Ver mais

Worldcoin (WLD) sobe 14% com lançamento no Equador e volta ao Quênia

3 mins
Atualizado por Thiago Barboza

EM RESUMO

  • A Worldcoin lançará verificações de orb no Equador a partir de 26 de junho.
  • Ao mesmo tempo, recebeu autorização para retomar as operações no Quênia.
  • No entanto, a Worldcoin ainda enfrenta investigações em andamento em outros países.
  • promo

Worldcoin, projeto cripto co-fundado por Sam Altman da OpenAI, está expandindo seu alcance ao introduzir suas verificações de orbe World ID no Equador.

Essa medida é um passo significativo, pois o projeto também se prepara para retomar as operações no Quênia após uma suspensão de um ano devido a preocupações regulatórias no leste da África.

Worldcoin ganha impulso com lançamento no Equador e volta ao Quênia

A partir de 26 de junho, a Worldcoin oferecerá verificações de orb em seis locais em Guayaquil e Quito. Assim, a iniciativa permite que equatorianos com 18 anos ou mais se juntem aos 5,7 milhões de participantes da rede Worldcoin.

O lançamento no Equador ocorre em meio ao crescente apoio global às tecnologias que verificam a identidade humana on-line. Pesquisas recentes conduzidas pela Tools for Humanity (TFH), uma colaboradora da Worldcoin, mostram, por exemplo, um forte apoio a essas tecnologias.

No Equador, a maioria dos entrevistados apoia soluções baseadas em tecnologia para distinguir humanos de bots on-line. Essa descoberta está alinhada principalmente com o objetivo da Worldcoin de abordar o problema crescente de bots e fraudes on-line.

Planos de expansão da Worldcoin além do Equador

A expansão da Worldcoin no Equador também coincide com os planos de crescimento na Argentina, que visam tornar a Argentina seu centro na América Latina. Esse esforço inclui principalmente investimentos substanciais e a criação de oportunidades profissionais para pelo menos 50 desenvolvedores qualificados, especialistas em operações, engenheiros de software e analistas de dados.

Em um desenvolvimento paralelo, a Worldcoin recebeu autorização para retomar suas operações de escaneamento de íris no Quênia. A mídia local informou que a Diretoria de Investigações Criminais (DCI) emitiu uma carta em 14 de junho, encerrando assim a investigação que interrompeu as atividades da Worldcoin há quase um ano.

O arquivo da investigação foi encaminhado ao Gabinete do Diretor de Promotoria Pública para uma análise e aconselhamento independentes. Após a análise do arquivo, o Diretor do Ministério Público concordou e determinou que o “arquivo fosse encerrado sem nenhuma outra ação policial”, informou.

Ainda assim, o DCI enfatizou a necessidade de a Worldcoin registrar seus negócios e adquirir as licenças necessárias. Além disso, enfatizou a importância da plataforma verificar seus fornecedores para dar continuidade às operações.

O Quênia foi um dos países iniciais do esquema de escaneamento da íris da Worldcoin, que visava criar um sistema de identidade e criptomoeda. No entanto, as operações foram suspensas logo após o lançamento devido a preocupações regulatórias sobre a proteção de dados e a legalidade de seus serviços.

A suspensão levou a uma investigação parlamentar que recomendou o encerramento das operações da Worldcoin. A investigação citou violações da proteção de dados e da lei de proteção ao consumidor, além de preocupações com espionagem e segurança do Estado. Os investigadores descobriram também que a Worldcoin e suas afiliadas não eram empresas registradas no Quênia e não tinham aprovação para seu hardware orbe.

Após liberação no Quênia, empresa enfrenta escrutínio em outros países europeus

O diretor jurídico da TFH, Thomas Scott, expressou sua gratidão pela investigação justa. Ele também reiterou o compromisso da empresa em trabalhar com o governo do Quênia. Além disso, ele enfatizou que o encerramento da investigação marca um novo começo para a Worldcoin no Quênia.

“Continuaremos trabalhando com o governo do Quênia e outros e esperamos retomar o registro da World ID em todo o país em breve. Hoje, temos o prazer de voltar nosso foco para o avanço da missão da Worldcoin: criar oportunidades para que as pessoas no Quênia e em outros lugares participem da economia global”, disse ele.

No entanto, a Worldcoin e a TFH ainda enfrentam investigações em outros países, incluindo Espanha e Alemanha.Vale lembrar que uma pesquisa da própria empresa mostrou que quase 90% dos portadores de World ID da Espanha apoiam o retorno de seus serviços.

Desempenho do preço da WLD.
Desempenho do preço da WLD. Fonte: BeInCrypto

Desenvolvimentos recentes fizeram com que o token nativo da Worldcoin, WLD, experimentasse um aumento de 14,44% no valor, subindo de US$ 2,77 para US$ 3,17. No entanto, no momento em que este artigo foi escrito, o preço do WLD recuou para US$ 2,97.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

aline.jpg
Aline Fernandes
Aline Fernandes atua há 20 anos como jornalista. Especializada nas editorias de economia, agronegócio e internacional trabalha na BeINCrypto como editora do site brasileiro. Já passou por diversas redações e emissoras do país, incluindo canais setorizados como Globo News, Bloomberg News, Canal Rural, Canal do Boi, SBT, Record e Rádio Estadão/ESPM. Atuou também como correspondente internacional em Nova York e foi setorista de economia dentro do pregão da BM&F Bovespa, hoje B3 -...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados