Bitcoin btc
$ usd

Entenda o colapso da exchange FTX

20 mins
Traduzido Airí Chaves

Novembro foi um mês difícil para as criptomoedas. Não, não estamos insinuando as mínimas semanais que o mercado vem fazendo. A essa altura, estamos meio que prontos para qualquer coisa que o mercado de baixa jogue contra nós. Em vez disso, estamos falando sobre o infame colapso da FTX – um desenvolvimento inesperado que abalou todo o ecossistema de criptomoeda e nos fez pensar se, nas criptomoedas, existe alguém grande demais para falir! 

O colapso da FTX não foi um evento de um dia. Em vez disso, durou quase quinze dias, vendo reviravoltas a cada curva. E para ser honesto, talvez ainda não tenhamos visto o fim disso. Atualmente, a segunda maior exchange de criptomoedas em volume parece estar respirando pela última vez depois de sofrer danos irreparáveis. E com o colapso surgem várias perguntas: como a FTX chegou lá, o que acontecerá com os fundos dos clientes presos na FTX e quando essas ondas de choque impulsionadas pela FTX deixarão de ter qualquer efeito no mercado e assim por diante?

Para conhecer mais sobre a exchange FTX, você pode acessar a nossa seção educacional. Ou então participar da nossa comunidade no Telegram e conversar com traders e especialistas da área.

Tentamos responder a essas perguntas para você, ajudando-o a entender o colapso da FTX e os motivos que levaram a ele. E só para você saber, o problema no paraíso não foi repentino. A FTX era uma bomba-relógio esperando para explodir. Por que dizemos isso? Leia enquanto nos aprofundamos nos detalhes.

Neste artigo:

O que aconteceu, está acontecendo e pode acontecer com a FTX?

Bem, antes de prosseguirmos, temos que lhe dizer que esta será uma longa leitura! Então, se você está com pressa, aqui está um rápido resumo dos detalhes.

Primeiro, o que aconteceu?

O acúmulo (maio de 2019)

Em 2019, quando a FTX surgiu, a Alameda Research já existia. De acordo com Nansen – uma plataforma de análise de blockchain, nunca existiu uma demarcação clara entre os dois. Um homem, no centro de duas empresas – uma gerenciando fundos e outra “usando” (especulativa), não é uma história que acaba bem.

Além disso, a participação da FTX em publicidade exagerada pode tê-los mostrado sob uma luz excessivamente confiante. Tendo uma FTX Arena na área de Miami como parte de um acordo de US$ 135 milhões para trazer Larry David em um anúncio arrogante, FTX e o CEO da FTX atraíram muitos olhares. 

Muita atenção = Muito problema!

O primeiro prego

A queda da TerraUSD foi o primeiro prego neste caixão. A investigação on-chain da Nansen revela que, durante o crash da UST, foram observadas grandes saídas de FTT da FTX. Então, Sam Bankman-Fried (SBF) estava usando tokens FTT para resgatar empresas? 

Ou, enquanto o mercado estava em queda, os tokens FTT do usuário foram enviados para a Alameda Research usando um backdoor para assumir posições vendidas? 

Muitas perguntas, respostas confusas!

Aqui está um rápido instantâneo da Nansen de 2019:

relatório Nansen
Conluio FTX-Alameda: Nansen

De crescendo

O final de outubro viu os magnatas das exchanges de criptomoedas lançando zombarias uns aos outros, com Changpeng Zhao comentando sobre a posição da SBF em relação à DeFi e a SBF retrucando bruscamente, trazendo as tensões EUA-China para a mistura. 

Não é bom, não é bom mesmo!

2 de novembro

O CoinDesk revela o balanço da Alameda Research. 

Pontos de discussão:

  1. FTT como principal holding
  2. SOL sendo a segunda holding mais significativa
  3. BTC, ETH, Fiat…. O que é isso?

6 de novembro

Binance e Changpeng Zhao decidem vender participações FTT, comparando um cenário de fermentação com o desastre do TerraUSD. A propósito, a Binance uma vez investiu em FTX e, quando o desinvestimento aconteceu, recebeu um punhado de tokens FTT. Ok, mais do que um punhado!

Pontos de discussão:

  1. O anúncio trouxe pânico e os preços do FTT começaram a cair.
  2. Caroline Ellison – CEO da Alameda Research – queria comprar os que a CZ estava desovando.

7 de novembro

SBF twittou dizendo que os ativos FTX estão bem e tudo mais. Nenhum desses tweets existe em seu identificador. Mas você os encontrará neste artigo.

Da discussão, os magnatas de criptomoedas de repente começaram a falar sobre uma parceria:

A Binance twittou que examinaria o livro da FTX e decidiria se queria comprar a exchange ou não. Até o SBF twittou isso e disse que tudo o que está impedindo a Binance de assumir a FTX é um simples DD ou Due Diligence. Bem, não foi tão simples. 

O colapso da FTX

A FTX teve que fechar as portas entre 8 de novembro e 11 de novembro. Veja o que aconteceu:

  1. Binance disse não para comprar FTX
  2. Retiradas FTX pausadas
  3. Mercados despencaram
  4. FTX e suas afiliadas declararam falência

Isso é tudo aconteceu. 

Ainda não temos certeza sobre os esquemas FTX-Alameda. Aqui está uma explicação do colapso da FTX visto no Reddit:

FTX Collapse explicado através de um diagrama no Reddit
Plano de dinheiro infinito da FTX: Reddit

Aqui está o que está acontecendo

O hack

11 de novembro de 2022, após o pedido de falência, as carteiras FTX (incluindo os EUA) testemunharam hacks de carteira. Mais de $ 663 milhões foram drenados. E embora alguns pareçam saques, cerca de US$ 450 milhões podem estar em fundos roubados. O hacker, que não foi identificado, pode ter usado a Kraken para movimentar fundos. 

Além disso, o hacker está fazendo vários saltos para movimentar fundos sem ser pego. A partir de agora, neste momento, ele detém US$ 288 milhões em fundos, todos avaliados em ETH, já que trocou stablecoins por eles. Ele é agora o 35º maior detentor de ETH globalmente.

O hack reduz ainda mais as chances de recuperar os fundos do cliente. No entanto, as investigações estão em andamento.

O comentário

As consequências da FTX deixam o atual CEO, John Ray III, boquiaberto. Ele comentou que não tinha visto tal falha acontecer. Ele acha que isso é pior do que o cenário de falência da Enron. E ele, sendo o responsável pela reestruturação da Enron, saberia o quanto a Enron caiu.

A investigação

A FTX agora é até mesmo um tópico de trapaça criminosa. A FTX Bahamas pode ter funcionários interna e romanticamente envolvidos com conhecimento de apropriação indevida de fundos. Mais coisas devem ser descobertas em breve.

O que pode acontecer a seguir?

A indústria de criptomoedas precisará trabalhar em muitas coisas. Mas primeiro, deve haver padrões claros, que são voluntariamente escolhidos e transparentes. Os regulamentos podem ou não vir mais tarde.

A Binance também iniciou uma discussão sobre prova de reserva que agora está revelando muitas coisas sobre outras empresas de criptomoedas.

Por exemplo, em meados de novembro, a Crypto.com enviou quase US$ 400 milhões em fundos em ETH para um endereço errado – o endereço de uma exchange. Espere. Foi para ajudar outra empresa a mostrar uma imagem melhor de comprovante de reserva e uma parte significativa dos fundos dos clientes? 

Em breve saberemos. 

Mas algumas revelações continuam caindo. Aqui está outro que diz que a FTX pode ter apenas US$ 659.000 em tokens (pelo valor justo). Anteriormente, o SBF projetava o mesmo em US$ 5,5 bilhões. 

E à medida que o processo de falência se desenrola, continuamos encontrando novos demônios escondidos no armário, incluindo:

  1. O SBF esqueceu-se de levar em consideração as responsabilidades do cliente. O que dizer, um senhor honesto?
  2. Falha na gestão de caixa
  3. E o rascunho da falência revela que a FTX nem sequer manteve um registro quase kosher de livros ou qualquer coisa. Falha completa e total.
  4. Além disso, não havia departamento de contabilidade. 

Aqui está um tópico do Twitter com várias outras revelações:

O que é (era) FTX antes do colapso?

colapso ftx explicado

FTX é uma plataforma de negociação/troca de criptomoedas baseada nas Bahamas. Sam Bankman-Fried (SBF), formado pelo MIT, fundou a FTX em 2019. No início de novembro (antes que as coisas ficassem feias para o FTX), era a segunda maior exchange centralizada em volume depois da Binance.

Mas espere, se a FTX fosse apenas uma plataforma para reunir compradores e vendedores de criptomoedas (o que uma exchange faz), como ela se encontrou no centro desse caos? Não vamos nos antecipar. Com o tempo, chegaremos a toda a história do crash da FTX. 

Mas primeiro, vamos ver o que a FTX conseguiu em seu tempo.

A FTX teve o apoio de grandes investidores como Temasek, Softbank e Sequoia. E rapidamente disparou em termos de volume de negócios, registrando quase US$ 2 bilhões em seu pico. Liderada pelo SBF, a FTX era um nome “Squeaky Clean” em criptomoedas. A plataforma estava indo bem, ganhando fama com toda a publicidade promocional que o dinheiro podia pagar. E dinheiro era algo que a FTX tinha de sobra.

Foi em maio de 2022 que a FTX expandiu sua visão apresentando a funcionalidade de negociação de ações. Essa iniciativa foi liderada pela FTX US — a divisão americana da plataforma. A FTX até tinha seu próprio token, o token FTT, que estava realmente indo bem antes de novembro de 2022. Além disso, as participações de Solana da empresa irmã Alameda Research realmente fizeram grandes coisas para a ação de preço da SOL. A FTX era grande e levava consigo tudo o que tocava.

Mas isso não é tudo o que se destacou. A FTX se promoveu bastante. E ainda investiu e adquiriu várias outras empresas durante sua ascendência.

Vamos reviver aqueles bons e velhos tempos da FTX, quando o marketing agressivo era uma norma para a plataforma liderada pelo SBF.

Observação

Atualmente, John Ray III – um especialista em reestruturação – substituiu Sam Bankman-Fried como CEO da FTX.

Direitos de nome

Em junho de 2021, a FTX assinou um contrato de $ 135 milhões com o Miami-Dade Country e o Miami Heat para ter seu nome exibido na arena de Miami – o estádio do Miami Heat – pelos próximos 19 anos. No entanto, o negócio agora parece estar morto na água, já que a FTX entrou com pedido de falência. Conseguir os naming rights para a área de Miami foi um dos muitos acordos de patrocínio esportivo que entraram em vigor quando a FTX estava voando alto.

A falência da FTX levou ao desmantelamento da placa na arena FTX.

Anúncios do Super Bowl

Normalmente, não vemos empresas de criptomoedas exibindo anúncios durante grandes eventos esportivos. E isso também durante um mercado em baixa – sem chance alguma! A FTX não pensou assim quando seu anúncio extremamente popular do Super Bowl foi ao ar durante o evento. 

O conceito era simples. O anúncio era sobre uma personalidade menosprezando todas as invenções que definiram uma era, como a roda, o banheiro e até a lâmpada. No final do anúncio, a personalidade foi vista zombando da FTX – uma maneira segura e fácil de entrar no mundo das criptomoedas. E ele completa dizendo que nunca está errado sobre esse tipo de coisa. Um anúncio sarcástico, mas arrogante, que aumentou rapidamente as paradas de popularidade. 

A FTX supostamente teve que desembolsar mais de US $ 6,5 milhões por aquele anúncio de 30 segundos no Super Bowl. 

Colocando Larry David no redil

A FTX conseguiu Larry David – um comediante americano e co-criador de Seinfeld – para seu anúncio no Super Bowl. 

Enquanto Larry David previu que a FTX não era a maneira segura e fácil de entrar no mundo das criptomoedas, isso só parecia sarcástico e engraçado na época. Em novembro de 2022, todo aquele sarcasmo mostrado por Larry David faz muito sentido, já que a FTX realmente não conseguiu.

O anúncio de Larry David fez da FTX uma das marcas mais retuitadas do Super Bowl. 

Outros patrocínios da FTX

Enquanto o nome certo da arena de Miami e o anúncio do Super Bowl com Larry David atraíram mais atenção, a FTX forjou outros patrocínios ao longo do caminho. Em 2021, veio à tona o acordo de patrocínio entre Mercedes e FTX. No entanto, a falência da FTX agora significa que o negócio deixa de existir. 

Em 2021, a FTX entrou na arena dos esportes eletrônicos ao assinar um contrato com a TSM – referente à série LoL (League of Legends). Logo depois, FTX e Furia – outra organização de Esports – deram as mãos. No entanto, o contrato de um ano com a Furia não está mais ativo. 

Além disso, a MLB (Major League Baseball) foi vista firmando uma parceria de cinco anos com a FTX em 2021. Isso não é tudo; A FTX tem laços com esportes universitários, entrando em um acordo de “Naming Rights” com a Universidade da Califórnia em 2021 por uma grande soma de US$ 17,5 milhões.

Estrelas do esporte como Gisele Bündchen e Tom Brady têm associações com a FTX, já que ambos possuem ações da empresa. Com o pedido de falência da FTX, o patrimônio líquido de Tom Brady e Gisele Bündchen já foi atingido. 

Tudo isso mostra como a FTX foi ativa em se promover. Cada movimento feito fazia maravilhas para seu token FTT.

O que é o token FTT?

Líquido de Câmbio FTX FTT SBF

O FTT é o token nativo da FTX e uma das principais razões pelas quais o colapso da FTX se acelerou. É um token de utilidade que garante que os clientes obtenham um desconto na taxa de negociação. Funciona até como um token de troca, permitindo que os usuários implantem o mesmo como garantia contra posições futuras. Com a falência da FTX agora alta e clara, o token FTT não parece tão útil no momento.

O colapso do token FTT: razão para o colapso da FTX?

Embora veremos as razões para o colapso da FTX mais adiante neste post, vamos primeiro dar uma olhada no colapso do token FTT. 

Mas antes disso, vejamos o histórico de preços do FTT:

O token FTT subiu para US$ 85,02 em setembro de 2022. Mesmo no início de novembro de 2022, o preço do FTT estava bem acima da marca de US$ 22. Espere, pois discutiremos o significado de US$ 22 mais tarde.

Colapso do FTX e queda dos preços do FTT
Gráfico FTT/USDT por TradingView

O colapso do token FTT ocorreu quando o CEO da Binance, CZ (Changpeng Zhao), twittou em 6 de novembro que a Binance planeja vender o estoque de FTT que recebeu da FTX durante o desinvestimento. Ele declarou esse movimento como uma reação a algumas “revelações recentes”. Nós chegaremos a isso mais tarde.

Com a FTX voando alto e o FTT indo relativamente bem para o token nativo de uma exchange cripto, Sam Bankman-Fried rapidamente ganhou o título de super-herói cripto. Portanto, é apropriado discuti-lo antes de nos aprofundarmos na falência da exchange.

Quem é Sam Bankman-Fried?

Sam Bankman-Fried

Sam Bankman-Fried, ou melhor, Samuel Bankman-Fried, foi o garoto-propaganda da criptomoeda por quase seis meses. Chegando ao segundo plano, ele fundou a FTX – a agora falida trading e sua afiliada americana FTX US – uma ajuda para a Three Arrows Capital e Celsius durante o acidente da Luna.

Mas isso não é realmente quem ele é. Vamos nos aprofundar na vida de um homem que acenou para o novembro mais sombrio da história das criptomoedas. 

Quem é ele, de verdade?

Houve um tempo em que Sam Bankman-Fried rapidamente capitalizou o frenesi cripto e se tornou o mais rico do mundo quando se trata de jovens de 29 anos. Aos 29 anos, seu patrimônio líquido era de US$ 22 bilhões. O colapso de US$ 60 bilhões da Luna-Terra o projetou como um herói. Especula-se que ele viu a crise como uma oportunidade de ganhar mais dinheiro enquanto resgatava algumas organizações centralizadas afetadas. 

Ele ajudou a BlockFi – um credor de criptomoedas – com US$ 750 milhões. E enquanto esse patrimônio líquido sofreu uma derrota em 2022, ainda em torno de US $ 15 bilhões, ele estava procurando jogar o jogo longo. No entanto, as coisas não funcionaram exatamente como ele havia planejado. Veremos o porquê.

Quem eram os pais de Sam Bankman-Fried?

SBF é filho de dois professores de Stanford – Barbara Fried (mãe) e Joseph Bankman (pai). Ele entrou no universo das criptomoedas com muita experiência em negociação, onde negociou ETFs como parte de uma empresa de negociação quantitativa. Anos depois, ele estabeleceu um para si mesmo. Especula-se que seu pai ocupou um cargo importante em uma de suas ambiciosas organizações.

Qual era o seu lema?

Bankman-Fried era um altruísta autoproclamado, e seu lema era denominado “altruísmo eficaz”. Isso significava que ele estava sempre mais do que disposto a doar todo o seu dinheiro como um ato altruísta.

No verdadeiro sentido, ele desistiu de todo o dinheiro de seus clientes, ou a maior parte dele. A queda da FTX fez com que todos questionassem seu lema de altruísmo eficaz.

O que foi o projeto de lei “DeFi Kill”?

Em outubro de 2021, Sam propôs os “Possíveis padrões da indústria de ativos digitais”, onde propôs algumas ideias de regulamentação de criptomoedas. As ideias limitariam, de certa forma, a expansão do DeFi adicionando os seguintes recursos, como lista negra de endereços e qualificação de investimento em criptografia. A comunidade cripto denominou isso como um projeto de lei de morte de DeFi, lentamente fazendo com que o SBF caísse em desgraça em toda a comunidade.

Aqui está o rascunho do projeto de lei que ele estava especulando. 

E tudo isso aconteceu dias após as promessas insanas de doação de US $ 1 bilhão durante as eleições presidenciais de 2024 nos EUA. 

Doações

O SBF fez agressivamente doações para a campanha presidencial de Joe Biden em 2020 no valor de US$ 5,2 milhões. O CEO da FTX chegou a fazer um aporte de US$ 16 milhões para os gastos do PAC (Comitê de Ação Política) em 2022. No entanto, as coisas saíram do controle quando ele disse que suas doações em 2024 podem chegar a US$ 1 bilhão, durante uma entrevista em podcast

Primeiro, as doações e depois o rascunho matador do DeFi! Vamos ligar os pontos, certo?

Mas essas não eram razões grandes o suficiente para forçar a FTX a declarar falência. Havia outro ator envolvido, chamado Alameda Research.

Entendendo a Alameda Research

Pesquisa Alameda

A Alameda Research é uma empresa comercial quantitativa de criptomoedas. É também a empresa irmã da FTX, um fundo de hedge e também uma criação do SBF. O déficit de BS (Balanço) da Alameda é uma das razões pelas quais a FTX – a exchange de criptomoedas – faliu. A Alameda Research desencadeou o colapso da FTX que definiu uma era.

Lembre-se de que o SBF começou com negociação quantitativa antes de entrar nas criptomoedas. Bem, alguns gostariam que ele não tivesse.

Quem estava no comando da Alameda Research?

Enquanto o SBF imaginou a Alameda, à frente dela está Caroline Ellison – uma executiva americana. Foi Caroline Ellison quem disse que a Alameda ficaria feliz em comprar o token FTT da Binance por US$ 22 – já que Changpeng Zhao tinha planos de vender.

Embora tudo seja especulativo, Carolie Ellison pode ser a ex-namorada do SBF. Ela é nativa de Boston e também graduada em Stanford. Sim, e ela também é fã de Harry Potter. Mas isso não importa, não é?

Em quais empresas a Alameda investiu?

Alameda sempre foi um grande investidor em DeFi. E isso não se alinha com o projeto de lei de morte do DeFi! Conforme relatado pela última vez, a Alameda tem investimentos na Messari, Coin98, Voyager, Zenlink e várias outras empresas. Dados da Crunchbase sugerem que a Alameda fez cerca de 185 investimentos nos últimos cinco anos, com a Fordefi aparecendo como um deles.

FTX Collapse: empresas investidas pela Alameda
FTX e spread de investimento Alameda: Fortune

A Alameda também é conhecida por estabelecer acordos DeFi nos ecossistemas SolanaEthereum

Aqui está uma análise da plataforma de análise on-chain Lookonchain, citando as participações da DeFi:

IDOs e manipulação de mercado

Nós mencionamos que a Alameda era um fundo de hedge, certo? Uma empresa que ganha dinheiro dependendo das volatilidades de ação de preço relevantes para criptomoedas específicas ou todas as criptomoedas!

E especulou-se que a Alameda usou o dinheiro da FTX – aqueles alimentados por clientes involuntários – para fazer as negociações. Curtos ou longos, os fundos dos clientes eram garantia. O que mais desencadeou são as questões relacionadas à propriedade conjunta – SBF controlando tanto a exchange de criptomoedas FTX quanto a pesquisa Alameda.

No entanto, esta não foi a primeira vez que Alameda recebeu algumas críticas:

Em 5 de abril de 2022, Sasha Ivanov — CEO da Waves — acusou a Alameda de manipular os preços do token WAVES. Sasha disse que Alameda fez isso de propósito para cobrir uma posição vendida. Isso é vender mais alto e depois comprar a um preço mais baixo assim que o valor da criptomoeda cair. Um caso clássico de manipulação de mercado, diriam muitos!

No entanto, as coisas não terminaram aí. Em outubro de 2022, o fundador da Solend, Rooter, afirmou que a Alameda Research enviou US$ 100 milhões em fundos durante o IDO de novembro de 2021, apenas para inflar o valor de mercado. E quase US $ 80 milhões não foram pagos no final. 

Portanto, agora temos todos os atores no lugar: FTX, o CEO da FTX, Sam Bankman-Fried, o token nativo da FTX, FTT, e a empresa irmã Alameda Research. Agora vamos ligar os pontos.

Explicando o colapso da FTX

FTX colapso explicado

Houve algum sangue ruim na comunidade cripto contra o SBF depois que o rascunho do DeFi surgiu. O CEO da Binance, Changpeng Zhao, criticou sua postura, ao que, em 29 de outubro de 2022, o SBF respondeu com um contra-tweet que dizia que é emocionante ver CZ representando a indústria em DC, mas a questão é: CZ pode estar em DC?

Isso desencadeou alguma confusão política, já que CZ nasceu na China e SBF é dos EUA. Mas isso não é nem o começo dessa luta entre os magnatas das criptomoedas.

Em 2019, a Binance foi um dos primeiros investidores na FTX, pois viu potencial. À medida que a FTX crescia, a Binance optou por desinvestir – considerando a FTX uma ameaça (especulativo) – saindo com tokens no valor de US$ 2,1 bilhões em FTT e BUSD. 

A linha do tempo do colapso da FTX

A revelação do CoinDesk

Tudo começou quando o CoinDesk conseguiu acessar o balanço patrimonial da Alameda. Houve algumas revelações surpreendentes:

  1. A FTT formou uma grande parte das participações da Alameda dos US $ 14,6 bilhões relatados.
  2. Surgiram US$ 6,1 bilhões em FTT, o que foi pelo menos US$ 1 bilhão a mais do que toda a oferta circulante de ITF seria.
  3. Outras participações consideráveis ​​da Alameda incluíam tokens SOL – US$ 863 milhões bloqueados e US$ 292 milhões desbloqueados. 

Isso significava que os laços entre Alameda e FTX eram bastante fortes, contra o que o SBF vinha enfatizando há muito tempo. Também pode significar que a Alameda fez do cliente FTT, que a FTX os fez comprar com descontos promissores na taxa de negociação.

Além disso, em julho, a Binance removeu todas as taxas de negociação de qualquer par BTC, o que trouxe várias pessoas de outras exchanges para a Binance. Xelim FTT como uma oferta de desconto pode ter sido o plano do SBF para combatê-lo, embora com motivos maiores. 

Changpeng Zhao entrou no chat

Dias após a revelação do CoinDesk, Changpeng Zhao foi ao Twitter e disse que, devido às “revelações recentes”, a Binance decidiu vender sua parte dos tokens FTT.

Isso desencadeou uma liquidação em todo o mercado, atingindo gravemente os preços do FTT.

Caroline Ellison – CEO da Alameda – tentou configurar uma rede de compra mencionando que a Alameda compraria alegremente todos os tokens FTT por US$ 22 cada. Mas não ajudou. O FTT começou a sangrar e várias posições foram liquidadas. 

Foi em 8 de novembro de 2022 que o preço do FTT caiu para menos de US $ 22. Tem girado a cauda desde então.

Tweets do SBF

Em 7 de novembro de 2022, SBF twittou que os ativos FTX estão bem, apenas para enviar algum otimismo difícil de encontrar. No entanto, o tweet não existe mais.

tweet da SBF
Tweet agora excluído do SBF: Twitter

Mesmo um tweet de 7 de novembro mencionando que a FTX não investe as participações de seus clientes não existe mais. E tweets excluídos nunca são bons!

Twitter do SBF
Mais um tuíte da SBF, que já foi deletado: Twitter

Até agora, o token FTT havia perdido 83% de seu valor e o patrimônio líquido da SBF caiu de US$ 15 bilhões para US$ 991 milhões. A essa altura, o colapso da FTX era iminente.

Comprar ou não comprar

A perda de valor do FTT causou problemas de liquidez para Alameda e FTX. E o pânico começou a afetar outras moedas digitais, incluindo BTC e ETH. Momentos do dia e SBF twittou que FTX e Binance chegaram a um acordo estratégico.

Para isso, Changpeng Zhao twittou e disse que planeja adquirir totalmente a FTX – ajudando a eles e a todo o mercado com as preocupações de liquidez. No entanto, o destino do negócio depende da devida diligência e de quão kosher são os livros FTX. Além disso, a carta de intenções que os magnatas assinaram não era vinculativa – o que significa que desistir sempre foi uma opção. 

A essa altura, os clientes começaram a ter problemas com seus saques na FTX. SBF enviou uma mensagem a seus funcionários informando que, nos últimos três dias, a FTX processou US$ 6 bilhões em saques e, assim, interrompeu os mesmos no curto prazo. 

Depois de ver que o balanço da FTX não era tão kosher, a Binance desistiu do acordo, deixando os participantes do mercado de criptomoedas se defenderem sozinhos.

Isto é o que Binance twittou:

E embora oaFTX.us fosse inicialmente imune a essa crise de liquidez, o pedido de falência da FTX também não a poupou.

Quem foi afetado pelo colapso da FTX?

O contágio da FTX continua a se espalhar. E muitas empresas que foram previamente investidas pela pesquisa FTX e Alameda começaram a mostrar efeitos catastróficos. A FTX, juntamente com a Alameda Research e 130 outras empresas afiliadas, entrou com pedido de alívio do Capítulo 11 ou falência em 11 de novembro de 2022.

E o pedido de falência pôs fim a uma tumultuada saga do colapso da FTX. Solana e seu preço de token SOL tiveram uma queda acentuada, caindo 33,50% nos últimos sete dias no momento desta publicação. Esperava-se que Solana, sendo a garantia escolhida após o FTT, caísse assim que as consequências do FTX entrassem em vigor. Conforme relatado pela última vez, mais de US$ 700 milhões em fundos foram vistos em dApps nativos de Solana desde que o contágio aumentou de tamanho. A partir de agora, Solana DeFi TVL sofreu um golpe – caindo mais de US $ 300 milhões nos últimos sete dias.

SOL em colapso
Colapso da FTX empurrando Solana para 12º em termos de TVL: Defillama

BlockFi – uma empresa que o SBF uma vez socorreu – já entrou com pedido de falência. Além disso, a Liquid Global – uma exchange que recebeu a ajuda da FTX – interrompeu as retiradas por enquanto.

Revelações recentes mostram que a FTX.us concedeu um empréstimo de US$ 250 milhões à BlockFi. E não foi durante o colapso do TerraUSD, mas em 30 de setembro.

E adivinhe, o empréstimo foi em FTT. Uma vez auxiliado pela FTX, o BlockFi segue a FTX no “Hall of Bankruptcy”.

Novos detalhes após o pedido de falência revelam que a exchange de criptomoedas FTX atualmente deve dinheiro a quase 100.000 credores.

Novos desenvolvimentos

Além disso, a Genesis – um credor de criptomoedas líder que facilitou vários feitiços de geração de rendimento para o mercado mais amplo – agora está procurando uma injeção de liquidez no valor de US$ 1 bilhão. A Gemini – uma exchange líder – está vendo uma saída de BTC em massa. E, finalmente, a Silvergate Capital – uma empresa de criptomoeda com sede na Califórnia – também está olhando para uma corrida bancária, pois especula-se que eles possam ter laços com FTX e SBF.

É um canto em desenvolvimento e continuaremos atualizando quando novos eventos e desenvolvimentos relacionados à superfície de contágio FTX. Por enquanto, tudo o que podemos dizer é que está se espalhando.

O impacto na indústria de criptomoedas é mais amplo

Colapso do FTX e o impacto na indústria cripto

Apesar de começar com a desvalorização do token FTT, as consequências da FTX atualmente afetam o universo das criptomoedas mais amplo. Além disso, o colapso da FTX explicou uma coisa simples para todos nós que nenhuma exchange deveria usar fundos de clientes para assumir posições de negociação, e isso também contra seu conhecimento. O CEO da FTX fez isso por sua própria conta e risco, e agora as consequências da FTX afetam todo o espaço, com empresas como BTC, ETH e SOL continuando sua espiral descendente.

Aqui estão os destaques do mercado a partir de 18 de novembro para ajudá-lo a imaginar melhor as coisas:

  • Solana (SOL) está em 14º lugar na lista por valor de mercado, caindo uma posição abaixo de Shiba Inu.
  • O DeFi-project Serum (SRM) caiu 40% semana a semana devido à sua linhagem apoiada pela FTX-Alameda-Solana.
  • BTC e ETH ainda estão lutando para romper os níveis de quase resistência de US$ 17.000 e US$ 1.250, respectivamente.

No entanto, os HODLers parecem não ter sido afetados pela queda da FTX, já que o BTC experimentou as maiores retiradas semanais das exchanges após o contágio. 

bitcoin
Reservas de câmbio caindo na semana passada: Cryptoquant

No entanto, o tempo dirá o impacto em outras moedas digitais após a queda da FTX, enquanto esperamos que o mercado se estabilize. Atualmente, os fundos dos clientes continuam sendo a preocupação mais importante para a indústria global de criptomoedas. 

Aqui está o que a Binance twittou após esse problema.

Altruísmo ou maldade?

O estado atual em que estamos é liderado por um e apenas o CEO da FTX, Sam Bankman-Fried. E atualmente, seu lema de altruísmo eficaz não vale nada. Com vários clientes, prontos para perder as economias de suas vidas nesta precipitação da FTX, ainda mais com o preço do FTT, pronto para tocar os mínimos de todos os tempos, a escrita agora está em todos.

As exchanges se concentrarão mais em declarar o “comprovante de reserva” no futuro, apenas para mostrar como estão utilizando os fundos dos clientes. A Binance parece ter assumido a liderança nisso, mesmo declarando que os fundos do usuário estão em reservas de armazenamento a frio – que são as carteiras de criptomoedas mais seguras. Além disso, o colapso da FTX até explicou que, se você não possui as chaves, não possui a criptomoeda, tornando a prova de reservas ainda mais importante.

Agora está claro que não foi altruísmo, afinal. Era um plano para ficar rico. Um plano que saiu pela culatra quando uma coisa levou a outra. No entanto, a saga do colapso da FTX não termina aqui. Continuará a ser uma história em desenvolvimento e continuaremos trazendo novos insights à medida que eles aparecerem.

Perguntas frequentes

Por que a FTX quebrou?

Como a FTX entrou em colapso?

Por que a FTX entrou em colapso?

O que está acontecendo com a FTX?

As pessoas perderam seu dinheiro na FTX?

A FTX pode ser confiável?

O que é o colapso da FTX?

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e com o objetivo único de informar. Qualquer atitude tomada pelo usuário a partir das informações veiculadas no site é de sua inteira responsabilidade.
Na seção Aprender, nossa prioridade é fornecer informações de alta qualidade. Nós tomamos o tempo necessário para identificar, pesquisar e produzir conteúdo que seja útil para nossos leitores.
Para manter esse padrão e continuar a criar um conteúdo de excelência, nossos parceiros podem nos recompensar com uma comissão por menções em nossos artigos. No entanto, essas comissões não afetam o processo de criação de conteúdo imparcial, honesto e útil.

Airi-Chaves-2.png
Airí Chaves
Formada em marketing pela Universidade Estácio de Sá e com um mestrado em liderança estratégica pela Unini, escreve para diversos meios do mercado de criptomoedas desde 2017. Já...
READ FULL BIO