Metaverso está com o futuro em aberto

By Josh Adams
1 janeiro 2023, 13:00 -03
1 janeiro 2023, 13:00 -03
EM RESUMO
  • O futuro do metaverso é dominado por duas visões concorrentes, aberta e fechada.
  • Os metaversos abertos são interoperáveis e interconectados, permitindo que os usuários transfiram ativos digitais, moeda e caracteres.
  • Em junho de 2022, o The Metaverse Standards Forum começou a reunir empresas de tecnologia para impulsionar a interoperabilidade do metaverso.
  • promo

Frequentemente, usamos o termo “metaverso” (no singular) como se ele se referisse a uma única entidade. Na realidade, não existe tal coisa, pelo menos não ainda.

A diferença entre um metaverso aberto e um fechado é como podemos dizer com precisão se existe ou não um único metaverso.

  • Ficou com alguma dúvida? O BeInCrypto tem um glossário que pode ajudar a responder a suas dúvidas em relação ao mundo cripto!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter, Instagram e Facebook.

O autor Neal Stephenson cunhou o termo “metaverso” em seu romance de ficção científica “Snow Crash”, lançado em 1992. No livro, ele descreve um mundo virtual que funcionava como uma sociedade paralela.

Desde sua criação, uma ampla gama de grupos, incluindo tecnólogos, Mark Zuckerberg, a comunidade cripto, desenvolvedores de jogos e muitos outros adotaram o termo “metaverso”.

No início de dezembro de 2022, o CEO da Epic Games (criadores de Fortnite e da Unreal Engine), Tim Sweeney, apresentou sua grande visão durante a live “Year In Review 2022”.

Ele disse que a gigante planejava reunir suas várias vertentes, incluindo desenvolvimento de jogos e seu trabalho em filmes e TV com o Unreal Engine, “em algo que se aproxima cada vez mais do metaverso da ficção científica”.

“Não a versão distópica, mas as versões realmente positivas onde você e seus amigos se reúnem em uma experiência social 3D em tempo real e podem explorar o mundo inteiro”.

Ainda não há uma definição exata do que é um metaverso, mas ela se desenvolveu e se estreitou com o tempo. A maioria dos usuários da palavra aceita que será algum tipo de mundo virtual – ou mundos.

Na comunidade Web3, muitos acreditam que ele envolverá ativos digitais como tokens não fungíveis (NFTs) e criptomoedas e empregará contratos inteligentes para criar um espaço online descentralizado e sem confiança, não controlado por nenhuma empresa.

No entanto, nem todos estão na mesma página.

Metaversos abertos e fechados

A Meta e o Horizon Worlds de Zuckerberg e o Fortnite da Epic Game são dois exemplos de metaversos que limitam fundamentalmente o uso de ativos digitais dentro de seus próprios ecossistemas. Esses metaversos funcionam como silos virtuais, controlados por uma única organização, e impedem o uso de ativos digitais fora de seus limites.

Por outro lado, um metaverso aberto seria interconectado e interoperável. Assim como vários sites e serviços podem existir independentemente em uma web interconectada.

Se as opções estiverem entre abertas e fechadas, a escolha é óbvia, diz o CEO e fundador da Affyn, Lucaz Leem. “Ecossistemas fechados são construções da Web2, e não estamos tentando replicar os monopólios tecnológicos que dominam a experiência atual. Em vez disso, nossa abordagem precisa girar em torno de interoperabilidade e abertura, garantindo a máxima facilidade de movimento através do metaverso”.

Se o chamado metaverso é fechado e administrado pelo proprietário, o que os torna diferentes dos mundos online multijogador que vieram antes deles? O Habbo Hotel – uma versão digital do paradoxo de Hilbert do Grand Hotel ganhando vida – lançou sua versão beta em janeiro de 2001.

O Runescape, o MMORPG de fantasia que dominou meados dos anos 2000, foi lançado no mesmo mês. O Mazewar, um precursor bruto dos jogos de hoje, já existia em 1974 na ARPANET, um precursor da internet de hoje.

Qualquer metaverso que não se acrescente a esse modelo de décadas está simplesmente usando a linguagem de marketing para parecer moderno. Além da descentralização, uma parte fundamental de qualquer futuro metaverso será o conteúdo gerado pelo usuário.

Não muito diferente da internet de hoje. “Os jogadores na maioria dos MMORPGs existentes não interagem diretamente com os desenvolvedores ou criadores”, continua Leem. “Essas barreiras desaparecem com os metaversos abertos, onde todos podem ser simultaneamente usuário, criador e desenvolvedor. Efetivamente, um metaverso aberto encoraja todos os participantes a se tornarem partes interessadas. Não apenas um usuário que consome sem receber recompensas e benefícios em troca.”

O futuro da cadeia cruzada do mundo virtual

No entanto, aqueles que perseguem o sonho de um metaverso fechado nem sempre são maus atores. De acordo com alguns, o fato de metaversos fechados serem atualmente a norma é simplesmente o resultado de nossas limitações tecnológicas.

“Acredito que a comunidade Web3 mais ampla está trabalhando em direção a um metaverso aberto, pois essa ideia realmente reflete o que é o ethos da Web3: ser sem permissão, sem confiança e aberto a todos”, diz o diretor representante da Klaytn Foundation, Dr. Sangmin Seo.

Para alcançar essa visão, existem várias correções que podem permitir que um mundo virtual baseado em blockchain interaja com outras plataformas. As soluções que permitem que blockchains conversem entre si podem ser usadas para criar um mundo online maior e mais interconectado.

Correções como “pontes, oráculos e soluções que permitem aplicativos de cadeia cruzada [podem] nos aproximar um passo” dessa visão, diz o Dr. Seo.

Além disso, só porque um mundo virtual é “fechado”, não significa que não seja um metaverso. Projetos como o Overeality, que implementa infraestruturas para interoperabilidade Web3, preferem pensar neles como uma concepção diferente da mesma coisa.

“O metaverso deveria ser outra dimensão do mundo”, diz seu CMO e cofundador, Shukyee Ma. “O Metaverso deveria ser uma coleção de todos os sub-metaversos onde cada sub-metaverso é como uma cidade ou um país no mundo real. Todos os sub-metaversos, juntamente com total interoperabilidade entre si, são considerados a forma definitiva do metaverso por nossa definição.”

Uma organização que está tentando preparar o caminho é o Metaverse Standards Forum. Seu objetivo é criar um padrão de interoperabilidade comum reunindo o maior número possível de partes interessadas.

Fundado em junho de 2022, o grupo já inclui Google, Huawei, Adobe, Intel, Verizon e a gigante contábil PwC. Até a pioneira do metaverso fechado, a Meta, está participando.

O grupo se concentrará em várias áreas, incluindo o desenvolvimento de terminologia e diretrizes consistentes em todo o setor de tecnologia. Com o tempo, o fórum espera fornecer hackathons, prototipagem, plugfests e ferramentas de código aberto

Sua fundação por si só é um sinal animador. Há esperança de que qualquer futuro metaverso seja tão aberto quanto a internet que o precedeu. Dedos cruzados, o resultado será um metaverso unificado (singular, não plural).

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.