Ver mais

Criminosos se disfarçam de policiais para cometer golpes cripto, entenda

2 mins
Por Josh Adams
Traduzido Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • Autoridades de Calgary emitiram um alerta sobre um golpe cripto em que fraudadores se passam por policiais.
  • Eles aconselham os cidadãos a verificar a identidade do chamador, solicitando a identificação e os números do crachá.
  • Os criminosos costumam usar criptomoedas, pois geralmente são menos rastreáveis do que transações usando uma conta bancária tradicional.
  • promo

A cidade de Calgary, Alberta, emitiu um alerta oficial sobre um golpe cripto em que os criminosos se passam por policiais. O golpe, uma variante de uma tática já conhecida, fez com que as vítimas perdessem milhares de dólares.

Em alguns casos, os golpistas afirmam ser policiais da cidade e tentam convencer os indivíduos de que eles devem honorários advocatícios substanciais que precisam ser pagos em cripto. Às vezes, os golpistas fingem ser um familiar que foi preso, exigindo dinheiro. Alguns até falsificam números de telefone para parecer mais legítimos.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

Polícia alerta cidadãos para ficarem atentos a impostores

Em outros casos, os golpistas se apresentam como oficiais oferecendo ajuda na recuperação de fundos perdidos por meio de uma dispendiosa “agência cibernética” terceirizada. Eles sempre solicitavam fundos em Bitcoin.

Em resposta, a polícia de Calgary disse aos cidadãos para sempre pedirem um distintivo da polícia, carteira de identidade com foto ou número do distintivo. Se as pessoas ainda estiverem em dúvida, a polícia recomenda ligar para o número não emergencial do Canadá para verificação adicional.

Em um comunicado, as autoridades de Calgary alertam:

“Os golpistas costumam usando táticas de alta pressão e baseadas no medo para receber o pagamento rapidamente. Não se sinta pressionado a fornecer dinheiro a estranhos. Reserve um tempo para conversar com amigos e familiares de confiança para verificar a legitimidade da situação”.

A declaração oficial descreve este fenômeno como tendo acontecido nas últimas semanas. Mas, na realidade, os golpistas já tentaram isso antes.

Em 2020, a polícia canadense investigou dois fraudadores se passando por oficiais. Os golpistas ligaram para uma vítima e alegaram que eram da Agência de Receitas do Canadá (CRA). Em seguida, eles ligaram para outro cidadão alegando ser da Real Polícia Montada do Canadá.

Ambas as vítimas foram ameaçadas de prisão, a menos que retirassem dinheiro de um banco e o depositassem em um caixa eletrônico de Bitcoin. A perda total em ambos os golpes ultrapassou US$ 15.460.

Criminosos se disfarçam de policiais para cometer golpes cripto, entenda
Fonte: Chainalysis

Canadá sofre com golpes cripto

Os golpistas costumam usando o Bitcoin e outras criptomoedas, pois são menos rastreáveis do que uma conta bancária normal. Isso permite que os fraudadores atinjam várias vítimas em um curto espaço de tempo e, em seguida, movam os fundos entre uma variedade de carteiras e misturadores para obscurecer seu rastro.

Os golpes de cripto são uma preocupação especial para os canadenses. Uma pesquisa recente, por exemplo, revelou que um em cada três comerciantes de criptomoedas canadenses foi vítima de um.

Mesmo assim, de acordo com o último relatório de crimes cripto da Chainalysis, a atividade ilícita em criptomoedas continua sendo uma pequena parcela do volume total, inferior a 1%.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora do BeInCrypto Brasil, a jornalista é especializada em dados e participa ativamente da comunidade de Criptoativos, Web3 e NFTs. Formada pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui mais de 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia, tendo passado por veículos como Globo, Gazeta do Povo e UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados