Mais de 50% dos latino-americanos fizeram pagamentos com criptomoedas, diz pesquisa

Atualizado por Júlia V. Kurtz
EM RESUMO
  • Pesquisa revela ampla aceitação de métodos de pagamentos emergentes.
  • Os entrevistados se mostraram otimistas com os ativos digitais como ferramenta de investimentos.
  • A instabilidade econômica dos países da região facilita a adoção dos ativos digitais.
  • promo

    Análises técnicas e insights do mercado por traders em nosso canal do Telegram!Entre hoje no nosso Telegram!

Uma pesquisa da Mastercard revelou que os consumidores latino-americanos estão procurando mais serviços relacionados a criptomoedas e pagamentos digitais.

O estudo, chamado “New Payments Index 2022”, foi publicado na quarta-feira (22) e avaliou o comportamento dos consumidores em relação aos métodos de pagamento emergentes. Em sua segunda edição, ele apontou que 51% dos consumidores da região realizaram uma transação com criptoativos, destes, ao menos um terço diz pagar uma compra ao dia com stablecoin.

Gráfico da pesquisa Mastercard 2022. 50% dos latino-americanos fizeram pagamentos com criptos
Fonte: Mastercard

A evolução dos pagamentos digitais, que foi impulsionada durante a pandemia, tem se consolidado e expandido principalmente em países de moedas mais instáveis como os países latino-americanos.

Enquanto 77% dos norte-americanos e 74% dos europeus preferem métodos de pagamento tradicionais aos mais novos, cerca de 86% dos latino-americanos utilizaram um método de pagamento emergente no ano passado, e se mostram mais dispostos a usar conhecer e usar novos métodos como biometria, moedas digitais e código QR – além de contactless.

  • Ficou com alguma dúvida? O Be[in]Crypto possui uma série de artigos para lhe ajudar a entender o universo cripto. Confira!
  • Se quiser ficar atualizado no que acontece de mais importante no espaço cripto, junte-se ao nosso grupo no Telegram!

O vice-presidente executivo de produtos e engenharia da Mastercard América Latina e Caribe, Walter Pimenta, disse, em comunicado:

“Cada vez mais os latino-americanos estão recorrendo à tecnologia para realizar suas transações financeiras, e espera-se que essa tendência continue aumentando, com 95% planejando usar um método de pagamento digital no próximo ano e 29% reconhecendo ter usado menos dinheiro no ano passado”.

A pesquisa foi realizada entre março e abril deste ano e os dados foram coletados de 35.000 pessoas entrevistadas em todo o mundo.

Investimentos e inovações financeiras

O estudo também mensurou as expectativas em relação às inovações financeiras como ferramentas de investimentos. O uso de instrumentos de inovação financeira como criptomoedas, finanças descentralizadas (DeFi), tokens não fungíveis (NFTs) e blockchain registra uma atividade significativa na região, por consequência, gerando maior interesse dos consumidores em aprender mais sobre esse ecossistema.

Gráfico da pesquisa “New Payments Index 2022” da Mastercard
Fonte: Mastercard

54% dos latino-americanos estão otimistas com o desempenho dos ativos digitais como ferramentas de investimentos. Dois terços querem maior flexibilidade para alternar formas de pagamento entre criptos e métodos tradicionais em seus gastos diários. Porém o acesso ainda tem um peso importante na decisão dos consumidores.

A Mastercard descobriu que o apoio das instituições financeiras às criptomoedas pode aumentar a confiança dos consumidores: 69% dos entrevistados se sentiriam mais confiantes em investir, e 67% se sentiriam à vontade para fazer ou receber pagamentos em criptomoedas se “fossem emitidas ou apoiadas por uma organização confiável”. 82% reconhecem que gostariam de ter funções relacionadas a criptomoedas disponíveis diretamente de sua instituição financeira atual.

“Os latino-americanos estão demonstrando cada vez mais interesse em criptomoedas e querem soluções que facilitem o acesso ao mundo cripto. Estamos projetando essas soluções para ampliar a inclusão digital e fortalecer alianças que garantam operacionalidade e suporte”, destacou Pimenta.

Adoção de criptomoedas na América Latina

A instabilidade das moedas estatais e os altos índices de inflação levaram os consumidores a optar pelas criptomoedas como forma de preservar o poder de compra. A adoção do Bitcoin como moeda de curso legal por El Salvador no ano passado, colocou os países da região atentos ao desenvolvimento e às formas que os países podem se beneficiar das vantagens do setor.

No mês passado as autoridades monetárias de Paraguai, Haiti, Equador e Honduras se reuniram, com autoridades de outros 40 países, em El Salvador a convite do Presidente Nayib Bukele para debater as vantagens da adoção de Bitcoin e a nova economia digital.

O movimento constante de crescimento da adoção cripto levou as empresas gradativamente a se adaptarem para aceitar pagamentos com os ativos digitais. Em países como Colômbia, Costa Rica, Panamá, Argentina, Brasil e Chile, empresas do setor imobiliário já permitem que compras e aluguel de casas em Bitcoin e outras criptomoedas.

Em abril, o aplicativo de entrega Rappi, com operações em nove países da América Latina, fez parceria com Bitpay e Bitso para implementar um piloto de pagamento de ativos digitais no México como um primeiro teste para adoção de pagamentos de criptomoedas.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
BEINNEWS ACADEMY LTD © STREET: SUITE 1701 – 02A, 17/F, 625 KING’S ROAD, NORTH POINT. HONG KONG.