Coinbase se une a BlackRock para oferecer negociação de Bitcoin a clientes institucionais

Atualizado por Aline Fernandes
EM RESUMO
  • A parceria irá integrar as plataformas de gerenciamento das empresas.
  • A BlackRock gerencia atualmente US$ 10 trilhões em ativos.
  • As ações da Coinbase saltaram 35% no momento do anúncio.
  • promo

    Comece agora a ganhar até 8% anuais com o novo programa de Staking da Stormgain!Entre hoje no nosso Telegram!

A Coinbase anunciou na quinta-feira, 4, a parceria com a BlackRock, a maior gestora de ativos do mundo, para facilitar o acesso a criptomoedas aos clientes institucionais. As ações da Coinbase subiram 15% após o anúncio da parceria.

Inicialmente os investidores poderão gerenciar e negociar apenas Bitcoin através da Aladdin, plataforma de gerenciamento de investimentos de ponta a ponta da BlackRock, que será integrada à Coinbase Prime.

“A Coinbase Prime fornecerá recursos de negociação de criptomoedas, custódia, corretagem principal e relatórios para a base de clientes institucionais da Aladdin, que também são clientes da Coinbase”, diz o comunicado. Atualmente a BlackRock gerencia US$ 10 trilhões em ativos.

A parceria ocorre em um momento delicado para a Coinbase que, apesar de estar entre as 10 maiores exchanges do mundo, teve de demitir 18% de sua equipe nos últimos meses. As ações da empresa saltaram 35% no momento do anúncio e encerraram o dia com um aumento de 15%.

Interesse crescente entre os institucionais

O colapso do ecossistema Terra (LUNA) e do fundo de hedge Three Arrows Capital levantaram questões sobre a resiliência do mercado cripto, porém o movimento da BlackRock denota a vontade dos players mais tradicionais de Wall Street em se expor a esse mercado.

O analista da Oppenheimer & Co., Owen Lau, comentou à Bloomberg que os riscos regulatórios são gerenciáveis pois “o Bitcoin tem um status regulatório mais claro em Washington” e que a parceria é “uma validação do futuro do blockchain e dos ativos digitais e também uma validação da reputação da Coinbase”.

“É uma grande vantagem para a indústria e também para a Coinbase.”, disse Lau.

Em comunicado, o chefe global de parcerias estratégicas de ecossistemas da BlackRock, Joseph Chalom, declarou: “Nossos clientes institucionais estão cada vez mais interessados ​​em ganhar exposição aos mercados de ativos digitais e estão focados em como gerenciar com eficiência o ciclo de vida operacional desses ativos”.

Em maio a Coinbase divulgou que no primeiro trimestre, cerca de três quartos de seu volume total de negociações foram movimentados por investidores institucionais.

“Essa conectividade com o Aladdin permitirá que os clientes gerenciem suas exposições em bitcoin diretamente em seus fluxos de trabalho de gerenciamento e negociação de portfólio existentes para uma visão completa do risco em todas as classes de ativos”, acrescentou Chalom.

A BlackRock encara a parceria como mais um passo em sua estratégia de expansão para ativos digitais. Em abril a empresa se juntou a um grupo de investidores da Circle Internet Financial, emissora da USDC, para atuar como gerente principal das reservas de caixa da stablecoin.

O mais recente relatório da CoinShares destaca uma forte entrada de produtos de ativos digitais no mês de julho, significando um aumento no investimento em criptomoedas por parte dos investidores institucionais.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.