Consórcio Drex: TecBan faz primeiras transações com solução de privacidade

2 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

Transferências realizadas pelo grupo que reúne 11 empresas no projeto-piloto da moeda digital do Banco Central do Brasil foram realizadas com sucesso.

A Tecban que lidera o consórcio formado com outras 10 instituições (Banco da Amazonia, Pinbank Brasil, Dinamo, Banco Arbi, Ntokens, ClearSale, Foxbit Servicos, CPQD, AWS e Parfin), realizou, nesta quinta-feira, 14, as primeiras transações simuladas utilizando o Zether, uma das soluções de privacidade escolhida pelo Banco Central do Brasil (BCB) para testes.

O gerente de plataformas digitais da TecBan, Luiz Fernando Lopes, afirmou que os testes são responsáveis por proporcionar aprendizado para as instituições participantes para aprimorar a segurança, a experiência e a integração entre as tecnologias e plataformas.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

“O início desta fase é uma grande conquista para todo o ecossistema envolvido no desenvolvimento do Drex. Termos alcançado esse resultado dentro do calendário previsto pelo Banco Central nos gera ótimas expectativas e é um indicativo de que estamos no caminho certo. A privacidade é uma das preocupações centrais do piloto e nós acabamos de testemunhar a sua concretização”, celebrou Luiz Fernando.

Esta fase representa um novo estágio no piloto, ocorrendo após a criação e transferência de ativos e fluxos de liquidação, juntamente com a exposição dos dados das transações. A partir desse momento, as informações passam por um processo de anonimização, garantindo que os dados sensíveis de uma transação realizada entre o Banco A e o Banco B sejam visíveis exclusivamente para essas instituições, sem acesso por parte de terceiros.

Essa salvaguarda da privacidade é crucial para a continuidade do DREX, uma vez que a transição para o ambiente produtivo depende da presença funcional de uma solução de dados anonimizados. 

Ainda segundo Luiz Fernando Lopes, outro ponto importante é comparar o tempo de cada transação feita com e sem a solução de privacidade, capacidade de processamento entre outros, garantindo que o ambiente se mantenha escalável mesmo com a solução de privacidade, portanto ainda há muito o que ser feito, visto que ainda serão validadas outras duas soluções de privacidade além do Zether.

O consórcio Drex liderado pela TecBan foi o primeiro a realizar emissão do DREX entre instituições financeiras no mês passado. A simulação, testou as operações interbancárias do Banco Arbi entre as instituições Bradesco, ABC, Inter e Itaú.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

aline.jpg
Aline Fernandes
Aline Fernandes atua há 20 anos como jornalista. Especializada nas editorias de economia, agronegócio e internacional trabalha na BeINCrypto como editora do site brasileiro. Já passou por diversas redações e emissoras do país, incluindo canais setorizados como Globo News, Bloomberg News, Canal Rural, Canal do Boi, SBT, Record e Rádio Estadão/ESPM. Atuou também como correspondente internacional em Nova York e foi setorista de economia dentro do pregão da BM&F Bovespa, hoje B3 -...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados