Protocolos de staking no Ethereum geram suspeitas de centralização

Atualizado por Júlia V. Kurtz
EM RESUMO
  • As plataformas de staking líquidas podem ter um controle semelhante ao de um cartel.
  • Lido já possui um terço de todo o ETH depositado em staking em sua plataforma.
  • stETH caiu 5% em relação ao preço do ETH.
  • promo

    Análises técnicas e insights do mercado por traders em nosso canal do Telegram!Entre hoje no nosso Telegram!

Preocupações de centralização em relação aos protocolos de staking do Ethereum (ETH) foram levantadas após um desses protocolos sendo desvinculado.

Os principais protocolos de staking, como o Lido, estão se tornando uma preocupação crescente devido a quantidade de ETH depositada neles.

O Lido oferece staking líquido que permite aos usuários depositar menos do que os 32 ETH necessários para executar um nó completo na Beacon Chain. Ele também fornece um token de staking equivalente (stETH) que pode ser usado em outros protocolos DeFi para rendimentos adicionais.

No fechamento desta matéria, o Lido tinha 4,2 milhões de ETH em staking, o que representa cerca de um terço de todo o valor depositado na camada de consenso Ethereum (anteriormente conhecida como ETH 2.0).

Centralização de staking no Ethereum

O desenvolvedor do Core Ethereum, Danny Ryan, levantou preocupações sobre o domínio do Lido em staking. Um ataque centralizado na rede pode acontecer após a mudança para a prova de participação (PoS) se a maior parte do poder de participação estiver muito concentrada, alertou ele em um artigo recente.

Ryan alertou que podem ocorrer problemas se um protocolo de staking de líquidos exceder os limites críticos de consenso, como 1/3, 1/2 e 2/3.

“O derivativo de staking pode obter lucros enormes em comparação com o capital não agrupado devido à extração coordenada de MEV, manipulação de tempo de bloco e/ou censura – a cartelização do espaço de bloco.”

Se isso ocorrer, os usuários ficam desencorajados a apostar em outros lugares “devido às recompensas descomuns do cartel”, acrescentou ele. Ryan recomendou que o Lido e produtos de staking de líquidos semelhantes “se autolimitem por si mesmos”, e os alocadores de capital reconheçam os riscos de agrupamento inerentes aos projetos de protocolo.

O Lido é um pouco centralizado já tendo recebido grande financiamento no início deste ano de gigantes de capital de risco cripto, incluindo Andreessen Horowitz.

Desvinculação do stETH

Lido tem outros problemas no momento além de qualquer potencial “cartelização” da indústria de staking do Ethereum. Seu token stETH foi desvinculado do ativo subjacente após a enorme liquidação de fim de semana vista na segunda maior criptomoeda do mundo.

O ETH caiu para US$ 1.363, após uma perda de 10% nas últimas 12 horas. No entanto, o stETH, que deveria ter o mesmo preço, estava sendo negociado a US$ 1.294, 5% abaixo de sua indexação, de acordo com o CoinGecko.

A plataforma de empréstimos Celsius pode ser a causa raiz, pois possui um grande estoque de stETH. Nesta segunda-feira (13), a plataforma começou a enviar milhões de dólares em criptomoedas (principalmente WBTC e ETH) para a exchange FTX sem explicação, enquanto suspendia saques de seus usuários, provocando protestos da comunidade cripto.

Se a Celsius liquidar suas participações de stETH, o token de staking pode cair ainda mais em relação ao preço do Ethereum, exacerbando as preocupações já veiculadas.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
BEINNEWS ACADEMY LTD © STREET: SUITE 1701 – 02A, 17/F, 625 KING’S ROAD, NORTH POINT. HONG KONG.