Ver mais

SEC pede mais prazo para avaliar ETF de Bitcoin

2 mins
Por Bary Rahma
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • A SEC atrasou a resposta ao ETF de Bitcoin da Ark 21Shares em meio a preocupações de manipulação de mercado.
  • A CEO da Ark Invest, Cathie Wood, espera que a SEC aprove vários pedidos de ETF simultaneamente.
  • Scott Farnin, da Better Markets, alerta sobre as vulnerabilidades do Bitcoin e seu potencial uso indevido em ETFs.
  • promo

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) adiou sua resposta referente ao fundo negociado em bolsa (ETF) de Bitcoin da Ark 21Shares.

Essa ação faz parte de uma tendência mais ampla, já que o órgão regulador está atualmente examinando mais de uma dúzia de pedidos de ETF de Bitcoin, incluindo solicitações de grandes gestoras como a BlackRock e Fidelity.

Leia mais: As 10 criptomoedas para investir em janeiro de 2024

SEC adia decisão sobre o ETF de Bitcoin

Ark Investment Management e 21Shares inicialmente abordaram a SEC para a aprovação de ETF em 2021. Sua busca por sanção encontrou um obstáculo quando a agência recusou sua segunda tentativa no início deste ano.

Tradicionalmente, a hesitação da SEC decorre de preocupações sobre uma potencial manipulação de mercado e falta de proteção robusta do consumidor contra atividades ilícitas.

Uma aprovação bem-sucedida pode revolucionar o mercado de criptomoedas, pois capacitaria uma parcela maior da população geral de investidores a negociar Bitcoin. Isso seria alcançável sem a necessidade de possuir o ativo subjacente diretamente.

Cathie Wood, CEO da Ark Invest, antecipou o atraso. Ela revelou sua expectativa de que a SEC aprove vários pedidos de ETF de uma só vez.

“Como a maioria deles será essencialmente o mesmo, tudo se resume ao marketing, à comunicação, à mensagem”, expressou Wood.

Por outro lado, Scott Farnin, consultor jurídico da Better Markets, expressou fortes reservas. Antes da recente decisão da SEC, Farnin declarou que os acordos de compartilhamento de vigilância nas propostas eram insuficientes.

Farnin destacou que o Bitcoin é propenso a manipulação, observando que os volumes de negociação são inflados, concentrado e fortemente depende de indivíduos e grupos selecionados. Ele enfatizou que esses atributos tornam os ETFs à excepcionalmente suscetíveis ao uso indevido, levando a riscos desnecessários para os investidores.

“Os principais beneficiários da euforia das criptomoedas são os criminosos que a utilizam para facilitar ransomware, lavagem de dinheiro e conduta ilegal de todos os tipos. É dentro desse contexto que a SEC deve avaliar a última onda de pedidos de ETF de Bitcoin neste mês”, disse Farnin.

Farnin aconselhou fortemente a SEC a considerar as vulnerabilidades inerentes do Bitcoin e permanecer consistente em sua rejeição. Segundo ele, os ETFs referente a criptomoeda não atendem aos requisitos estatutários.

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Formado em Administração de Empresas pela Universidade Positivo, Anderson atua como redator para o BeInCrypto há 2 anos. Escreve sobre as principais notícias do mercado de criptomoedas e economia em geral. Antes de entrar para a equipe brasileira do site, participou de projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto em sua cidade natal, Curitiba.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados