Ver mais

Colapso da FTX acabou ou pode atingir outras empresas?

5 mins
Por Shubham Pandey
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • Barry Silbert, fundador e chefe do Digital Currency Group (DCG), revelou que a empresa deve US$ 2 bilhões a suas subsidiárias e credores externos.
  • A venda da Grayscale como um negócio provavelmente não terá impacto suficiente contra mais de US$ 2 bilhões em passivos.
  • A renomada empresa de cripto Arcane Research emitiu um aviso aos investidores de Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) à luz dos eventos crescentes em torno do Digital Currency Group (DCG), Genesis e Grayscale.
  • promo

Após o colapso da FTX, as preocupações com o Digital Currency Group (DCG) e suas subsidiárias (Genesis e Grayscale) começaram a se espalhar. O mercado de criptomoedas pode testemunhar ainda mais contágio?

Mais recentemente, os temores se concentraram em torno de uma das joias da coroa cripto, o Digital Currency Group (DCG), um conglomerado de alguns dos maiores nomes do setor, incluindo Genesis, a maior corretora principal de criptomoedas, a empresa de gerenciamento de ativos Grayscale e o site de notícias CoinDesk.

Aqui está um pequeno vislumbre do que o fracasso de uma ou de todas as empresas vinculadas pode significar para a indústria.

O colapso explicado

Embora o colapso da FTX tenha sido o momento mais sombrio, ele pode ser apenas o começo de um possível crash para toda a indústria. A Grayscale, a gestora de ativos mais importante de criptomoedas, que já deteve mais de US$ 60 bilhões em ativos, pode estar em problemas e colocar em risco o futuro de todo o setor. Esse desenvolvimento pode estar diretamente ligado à perda de bilhões de dólares da Genesis Capital.

Ultimamente, a indústria tem se concentrado no DCG e em como seu possível colapso pode tornar a Grayscale a próxima vítima. Ela é uma das instituições criptográficas mais proeminentes no centro das consequências da FTX, e muitos estão se perguntando se seu colapso será um golpe mortal no segmento.

O DCG é uma das empresas cripto mais proeminentes e já foi avaliada em US$ 10 bilhões, com bilhões em ativos sob gestão (AuM). A companhia é liderada por Barry Silbert.

A empresa ganhou destaque como um dos primeiros a adotar criptomoedas. No entanto, após o colapso do império de Sam Bankman-Fried, uma das subsidiárias do DCG, a Genesis Global Capital, se viu em um enorme problema, representando uma ameaça a todo o império do Digital Currency Group.

Antes de se encontrar nesse prejuízo de um bilhão de dólares, a Genesis estava praticamente imprimindo dinheiro como o principal credor de criptomoedas, fornecendo serviços de rendimento para quase todo o mercado. No entanto, as coisas começaram a mudar quando a Genesis emprestou US$ 2,40 bilhões ao agora infame fundo de hedge Three Arrows Capital.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Relações anteriores do DCG

Antes da stablecoin TerraUSD (UST) perder sua paridade em maio, a Genesis negociou US$ 1,50 bilhão em ativos (UST e Bitcoin) com a Luna Foundation Guard, ou LFG. Então o UST entrou em colapso. Se o prejuízo de US$ 1,50 bilhão não foi doloroso o suficiente, a Genesis viu os empréstimos pararem após o colapso de credores como a Celsius e a incerteza em torno da Voyager, que também entrou com pedido de falência nos EUA.

Mas fica pior. O golpe final para a Genesis veio após a queda da FTX. Como o colapso da Luna, poucos admitiram ter sido expostos ao FTX. No dia do crash da FTX a Genesis alegou não ter “nenhuma exposição de crédito líquido material”. No entanto, dois dias depois, a empresa voltou atrás e anunciou que tinha US$ 175 milhões bloqueados em sua conta de negociação na exchange.

Esse desenvolvimento trouxe várias dificuldades para a plataforma de empréstimo, desde dívidas pendentes a temores e, mais recentemente, demissões. Por exemplo, a Genesis pausou todos os saques e obrigações de empréstimos ativos em meio à crise de liquidez. De acordo com o site oficial da empresa, as obrigações ativas totais somam US$ 2,80 bilhões.

Para o DCG sobreviver e não sofrer perdas significativas, ele precisa levantar mais capital para salvar a Genesis. Se a Genesis conseguir chegar a um acordo, terá alguns reparos a fazer, mas pode potencialmente manter suas portas abertas. No entanto, do lado de fora, apenas alguns têm esperança neste resultado.

Se os credores rejeitarem o acordo, a Genesis provavelmente irá à falência com anos de batalhas judiciais pela frente. O DCG gostaria que o Genesis sobrevivesse; o problema é o que acontece se a empresa não conseguir levantar o dinheiro para salvá-la. É aqui que a outra subsidiária da DCG, a Grayscale, entra em ação.

Grayscale será a próxima vítima?

Para preencher o enorme buraco que a Genesis criou, muitos acreditam que algo precisará acontecer com a Grayscale para cobrir as perdas. A Grayscale é a vaca leiteira do DCG, operando o veículo de investimento institucional mais significativo para todas as criptomoedas – o Grayscale Bitcoin Trust (GBTC).

O GBTC não é como um fundo negociado em bolsa (ETF), então seu preço não pode rastrear com precisão o preço do Bitcoin. O principal motivo é que as ações do GBTC não podem ser resgatadas pelo Bitcoin subjacente. Todo o valor depende da credibilidade da Grayscale para manter seus negócios.

Como a Genesis vem assumindo dívidas cada vez mais ruins, prejudicando a credibilidade da Grayscale, os usuários gradualmente especulam sobre a legitimidade da confiança do GBTC. Isso levou as ações do GBTC a serem negociadas com mais de 45% de desconto em comparação com o valor do Bitcoin mantido no fundo.

Isso representa uma queda maciça nas ações. No entanto, considere todas as coisas que podem acontecer com a Grayscale.

Explorando os caminhos

Uma opção para o DCG é vender o GBTC. O GBTC já levou uma surra devido à onda massiva de vendas. O DCG se tornou a maior detentora de ações, atualmente detendo milhões no fundo. Se a empresa tivesse que vender todas as suas reivindicações, isso prejudicaria ainda mais o preço do GBTC.

Isso é uma má notícia porque muitas instituições e investidores detêm o GBTC e, se o preço cair ainda mais, isso pode deteriorar a confiança institucional para investir em cripto. Outra opção para o DCG é vender a própria Grayscale. Mas, novamente, livrar-se do negócio não cobriria as dívidas pendentes de mais de US$ 2 bilhões. Isso é explicado na captura de tela abaixo; considere os dois criadores de receita proeminentes da Grayscale: GBTC e seu equivalente Ethereum, ETHE.

O BeInCrypto procurou a Arcane Research para lançar mais luz sobre a situação. O porta-voz compartilhou um relatório pedindo aos usuários que mantenham cautela. “Os investidores devem prestar atenção às dificuldades financeiras em andamento relacionadas ao Digital Currency Group (DCG), pois o resultado pode impactar gravemente os mercados cripto”, afirmou.

Também forneceu uma solução potencial “natural, menos limitada pela liquidez” para compensar a evolução da situação para o DCG. Aqui é recomendada uma solução Reg M que permite aos detentores de Grayscale Bitcoin Trust (GBTC), Grayscale Ethereum Trust (ETH) e outros fundos resgatar ações pelo valor patrimonial líquido.

Isso permitiria aos detentores de posições GBTC e ETHE resgatá-los pelos ativos subjacentes na proporção de 1:1. “Um Reg M causaria uma estratégia de arbitragem massiva de vender cripto spot versus comprar ações da Grayscale Trust. Se esse cenário se concretizar, os mercados podem enfrentar uma queda ainda maior”, acrescentou a Arcane.

Considerações Finais

O potencial colapso da Genesis é mais do que apenas outra empresa falida. Simboliza uma era de empréstimos, onde empresas obscuras poderiam bombear seus sacos usando fundos de clientes. Embora esses jogadores obscuros pudessem se safar durante a histeria do mercado de alta, empresas como Genesis, BlockFi, Celsius e outras mostraram que não foram feitas para durar, pois agora desmoronaram apenas um ano após o ciclo de alta de 2021.

Quer DCG, Genesis ou Grayscale sobrevivam, uma coisa é certa: esta situação garante o fim da era dos empréstimos cripto.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados