Ver mais

Helium DAO: o Airbnb das redes de telecomunicações

11 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • Como transformar uma rede IoT em uma DAO onde qualquer tipo de rede de telecomunicações pode ser facilmente implantada?
  • Como se dá a transição de uma plataforma monolíticos para uma estrutura modular blockchain?
  • Qual o papel dos subDAOs neste processo? Como esta migração para uma organização Autônoma Descentralizada afetará o preço do token HNT?
  • promo

    A noção de “construí-la e eles virão” há muito tempo tem sido uma falácia entre as estrelas tradicionais até que o ecossistema blockchain entrou em cena.

    Por isso, no artigo de hoje vamos explorar a transformação da rede IoT de telecomunicações “Helium” em uma DAO (Organização Autônoma Descentralizada).

    • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
    • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
    • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

    Mas antes de aprofundarmos no tema, vamos entender a arquitetura e o projeto econômico da rede Helium, que pretende ser o futuro do Mobile e do Wireless.

    O Helium e seu projeto ambicioso 

    O Hellium é um sistema econômico para a construção de redes distribuídas sem fio., que possui uma meta ambiciosa:

    Construir uma rede sem fio global, confiável e onipresente, que seja de propriedade e operada por seus usuários.

    A Helium Inc. – a empresa que desenvolve a rede Helium e a apelidou de “People ‘s Network”(a Rede do Povo).

    O apelido vem do projeto da rede Helium que combina incentivos criptoeconômicos e um mercado para conectar dispositivos de Internet das coisas (IoT) com largura de banda acessível. 

    A Helium pretende se tornar “a Airbnb das empresas de telecomunicações”, permitindo que qualquer pessoa possa contribuir para fornecer conectividade sem permissão e com baixa largura de banda para dispositivos IoT (ou seja, relógios inteligentes, scooters elétricos, sensores médicos, etc.).

    O estado atual da rede Helium

    Atualmente, a rede está operacional e oferece soluções do mundo real para usuários finais e empresas com um custo até 100x mais barato do que as redes legadas de telecomunicações como AT&T e Verizon

    Em apenas 18 meses, a Helium construiu uma rede funcional de mais de 73.000 ‘Hotspots’ sem fio – os nós da blockchain Helium, que também servem como estações base sem fio para uma rede IoT – em mais de 3.800 cidades ao redor do mundo.

    Isso faz da Helium a maior LoRaWAN do mundo – um protocolo de transferência de dados de baixa potência e baixa largura de banda – em uma rede que está apenas começando, com uma forte probabilidade de uma rede de 600.000 até o final de 2022.

    O objetivo da rede Helium e a barreira para escalar o projeto inicial

    A Helium começou a construir seu lado da oferta antes de se concentrar em seu lado da demanda. Ela planejou crescer o suficiente para atrair usuários, coordenando primeiro a atividade global através da “incentivos criptoeconômicos”. 

    E com esses incentivos, a sua rede LoRaWAN IoT saltou de 15.000 hotspots ativos em janeiro de 2021 para mais de 787.000 atualmente, com cerca de 3,5 milhões de hotspots

    Em seguida, a Helium celebrou várias parcerias de rede com empresas de IOT e lançou numerosos produtos  construídos sobre a rede de IOT, incluindo aplicações na agricultura, logística da cadeia de fornecimento e monitoramento ambiental.

    E o objetivo da Helium é replicar o sucesso da rede IoT descentralizada em várias outras redes de telecomunicações, incluindo 5G, WiFi, VPN, e CDN. 

    Contudo, a equipe central da Nova Labs (anteriormente Helium Inc.) e a comunidade da Fundação Helium (anteriormente Decentralized Wireless Aliance), que enxergam o futuro do Wireless como “Open”(aberto), perceberam que a arquitetura original e o projeto econômico da rede não foram construídos adequadamente para escalar em numerosas redes de telecomunicação. 

    A necessidade da transição da arquitetura e do projeto econômico inicial 

    Para que a Helium pudesse ir além de uma rede LoRaWAN e escalar, a construção e o modelo econômico da rede precisariam mudar. 

    Deste modo, a transição da arquitetura da rede de uma blockchain monolítica para uma estrutura modular blockchain permitiria que qualquer tipo de rede de telecomunicações fosse lançada na Helium. 

    E tal transformaria essencialmente a Helium em uma rede de redes de telecomunicações. 

    Como?

    O Helium DAO

    Há pouco mais de um ano, o 5G tornou-se a segunda rede sem fio a ser suportada pela Rede Helium. 

    A comunidade e a equipe da FreedomFi (a rede 5G da Helium) têm trabalhado constantemente na forma como suas implementações técnicas funcionarão. Em março deste ano, por exemplo, a FreedomFi arrecadou US$ 9,5 milhões para escalar sua rede descentralizada com Helium e reduzir o preço de hardware para portas de entrada 5G. 

    Essa rodada de financiamento contou a a parceria do braço de capital de risco da Samsung Next, junto com Qualcomm Ventures e Blueyard Capital. 

    Aqui, importante destacar que o principal desafio tem sido determinar como a rede irá coexistir com a rede LoRaWAN existente da Helium. 

    Desde que o Helium foi originalmente projetado para suportar uma rede, foram necessárias várias mudanças no protocolo para a nova rede 5G. 

    Nesse passo, ao invés de modificar o protocolo para acomodar especificamente a rede 5G, a equipe propôs reestruturar a construção técnica e econômica da Helium a fim de agilizar o processo de adição de novas redes no futuro. 

    Como resultado, a equipe central em parceria com a Multicoin Capital propôs um novo projeto de rede e economia, delineado pela Proposta de Melhoria# 51. 

    A Improvement Proposal da Helium DAO (HIP 51)

    A HIP 51, que está em elaboração de janeiro deste ano, traz duas propostas. 

    1. A Rede Helium existente deveria se tornar uma Camada 1, conhecida como HeliumDAO. 
    2. Cada Protocolo de Rede Descentralizada (DNP), como LaRaWAN, 5G e WiFi, deveria se tornar uma rede independente Oracle (semelhante a uma Camada-2), referida como uma subDAO. 

    Geralmente, um SubDAO é um protocolo DAO multicanal que ajuda a gerenciar ativos digitais através de múltiplas assinaturas, votação e outros recursos descentralizados. SubDAO tem o compromisso de fornecer uma ferramenta DAO geral e amplamente aplicável no campo de gestão de capital de risco e ativos digitais.

    Note que o HIP 51 ainda é um trabalho em andamento e está sujeito a mudanças. Veja aqui um diagrama da construção do HeliumDAO.

    Sob esta nova estrutura de rede, cada subDAO teria seu próprio Token de Rede Descentralizada (conhecido como DNT) – HNT atualmente serve como DNT do Helium. 

    Cada DNT serviria como a principal unidade econômica e de governança da subrede, possibilitando a cada protocolo gerenciar suas regras de PoC, preços de transferência de dados e recompensas para mineradores. 

    A mudança na arquitetura da rede transformaria a Helium Layer 1 (Camada 1) em uma camada de infraestrutura sobre a qual os subDAOs poderiam implantar suas redes personalizadas.

    A proposta HIP-51 tem como objetivo resolver os seguintes problemas:

    • Escalabilidade da blockchain: A atual estrutura monolítica da blockchain que a Rede Helium usa não seria capaz de escalar com a adição de numerosos protocolos de subrede.
    • Alinhamento de Incentivos da Subrede: A atual estrutura de governança seria ineficiente com múltiplos DNPs. Cada mudança específica de uma subrede teria que passar pelo processo de governança mais amplo da rede Helium.

    Para resolver o problema de escalabilidade da blockchain, o mecanismo de PdC e transferência de dados, assim como outros itens específicos d token DNT (Decentralized Network Token), seriam migrados para a subDAO. 

    Assim, a Rede Helium seria capaz de escalar e minimizar o inchaço de seu status e o custo de transação na Camada 1. 

    Já para resolver o problema de alinhamento de incentivos da subrede, o mecanismo de governança também seria transferido para o subDAO, melhorando a eficiência do processo de governança. 

    Como cada subrede teria seu próprio token, os detentores de DNT seriam capazes de governar a si mesmos, de modo que, por exemplo, apenas os participantes da rede 5G teriam uma decisão sobre a governança da rede 5G.

    Os benefícios na reestruturação da arquitetura da rede Helium

    São inúmeros os benefícios dessa mudança.

    Aumento da resiliência 

    Se houver um problema em uma rede, as outras redes podem continuar a operar sem serem afetadas.

    Aumento da Eficiência

    Várias equipes de desenvolvedores poderiam trabalhar em paralelo na construção da Rede Helium.

    Mais Parcerias

    Uma grande empresa de telecomunicações poderia lançar sua própria subrede, o que lhes daria mais controle e a capacidade de governar a si mesmos.

    Contudo, essa reestruturação da Rede descentralizada IoT para uma Organização Autônoma Descentralizada (DAO) ainda gera algumas questões

    As preocupações com a transição para uma estrutura modular em blockchain

     O projeto da Camada 1 da Helium continua sendo uma preocupação. Há inúmeras opções que a comunidade e os principais dispositivos estão discutindo:

    1. A Camada 1 continua sendo uma única blockchain (Helium).
    2. A Camada 1 é migrada para uma Camada 1 monolítica existente como Cardano ou Ethereum como um contrato inteligente.
    3. A Camada 1 é migrada para uma plataforma personalizável semelhante ao Cosmos SDK, ou Substrato, onde sua própria implementação pode ser executada.

    A blockchain da Rede Helium é escrita em Erlang, que é uma linguagem de codificação incomum com um número limitado de desenvolvedores que podem contribuir para o protocolo. A migração da Layer-1 para um protocolo que utiliza uma linguagem mais comumente conhecida como a Rust (por exemplo, Polkadot, Elrond, NEAR, and Zcash) poderia aumentar a atividade do desenvolvedor.

    Enquanto cada opção de Camada 1 tem seu próprio conjunto de “tradeoffs”, os Layer-1s existentes oferecem muito valor porque já possuem ferramentas de construção e ecossistemas. 

    O problema de ser uma Camada 1 única é que tudo é lento em relação à adoção de tokens. Por exemplo, não há wallets, a menos que o próprio projeto a construa, os swaps levam meses para serem implementados, etc.

    Na situação atual, o HIP-51 especifica que todas as contas, atividades de transação e qualquer atividade relacionada à Rede Helium, incluindo a governança e emissões da HNT, permanecerão na Camada 1. Se a Camada 1 for movida para uma blockchain monolítica existente, não haverá necessidade de nenhum validador na camada base. Nesse caso, os validadores da rede atual precisam se mover para uma subDAO ou retirar seus tokens.

    Vejamos, então, um pouco mais sobre o papel das SubDAOs nesta transição para o Helium DAO, que é onde realmente toda a magia acontece. 

    SubDAOs

    O HIP 51 especifica que todos os subDAOs devem operar Oráculos para sua rede. 

    Os Oráculos devem incluir software que calculará um DNP (Protocolo de Rede Descentralizada) do minerador e recompensas de transferência de dados, bem como distribuir DNT aos interessados em DNP (mineradores, stackers, etc.). 

    Um grupo de consenso dentro do Oráculo validará transações e pedidos antes de destinar um bloco para a Camada 1. 

    Os oráculos são chamados para fazer staking na DNT e são recompensados com recompensas inflacionárias, especificadas pela DNP. Cada hotspot/minerador em uma rede específica irá extrair o DNT específico dessa rede, que será a única maneira de criar o token. 

    HIP 51 declara que a motivação por trás de cada subDAO ter seu próprio DNT é dar “controle total sobre os parâmetros de emissão de DNT, incluindo cronogramas de emissão de tokens, taxas de inflação, esculturas de bônus e distribuições das partes interessadas (hotspots, oráculos, etc.)”.

    1 – Como se dá o processo de transferência de dados, PoC e Oraculo para uma subDAO DNP e sua interação com a Rede Helium?

    Segundo este diagrama, para aderir à Rede Helium, cada subDAO deve passar por um processo mais amplo de governança do Helium. 

    Sua proposta deve incluir a configuração inicial do subDAO, com detalhes sobre a curva de emissões, curva de criação de mercado DNT de reserva de Tesouraria, especificação do Oráculo, transferência de dados e mecanismo de PoC, e estrutura de governança. 

    Daí, existem dois PPHs atualmente em discussão que propõem a estrutura inicial de implementação para o subDAO LoRaWAN (PPH 52 e o subDAO 5G (PPH53).

    2 – O Novo Mecanismo de Governança

    A HIP 51 também propõe um novo mecanismo de governança que introduz um modelo de governança com ponderação de votos para a HNT (veHNT). 

    Tal modelo é muito semelhante ao mecanismo de governança do Curve e é explicado em um nível mais profundo aqui

    Com a adição de subDAOs, o veHNT se tornará o ativo de governança global para o DAO Helium. 

    Ele será usado para votar as propostas do Helium DAO e para adicionar novos subDAOs à Rede Helium. Ele também pode ser delegado a um subDAO específico, que melhorará o valor do token da subrede. 

    Então, os usuários que apostarem seu veHNT em qualquer subDAO serão recompensados com um valor fixo de 6% das emissões de DNT. 

    Além disso, os subDAOs podem usar um mecanismo similar ao veHNT para governar sua rede, exceto com seu próprio veHNT, que é o que o subDAO LoRaWAN está fazendo. 

    3 – As Mudanças na estrutura econômica

    Atualmente, a emissão de recompensas HNT para transferências de dados é definida para um valor máximo, onde a HNT não utilizada naquele lote é reatribuída para recompensas de PoC. 

    A HIP 51 propõe dividir o lote de recompensa de PoC entre DNPs com base em uma fórmula que levaria em conta o número de “Créditos de Dados” queimados das transferências de dados, o número de dispositivos ativos em uma rede e a quantidade de veHNT apostada em um subDAO.

    Esta fórmula também permite que futuros subDAOs sejam adicionados a Helium sem ter que redesenhar a divisão de recompensas. 

    Cada subDAO deve ter uma reserva de tesouraria que será usada para resgatar seu DNT para HNT. 

    A HNT recebida por cada DNP de acordo com seu DAO Utility Score iria para a reserva de tesouraria da DNP. A HNT na reserva de tesouraria seria então usada especificamente para fornecer liquidez no lado da compra para os detentores de DNT. 

    Então, as ofertas contínuas de DNT da tesouraria criariam um preço mínimo para cada DNT dependendo da quantidade de HNT nas reservas e da circulação pendente da DNT.

    Um exemplo fornecido no HIP 51 mostra bem como este mecanismo funciona: “Se um subDAO de DNP tem 10B DNT pendentes e 50M HNT em sua tesouraria, ele deve usar esses 50M HNT para fornecer uma oferta para DNT. A subDAO forneceria uma oferta de 0,005 HNT por DNT”.

    Perspectivas de valorização do token HNT 

    Neste momento, a maioria das pessoas está se perguntando se ainda é uma boa idéia “comprar ou segurar” o token HNT

    A nova arquitetura de rede e os novos modelos econômicos foram projetados com a intenção de manter a acumulação de valor e o volante em torno da HNT.  

    Com as novas mudanças propostas, a HNT se tornaria o ativo de reserva das subrede e continuaria a ser o principal ativo econômico. Embora os tokens da subrede provavelmente sejam negociados em mercados secundários, o mercado primário estará disponível através dos resgates de tesouraria da subDAO HNT.

    Nesse passo, o que pode contribuir diretamente para a valorização do token HNT no longo prazo é o modelo de token de equilíbrio “burn-and-mint“. 

    Como todas as transferências de dados na Rede Helium são pagas usando Créditos de Dados, toda a atividade de transferência de dados nas diversas subredes continuará a queimar HNT, diminuindo a oferta. 

    Logo, à medida que mais subredes se juntam à Rede Helium para transferir dados, mais valor será direcionado para a HNT.

    Contudo, há riscos como vimos nas recentes quedas recentes no preço do token.

    Isto porque, uma das principais razões para o sucesso da rede de Internet sem fio da Helium foi a “simplicidade” com que os usuários não-cripto-nativos compreenderam o funcionamento do token. 

    Depois que um hotspot era devidamente configurado, os usuários só tinham que baixar uma hot wallet e criar uma conta em uma exchange para poder vender suas recompensas HNT. 

    Contudo, após essa transição para o HeliumDAO, a Rede se tornará muito mais complexa. E os usuários terão que lidar com vários tokens.

    Será preciso lidar com a complexidade econômica entre a DNT e a HNT, e a navegação entre o HeliumDAO e os subDAOs. Mas uma UI/UX bem desenhada pode melhorar a experiencia do usuário, e abstrair a maior parte dessa complexidade.

    Observações finais

    Alinhar os incentivos econômicos entre as partes interessadas existentes na HNT e as novas partes interessadas na DNT será um desafio. 

    E muito embora o HIP 51 tenha trazido grandes atualizações e melhorias ao longo deste ano, ainda há algumas questões em aberto relacionadas a como será o processo de migração, e como fornecer uma melhor visão sobre qual tipo de estrutura de Layer-1 é mais adequada para a arquitetura de rede proposta. 

    Outro aspecto importante é quanto tempo esta atualização levará, e como a comunidade principal reagirá a ela.

    As mudanças propostas à arquitetura e ao modelo econômico da Rede Helium são realmente mudanças substanciais ao protocolo. 

    No entanto, apesar da complexidade da transição para o HeliumDAO, que talvez exijam colaboração também das operadoras de serviços já operantes no ecossistema anterior, as mudanças são críticas para que a rede supere a barreira de escalabilidade de uma rede LaRaWAN.

    E você, acha que as mudanças necessárias para a transformação de uma rede descentralizada de IoT para uma DAO poderiam solidificar a Rede Helium como uma solução padrão para implantar facilmente qualquer tipo de rede de telecomunicações distribuídas no futuro?

    Conhecimento é poder!! Nos vemos em breve!

    Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
    Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
    Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

    Trusted

    Isenção de responsabilidade

    Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

    image_from_ios-1.jpg
    Tatiana Revoredo
    Tatiana Revoredo é membro fundadora da Oxford Blockchain Foundation. LinkedIn Top Voice em Inovação e Tecnologia. Estrategista Blockchain pela Saïd Business School, University of Oxford. Especialista em Blockchain Business Applications pelo MIT. Especialista em Artificial Intelligence & Business Strategy pelo MIT Sloan & MIT CSAIL. Especialista em Cyber-Risk Mitigation pela Harvard University. Convidada pelo Parlamento Europeu para a “The Intercontinental Blockchain Conference”....
    READ FULL BIO
    Patrocinados
    Patrocinados