NFTs crescem em preços e popularidade

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Os NFTs continuam a ganhar atenção e popularidade à medida que este mercado cresce e se expande.

  • Contudo. as altas taxas de redee os altos preços costumam dar a impressão de que esses itens são apenas para os ricos.

  • Conforme o metaverso é construído, torna-se importante que ele permaneça acessível a todos.

  • promo

    NFTs estão ao vivo na Bybit! Compre já e ganhe até 20.000 USDT! Entrar agora!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Os NFTs se consolidaram como uma parte fundamental do mundo cripto. Esses ativos estão por toda parte, sendo negociados geralmente a preços incrivelmente altos.

Todo ser humano pode ser capaz de participar do metaverso. No entanto, ao analisar o cenário de NFTs atual, parece que apenas aqueles mais privilegiados financeiramente serão capazes de entrar neste meio, cuja popularidade cresceu em 2021.

  • Ficou com alguma dúvida? O BeInCrypto possui uma série de artigos para lhe ajudar a entender o universo cripto. Confira!
  • Se quiser ficar atualizado no que acontece de mais importante no espaço cripto, junte-se ao nosso grupo no Telegram!

De vendas recordes de tokens não fungíveis (NFTs) pfps caros (fotos de perfil para aqueles que não vivem exclusivamente no Twitter) a marcas de luxo que se instalam no espaço, os itens parecem ter precedência sobre a acessibilidade.

Criadores de NFT preocupados com capitalização excessiva

Em maio de 2014, os artistas Kevin McCoy e Anil Dash conceituaram o que ficou conhecido como NFTs. Eles queriam uma nova tecnologia que pudesse proteger o trabalho dos artistas integrando a blockchain como um meio de reivindicar a propriedade de seu trabalho digital para evitar cópias não autorizadas.

Como brincadeira, eles chamaram os tokens de gráficos monetizados. A ideia não era muito popular e teve pouca ou nenhuma tração nos anos subsequentes.

Para Dash, o atual mercado multimilionário de NFTs é impressionante. Em uma entrevista para o The Atlantic, ele discute como a explosão deste meio mudou o interesse outrora da arte para o ativo em si.

“Preços fantásticos agora estão sendo pagos por obras de arte que, há apenas alguns meses, seriam meras curiosidades”, disse Anil Dash.

Ele explica que quem está comprando as obras as está coletando pelo valor do investimento. Como tal, a apreciação pela obra de arte em si não é o que está causando essas compras milionárias.

Embora isso seja benéfico para colecionadores e artistas, também levou a uma concentração de ativos digitais escandalosamente caros. Eles parecem fora do alcance de um colecionador de arte novato, uma vez que uma coleção específica explode on-line.

Escassez, avaliação, popularidade

Algumas razões para esses preços incríveis e NFTs são a escassez introduzida por limites simbólicos, a falta de valorização e a popularidade de certas comunidades artísticas.

“Ninguém sabe realmente como definir o preço da arte NFT. Mas, como todos os tipos de arte, ela precisa ser especial, revolucionária, influenciada as emoções do público ou difícil de criar em certas circunstâncias”, disse Jindrich Karasek, um artista único de NFT e pesquisador de ameaças cibernéticas da Trend Micro.

A falta de avaliação é justa. Atualmente, os artistas definem o preço de suas obras de arte em plataformas. Se for definido como um lance, isso pode elevar o preço exponencialmente apenas com base na popularidade.

Existem alguns que estão tentando trazer valor credenciado para o espaço. Por exemplo, a Upshot tem como objetivo lançar uma plataforma que faça crowdsourcing de avaliações de especialistas para ajudar a conectar verdadeiramente os valores aos NFTs.

Nem todos são artistas consagrados

No entanto, embora sejam as vendas no nível de Beeple que cheguem às manchetes, a comunidade artística NFT é ampla. São essas vendas de grandes nomes que chamam a atenção, mas também ofuscam o trabalho que está acontecendo no espaço por artistas menores.

“Eu conheço muitos artistas maravilhosos com arte de baixo preço”, disse Daniella Attfield, a criptoartista líder do projeto GrailNFT. Ela explicou por experiência própria que, na verdade, nem sempre se trata de dinheiro.

“Além disso, a maioria dos colecionadores com quem me envolvi compram arte diretamente porque a amam e não para obter lucro. A mentalidade deles parece ser: ‘Esta é uma peça que considero linda. Se valer mais tarde, então, isso é maravilhoso, mas se não valer, também está tudo bem. É uma obra de arte que eu ficaria feliz em manter, e eu não teria comprado de outra forma”, diz ela.

Barreiras para entrar

Embora haja interesse, os aspirantes a artistas NFT também precisam enfrentar outras barreiras para entrar neste ramo. Especificamente, altas taxas de rede. Infelizmente, essas taxas abrem um buraco em seus ganhos sempre que uma transação é feita.

“No momento, com as taxas de rede tão altas, acho que isso é definitivamente uma negatividade afetando a comunidade. Especialmente se eles estão apenas começando e ainda não têm grandes quantidades de Ethereum”, diz Attfield.

“Acho que ter um grande número de seguidores permite que as pessoas aumentem seus preços com mais facilidade porque têm um público maior que pode querer comprar suas obras de arte. No entanto, esse não é o único fator”, diz ela.

Demanda crescente

O que ficou aparente no boom dos NFTs é o aumento da demanda por formas de arte emergentes. Por exemplo, a arte 3D atraiu uma grande base de fãs.

Conseqüentemente, obras de arte como essas podem ter um preço mais alto porque a demanda é maior. As próprias plataformas aconselham os artistas a não aceitarem lances baixos e os encorajam a esperar até que os lancse aumentem.

Independentemente da fama na internet ou não, Attfield explica que, em sua experiência, a comunidade é um espaço de muito apoio e aqueles que estão comprando arte realmente amam e apreciam isso.

Em poucas palavras, é isso que Kevin McCoy e Anil Dash imaginaram quando inventaram a tecnologia NFT. Os artistas encontraram um porto seguro para proteger a escassez de suas obras originais. Ao lado de uma rede dentro da indústria e do próprio mercado.

Construindo o metaverso

Além de peças de arte individuais, os NFTs têm um propósito maior. Eles são considerados os blocos de construção do metaverso.

Esse espaço virtual, também conhecido como Web 3.0, é uma experiência de internet integrada que remove a maneira tradicional de fazer quase tudo que os usuários sabem e esperam da internet atualmente.

Em vez de olhar para a Internet na tela do seu dispositivo, os usuários poderão interagir dentro dela, como uma construção virtual. Seu objetivo é suplantar a velha maneira de fazer as coisas e, essencialmente, fundir a vida virtual com a vida real.

“Com toda a ideia do metaverso, estou ansioso para descobrir se eles irão ‘apenas’ criar um mundo virtual, ou se eles realmente conseguirão romper os limites de nossas mentes, dados a nós durante a evolução da humanidade . Trazer novos conceitos de existência, cidadania, emprego, educação, espaço e tempo ”, diz Karasek.

Uma ideia estendida e reformulada

No entanto, este conceito de “metaverso” certamente não é novo. Os jogos multiplayer online (MMO) existem há anos como microcosmos do conceito de metaverso.

Muitos jogos online permitem que os jogadores criem personagens únicos e desenhem livremente roupas e joias digitais para seus avatares. Certos aspectos da mecânica de design também podem ser comprados com dinheiro real, que é convertido em tokens no jogo ou ganhos como recompensas no jogo.

Quando a descrição acima de jogos MMO é incorporada à área de finanças descentralizadas (DeFi) em uma fusão elaborada de tecnologia blockchain, ela pode provocar a imaginação de pensar em entrar na Matrix.

“Imagine novos equipamentos virtuais, roupas, itens colecionáveis e móveis digitais para as novas casas e escritórios virtuais”, diz Karasek.

Ele explica como os NFTs permitem que os artistas estabeleçam claramente a autoria e também a propriedade do conteúdo digital e monetizem isso.

“Agora é a nossa vez de repensar todo o conceito de propriedade digital – o que realmente significa possuir algo que não podemos tocar, tirar off-line ou deixar como herança”, diz ele.

A decisão sobre o futuro

O custo, acessibilidade e expansão do metaverso e NFTs dependerão da sociedade. No geral, aqueles que estão criando, aqueles que estão construindo e aqueles que estão comprando influenciarão sua estrutura final.

Quer se trate de uma replicação do mundo Web 2.0 ou de um mais acessível, mais justo ainda está para ser visto. No entanto, o boom da arte NFT mostrou que existem comunidades que querem abrir espaço para todos.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jesse McGraw é escritor, pesquisador de segurança da informação e ativista pela reforma penitenciária. Ele também é um ex black hat hacker e fundador do grupo hacktivista conhecido como Electronik Tribulation Army. Ele também é conhecido pelo apelido de "Ghost Exodus". Ele tem participações em ações e em Bitcoins, mas nada muito notável.

SEGUIR O AUTOR

Sem medo, sem FUD. Vá para outro nível em sua jornada cripto com a Bybit!

Comece agora!

Sem medo, sem FUD. Ganhe 1 ETH ao depositar $100 com a Bybit!

Entrar agora

Compre o seu primeiro NFT e ganhe até 20.000 USDT.               

Entrar agora