Ver mais

Analista explica por que a adoção do Bitcoin diminuiu

3 mins
Atualizado por Thiago Barboza

EM RESUMO

  • Especialista explica que a adoção lenta do Bitcoin se deve ao fato do crescimento da rede estar aquém dos ganhos de preço.
  • Ele comparou as curvas de crescimento do Bitcoin com os avanços históricos, mostrando um ciclo único de alta e baixa.
  • Especialistas como Peter Brandt e Ki Young Ju fornecem insights sobre a evolução do uso e do interesse institucional do Bitcoin.
  • promo

O Diretor de Macro Global da Fidelity Investments, Jurrien Timmer, explica a recente desaceleração na adoção do Bitcoin.

Embora reconheça que o Bitcoin é um “ouro exponencial” e uma possível reserva de valor, Timmer destaca a divergência entre a desaceleração do crescimento da rede do Bitcoin e seus movimentos de preço.

Crescimento da rede vs. ganhos de preço

Timmer enfatizou que o preço do Bitcoin é impulsionado principalmente pelo crescimento de sua rede, influenciado por sua escassez, políticas monetárias e fiscais e sentimento do mercado. Apesar dos ganhos de preço do Bitcoin, o crescimento de sua rede diminuiu. Assim, essa dinâmica criou uma divergência que pode explicar a recente desaceleração na adoção.

Em seus tweets, Timmer ilustrou como as curvas de crescimento do Bitcoin e do Ethereum refletem os avanços tecnológicos históricos. Ele observou que a rede do Bitcoin, representada pelo número de endereços diferentes de zero, seguiu uma curva de potência, com o preço oscilando em torno dela. Ele acrescentou ainda que esse ciclo de alta e baixa é exclusivo do Bitcoin.

Leia mais: Baleias estão de olho nestas criptomoedas para junho de 2024

Curva de adoção de BTC e ETH.
Curva de adoção de BTC e ETH. Fonte: X/TimmerFidelity

“Na minha opinião, essa divergência entre preço e adoção pode explicar por que o Bitcoin desacelerou um pouco em seu caminho para possíveis novos topos históricos. O pêndulo só pode oscilar até certo ponto. Para que as novas altas continuem, a rede pode ter que acelerar novamente. Isso poderia ser impulsionado pelo próximo capítulo da tese da dominância fiscal (ou seja, subordinação monetária)?” escreveu Timmer.

O trader veterano Peter Brandt respondeu aos insights de Timmer destacando a diminuição dos ganhos em cada ciclo do mercado de alta. Brandt sugeriu que, se o padrão continuar, o avanço atual pode estar chegando ao fim.

“Isso faz sentido, dada a natureza assintótica da curva de potência e o caminho da descoberta de preços em direção a um ativo maduro”, respondeu Timmer à perspectiva de Brandt.

Por que a circulação lenta do Bitcoin pode não ser uma coisa ruim

Ki Young Ju, fundador e CEO da plataforma de análise on-chain CryptoQuant, também ofereceu insights. Ju apontou que a velocidade de circulação do Bitcoin atingiu seu ponto mais baixo desde 2013. No entanto, ele acredita que a velocidade atingirá seu pico algum dia, quando o BTC for amplamente utilizado para pagamentos.

Ele argumentou que, embora o Bitcoin tenha sido inicialmente concebido como “Dinheiro Eletrônico P2P”, ele evoluiu para “Ouro Digital”, com instituições mantendo-o sem transações frequentes. Essa mudança no uso significa que as métricas tradicionais de adoção do Bitcoin podem não ser mais tão relevantes.

“Com o aumento das carteiras de custódia, como os ETFs, os fundos estão concentrados em poucas carteiras. Para avaliar a curva de adoção com precisão, separar coortes para transações de Bitcoin como pagamentos ou usar op_code para medir o uso de aplicativos pode ser mais eficaz”, observou Ju.

Leia mais: Previsão de preço do Bitcoin para 2024 / 2025 / 2030

Velocidade do Bitcoin.
A velocidade do Bitcoin. Fonte: X/ki_young_ju

As perspectivas de Ju se alinham com as tendências mais amplas de interesse institucional em investimentos em Bitcoin. Por exemplo, a fintech canadense DeFi Technologies anunciou recentemente que adotou o Bitcoin como reserva de tesouraria da empresa, com uma compra inicial de 110 BTC.

Da mesma forma, desde abril, a empresa de investimentos japonesa Metaplanet adotou o Bitcoin como seu “principal ativo de reserva de tesouraria”. Em 11 de junho, a empresa anunciou que havia adquirido mais 23,35 BTC para seu balanço patrimonial, elevando suas participações em Bitcoin para 141,07 BTC.

De fato, as percepções dos especialistas e a tendência atual dos investidores institucionais esclareceram a divergência entre o preço do Bitcoin e o crescimento de sua rede. No entanto, as mudanças no uso do Bitcoin e o crescente interesse das instituições indicam que sua história está longe de terminar.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Thiago-Barboza-red1.png
Thiago Barboza
Thiago Barboza é graduado em Comunicação com ênfase em escritas criativas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Em 2019 conheceu as criptomoedas e blockchain, mas foi em 2020 que decidiu imergir nesse universo e utilizar seu conhecimento acadêmico para ajudar a difundir e conscientizar sobre a importância desta tecnologia disruptiva.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados