Ver mais

Twitter limita views e Jack Dorsey recomenda uso de Bitcoin e Nostr

2 mins
Por Oluwapelumi Adejumo
Traduzido Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • O ex-CEO do Twitter, Jack Dorsey, aconselhou o microblog a "considerar a construção de protocolos abertos verdadeiramente resistentes à censura, como Bitcoin e Nostr".
  • O proprietário do Twitter, Elon Musk, impôs um limite de visualização devido a problemas de "scrapping de dados e manipulação do sistema".
  • Alternativas descentralizadas como Damus estão cortejando os usuários do Twitter, instando-os a migrar para suas plataformas.
  • promo

O cofundador do Twitter, Jack Dorsey, aconselhou a rede social a criar protocolos descentralizados e resistentes à censura, como Bitcoin e Nostr.

Dorsey disse isso após a decisão do CEO Elon Musk de limitar o número de postagens que os usuários podem ver por dia.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

Dorsey promove Bitcoin

De acordo com Jack Dorsey, comandar o Twitter é difícil para qualquer pessoa. “Acho que a equipe dá o seu melhor dentro dos constrangimentos que tem, que são imensos. É fácil criticar as decisões de longe”, acrescentou.

O ex-CEO do Twitter acrescentou que os protocolos descentralizados poderiam aliviar o fardo de comandar a plataforma. Isso seria bom para todos e ajudaria a preservar a internet aberta.

Por outro lado, esta não é a primeira vez que Dorsey aconselha pessoas a construir na rede Bitcoin. Em junho, o bilionário prometeu US$ 5 milhões à Brink para financiar desenvolvedores que constroem o ecossistema.

Limite de visualização no Twitter

No dia 1º de julho, Elon Musk impôs um limite ao número de tuítes que os usuários do Twitter podem ver por dia. Ele disse que isso era uma medida temporária para “lidar com os níveis extremos de extração de dados e manipulação do sistema”.

Com a nova regra, as contas verificadas poderiam ler 6.000 postagens por dia, enquanto as contas não verificadas podiam ler 600. Já novas contas não verificadas seriam limitadas a 300 tuítes por dia. No entanto, as limitações foram ampliadas após diversas críticas.

Alguns usuários da plataforma acreditam que o movimento foi projetado para aumentar o número de assinantes do Twitter Blue. Outros usuários também atribuíram a decisão à suposta falha da empresa em pagar o Google Cloud e a Amazon Web Services (AWS) por seus serviços em nuvem.

Enquanto isso, a mudança faz parte de uma das inúmeras que Musk impôs à plataforma desde sua aquisição, em 2022.

Usuários migram para alternativas descentralizadas

Após a notícia, a comunidade cripto do Twitter decidiu migrar para alternativas descentralizadas do Twitter, como o Damus.

A rede social descentralizada disse que não poderia impor limites de taxa no nostr porque os usuários sempre podem se conectar a relays. Ela acrescentou que o protocolo “nostr dá a você a liberdade de escolha, não há tomada de decisão centralizada aqui”.

Enquanto isso, Edward Snowden também aconselhou os usuários a migrarem para o Damus. Conforme ele:

“É um bom dia para checar o #nostr novamente, já que alguém quebrou o Twitter. É um protocolo, não uma plataforma, então você pode usar qualquer aplicativo ou apenas um navegador da web”.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora do BeInCrypto Brasil, a jornalista é especializada em dados e participa ativamente da comunidade de Criptoativos, Web3 e NFTs. Formada pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui mais de 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia, tendo passado por veículos como Globo, Gazeta do Povo e UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados