Ver mais

Gala Games perde 214 milhões de dólares em tokens GALA após hack

2 mins
Traduzido Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • Em 20 de maio, um hacker explorou o contrato inteligente da Gala Games, cunhando 5 bilhões de tokens GALA.
  • O hacker vendeu 592 milhões de GALA por 5.952 ETH, avaliados em aproximadamente US$ 21,8 milhões.
  • A Gala Games rapidamente colocou o endereço do hacker na lista negra e está colaborando com as autoridades.
  • promo

A Gala Games, um projeto de jogos da Web3, sofreu uma violação de segurança na segunda-feira (20). Um hacker explorou o contrato inteligente da plataforma, cunhando 5 bilhões de seus tokens GALA nativos, no valor de aproximadamente US$ 214 milhões.

Esse incidente causou um choque na comunidade e provocou especulações generalizadas.

Como ocorreu o hack da Gala Games

Depois de explorar o contrato inteligente, o hacker prontamente vendeu 592 milhões de GALA por 5.952 ETH, aproximadamente US$ 21,8 milhões. A equipe da Gala Games tomou medidas imediatas para mitigar os danos. Eles colocaram o endereço do hacker na lista negra, congelando sua capacidade de descarregar mais tokens.

Em uma declaração pública, a equipe enfatizou seu compromisso com a segurança e a transparência. Eles garantiram aos usuários que estão atualmente colaborando com autoridades para rastrear os criminosos.

Leia mais: Previsão de preços do Ethereum para 2024 / 2025 / 2030

“Esse foi um incidente isolado, cuja causa já foi resolvida. […] Forneceremos atualizações conforme a investigação continuar e tomaremos todas as medidas necessárias para evitar futuros incidentes”, diz o comunicado.

A equipe da Gala Games bloqueou o endereço do explorador.
A equipe da Gala Games bloqueou o endereço do explorador. Fonte: Etherscan

O CEO da Gala Games, Eric Schiermeyer, lamentou o incidente. Ele afirma que a empresa identificou e corrigiu a falha em 45 minutos. Além disso, ele enfatizou que seu contrato ETH para a GALA permanece seguro e protegido por uma carteira com várias assinaturas.

“Fizemos uma bagunça em nossos controles internos. Isso não deveria ter acontecido, e estamos tomando medidas para garantir que não aconteça novamente. Acreditamos ter identificado o culpado e estamos trabalhando atualmente com o FBI, o DOJ e uma rede de autoridades internacionais. Há a questão de nossa distribuição diária. Faremos uma votação no nó sobre como lidar com essa questão. Como de costume, a comunidade decidirá como proceder”, disse Schiermeyer.

Comunidade reage

O reconhecimento de Schiermeyer das falhas de controle interno alinha-se com as descobertas de um desenvolvedor do Solidity conhecido como Quit. De acordo com ele, o endereço responsável pela exploração tinha autorização em nível de administrador, o que lhe permitia realizar ações arbitrárias envolvendo o contrato inteligente.

Quit defende a proibição de contratos com privilégios de administrador capazes de cunhar tokens arbitrariamente.

Após o hack, o preço da GALA despencou de US$ 0,047 para US$ 0,038. No entanto, ele se recuperou ligeiramente para US$ 0,041.

Desempenho do preço da GALA.
Desempenho do preço da GALA. Fonte: BeInCrypto

Apesar dessa recuperação, a atividade fraudulenta na comunidade persiste. Por exemplo, golpistas estão se aproveitando da situação, fazendo-se passar por representantes da Gala Games e divulgando links maliciosos sob o pretexto de migrar para uma nova versão do contrato.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora do BeInCrypto Brasil, a jornalista é especializada em dados e participa ativamente da comunidade de Criptoativos, Web3 e NFTs. Formada pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui mais de 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia, tendo passado por veículos como Globo, Gazeta do Povo e UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados