Ver mais

Ronin revela grupo responsável pelo hack e data de reabertura de sua rede

2 mins
Atualizado por Anderson Mendes

EM RESUMO

  • Em novo comunicado, a Ronin Network confirmou o grupo responsável por invadir a sua rede.
  • Organização criminosa é vinculada à Coreia do Norte, país que tem se tornado um problema para a segurança do mundo cripto.
  • Ronin divulgou o prazo para a reabertura de sua rede.
  • promo

Em novo anúncio, a Ronin Network confirmou que o “The Lazarus Group” foi o responsável pela invasão de sua rede, conseguindo roubar cerca de US$ 620 milhões em criptomoedas no final de março.

O grupo, vinculado à Coreia do Norte, já havia sido apontado pelo FBI como autor daquele que é considerado o maior hack da história do setor de finanças descentralizadas (DeFi) no dia 14 de abril.

Em novo comunicado, a equipe responsável pela sidechain do Axie Infinity confirmou a autoria do ataque, realizado no dia 23 de março. Nele, o grupo Lazarus é definido como uma organização “extremamente engenhosa e sofisticada”, conhecida pelo seu histórico de ataques envolvendo empresas e protocolos da indústria cripto.

De fato, a Coreia do Norte tem se tornado um grande problema neste sentido. Estima-se que grupos vinculados ao ditador Kim Jong-un já tenham roubado cerca de US$ 2 bilhões em criptomoedas, que são utilizadas para financiar o programa de mísseis do país.

Além disso, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) está processando desenvolvedores do Ethereum (ETH) por supostamente apresentarem para membros do governo norte-coreano formas de contornar as sanções econômicas impostas pelos EUA.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Ronin anuncia mudanças e data de reabertura

Visando fortalecer o sistema de segurança da sua rede, a Ronin firmou parcerias com empresas especializadas em segurança cripto, incluindo o CrowdStrike e a Polaris Infosec.

Além disso, foi divulgado que a Sky Mavis, empresa responsável por todo o ecossistema do Axie Inifinity, aumentou o número de nós de validação da sidechain de nove para onze. Nos próximos meses, a rede pretende operar com 21 nós, “com o objetivo de longo prazo de ter mais de 100”.

O comunicado ainda destaca que a equipe responsável pela Ronin trabalhará com procedimentos internos de segurança mais rígidos, visto que foi descoberto que o grupo Lazarus conseguiu explorar a rede ao comprometer um de seus funcionários – que foi demitido após essa descoberta.

Por fim, foi divulgado que a reabertura da Ronin deve ocorrer no final de maio. A Sky Mavis comentou que pretendia fazer essa reabertura ainda neste mês, mas decidiu aumentar o prazo para garantir a segurança da rede.

“Inicialmente, esperávamos poder implantar a atualização até o final de abril, mas esse não é um processo que podemos nos dar ao luxo de apressar. A ponte garantirá bilhões de dólares em ativos e precisa ser bem feita. Se tudo correr como planejado, a ponte será reaberta em meados/final de maio.”

Após o ataque, diversas críticas foram feitas em relação ao ecossistema do Axie Infinity, colocando em cheque a reputação de todo o segmento play-to-earn (P2E). Apesar disso, a Sky Mavis trabalha em formas de reembolsar os usuários que tiveram seus fundos perdidos, contando ainda com a ajuda da Binance em financiamento e no suporte para saques e depósitos de wETH e USDC para os usuários do jogo.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados