Ver mais

Como criminosos usam NFTs para lavar dinheiro?

2 mins
Atualizado por Thiago Barboza

EM RESUMO

  • Criminosos usam NFTs para lavar dinheiro e inflar preços.
  • Eles conseguem isso usando outras práticas ilícitas, como wash trading.
  • A capitalização de mercado de 95% das coleções, por outro lado, caiu a 0.
  • promo

A crise da indústria NFT impactou não somente a carteira de membros da comunidade como a viabilidade de lavar dinheiro usando a tecnologia.

A prática se tornou comum durante o boom do setor, em 2021. Ela se aproveita do anonimato da rede e de outras práticas ilícitas, como wash trading.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

Usando NFTs para lavar dinheiro

O primeiro passo para uma das formas mais comuns de lavar dinheiro com NFTs envolve o uso de wash trading, diz o co-fundador da Bartizan Security, Jorge Andújar.

O wash trading ocorre quando um trader vende um ativo digital para outra carteira que também é sua. Na prática, ele negocia o ativo consigo mesmo.

No caso de NFTs, uma carteira lista o token em um mercado e a vende para outra por um preço elevado. Este primeiro passo serve para inflar o preço do ativo, uma vez que isto gera um registro da transação, que serve para legitimar o preço.

Em seguida, o NFT é vendido mais uma vez, dessa vez para um comprador legítimo. Isto faz com que o dinheiro adquirido na transação seja considerado verdadeiro.

Andújar lembra que um criminoso cuidadoso o suficiente saberá mascarar a propriedade de suas carteiras, fazendo com que seja quase impossível descobrir que elas pertencem à mesma pessoa.

“Há tipos diferentes de crimes financeiros que não são diferentes de o que aconteceu com o mercado de ações anos atrás ou com o que acontece com obras de arte físicas. A única diferença é o formato: por ser digital, é mais fácil de fazer”, diz.

O analista recomenda cuidados quando o NFT é vendido por alguém que não é um artista reconhecido e é vendido por um preço muito alto. Isso é um dos fatores que indicam que o preço pode ter sido inflado artificialmente.

Além disso, artistas pequenos costumam vender suas coleções por preços padronizados.

Um relatório do Tesouro dos Estados Unidos de 2022, por outro lado, também alertou para o risco de lavagem de dinheiro no setor de artes.

“A capacidade de transferir NFTs sem se preocupar com a distância e com fronteiras faz com que a arte digital seja suscetível à exploração por quem quer lavar dinheiro proveniente de meios ilícitos, uma vez que a movimentação de valores pode ser alcançada sem custos financeiros ou regulatórios”, diz o texto.

Mercado NFT em apuros

Mas o mercado NFT não sofre só com lavagem de dinheiro. O setor sofre uma crise sem precedentes devido ao inverno cripto.

Uma pesquisa da dappGambl divulgada em setembro, por exemplo, descobriu que a capitalização de mercado de 95% das coleções de tokens não-fungíveis caiu a 0.

O volume de trading registrado em julho de 2023 era US$ 80 milhões, o equivalente a 3% do pico de US$ 2,8 bilhões de agosto de 2021.

Apenas os maiores projetos, como CryptoPunks e Bored Apes Yacht Club (BAYC), ambos da Yuga Labs, resistiram à crise.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora do BeInCrypto Brasil, a jornalista é especializada em dados e participa ativamente da comunidade de Criptoativos, Web3 e NFTs. Formada pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui mais de 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia, tendo passado por veículos como Globo, Gazeta do Povo e UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados