

Conhecimento é poder!! Nos vemos em breve! 

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

image_from_ios-1.jpg
Tatiana Revoredo
Tatiana Revoredo é membro fundadora da Oxford Blockchain Foundation. LinkedIn Top Voice em Inovação e Tecnologia. Estrategista Blockchain pela Saïd Business School, University of Oxford. Especialista em Blockchain Business Applications pelo MIT. Especialista em Artificial Intelligence & Business Strategy pelo MIT Sloan & MIT CSAIL. Especialista em Cyber-Risk Mitigation pela Harvard University. Convidada pelo Parlamento Europeu para a “The Intercontinental Blockchain Conference”....
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados