Hacker da Netwalker se declara culpado em julgamento nos EUA

Atualizado por Júlia V. Kurtz
EM RESUMO
  • Um ex-funcionário do governo canadense é acusado de participar de um grupo de hacking de ransomware.
  • O acusado fazia parte da gangue NetWalker que extorquiu quase US$ 50 milhões de instituições nos EUA.
  • Enquanto outras gangues de ransomware operam fora do alcance da aplicação da lei dos EUA, esforços estão sendo feitos para garantir extradições.
  • promo

    Análises técnicas e insights do mercado por traders em nosso canal do Telegram!Entre hoje no nosso Telegram!

Um ex-funcionário do governo canadense se declarou culpado das acusações de trabalhar para a NetWalker, grupo cibercriminosos que faturou mais de US$ 50 milhões.

Sebastien Vachon-Desjardins entrou em um acordo com os promotores federais dos EUA para se declarar culpado das acusações de fazer parte de uma prolífica gangue de ransomware. Segundo relatos, a gangue que opera sob o nome NetWalker obteve US$ 46 milhões de vítimas desde 2020.

Em março, Vachon-Desjardins foi extraditado do Canadá para a Flórida após sua prisão por agências de aplicação da lei. Eles confiscaram US$ 28 milhões em Bitcoin (BTC), mas a extensão total de seu envolvimento permanece incerta.

  • Ficou com alguma dúvida? O Be[in]Crypto possui uma série de artigos para lhe ajudar a entender o universo cripto. Confira!
  • Se quiser ficar atualizado no que acontece de mais importante no espaço cripto, junte-se ao nosso grupo no Telegram!

Hacker canadense pode pegar 40 anos de prisão

O acordo fechado com os promotores ainda está sujeito à aprovação dos tribunais, mas Vachon-Desjardins ainda pode pegar até 40 anos de prisão. Ele inclui uma disposição para cooperar totalmente com os promotores em troca de uma sentença menor.

O invasor trabalhou com o Departamento Canadense de Serviços Públicos e Compras com foco em imóveis.

O grupo NetWalker

De acordo com um relatório da Chainalysis, os NetWalkers estão entre as gangues de ransomware mais prolíficas dos últimos dois anos. O modus operandi da gangue envolvia a segmentação de hospitais dos EUA durante a pandemia de COVID-19, mas também se diversificou para instituições de ensino.

Para ampliar o escopo das operações, o NetWalker supostamente aluga seu malware para gangues menores em troca de uma porcentagem dos lucros, ação conhecida como ransomware como serviço.

Outros membros da gangue estão foragidos, mas o testemunho de Vachon-Desjardins pode ser fundamental para trazê-los a justiça.

Um caso raro

Os grupos de ransomware geralmente operam fora dos EUA, tornando difícil para as agências de segurança do país prender esses criminosos. O caso de Vachon-Desjardins é uma raridade no setor por causa dos obstáculos legais associados às extradições.

O país sofreu com o hack da Colonial Pipeline, que levou ao pagamento de US$ 4,4 milhões como resgate. O Departamento de Justiça recuperou US$ 2,3 milhões do valor, com a DarkSide, sediada na Europa Oriental, sendo responsável pelo ataque.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
BEINNEWS ACADEMY LTD © STREET: SUITE 1701 – 02A, 17/F, 625 KING’S ROAD, NORTH POINT. HONG KONG.