G20 quer regulamentação internacional para stablecoins

18 julho 2022, 13:00 -03
Atualizado por Júlia V. Kurtz
18 julho 2022, 13:00 -03
EM RESUMO
  • A reunião do G20 abordou vários tópicos, incluindo transferências internacionais e regulamentação de stablecoins.
  • Os países querem trabalhar juntos para garantir a estabilidade financeira.
  • Stablecoins e transferências internacionais há muito fazem parte da agenda de regulamentação de muitos países.
  • promo

Os Ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais dos países do G20 falaram sobre a necessidade de cooperação transfronteiriça e regulamentação de stablecoins em uma reunião recente.

Figuras governamentais dos países do G20 confirmaram uma ação frequentemente elogiada para o mercado de criptomoedas, dizendo que a coordenação transfronteiriça e a regulamentação de stablecoins eram necessárias.

  • Ficou com alguma dúvida? O BeInCrypto tem um glossário que pode ajudar a responder a suas dúvidas em relação ao mundo cripto!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter, Instagram e Facebook.

A reunião do G20 aconteceu na Indonésia entre os dias 15 a 16 de julho, e os chefes dos bancos centrais e ministros das finanças dobraram a necessidade de cooperação, algo que se tornou um importante ponto de discussão nos últimos meses.

A reunião abordou tópicos relevantes para o atual clima geopolítico, incluindo as consequências da pandemia, a guerra na Ucrânia, questões de alimentação e energia da cadeia de suprimentos e as altas taxas de inflação. Em relação à cooperação transfronteiriça e à regulamentação de stablecoins, declarações públicas disseram:

“Todas as partes apoiam o fortalecimento da coordenação na implementação de padrões internacionais relevantes, com foco na prevenção de vazamentos transfronteiriços e na manutenção da estabilidade financeira global. Todas as partes apoiam a implementação contínua do ‘Roteiro de Pagamentos Transfronteiriços do G20’, concordam em fortalecer a coordenação transfronteiriça e supervisionar rigorosamente vários tipos de ativos criptográficos, como stablecoins.”

Entre os presentes na reunião estava Yi Gang, presidente do Banco Popular da China, que disse que a China estaria intimamente envolvida em uma estrutura de política financeira transformacional. A China está interessada em tornar sua própria moeda digital do banco central, o yuan digital, uma parte fundamental de sua economia.

Gang também disse que a economia do país está enfrentando certa pressão descendente. A China experimentou seu lento crescimento econômico no segundo trimestre de 2022, crescendo 0,4%. Como muitos outros países, também está enfrentando as consequências da pandemia.

O mercado de criptomoedas agora está bem no mainstream, com investidores de varejo e instituições financeiras expressando grande interesse na classe de ativos. Alguns países, como El Salvador e a República Centro-Africana, até incorporaram isso em suas economias.

O crescente impacto da criptomoeda estimulou os legisladores a agir rapidamente. Stablecoins e o lançamento de CBDCs tornaram-se partes fundamentais das agendas. Muitos funcionários, incluindo os do Tesouro dos EUA, falaram sobre esse assunto.

O governador do banco central australiano, Phillip Lowe, chegou a dizer que prefere tokens privados regulamentados à CBDCs. Essa não é a posição que a maioria dos governadores de bancos centrais adotam, uma pesquisa recente do Bank for International Settlements revelou que 90% dos bancos centrais estavam considerando CBDCs.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.