Ver mais

Cliente “Seduzido” pelo Atlas Quantum Tenta Receber 7.2 Bitcoin há Dois Meses

3 mins
Atualizado por Caio Nascimento

EM RESUMO

  • Investidor acusa empresa de atraso em saques depois de ser atraído por propaganda na televisão. 
  • promo

Com cerca de 7.2 Bitcoin (BTC), mais um usuário tenta receber suas criptomoedas no Atlas Quantum através da justiça. Neste caso em questão, o investidor pediu o bloqueio de bens em nome do esquema, conhecido por oferta de arbitragem em Bitcoin.
 Ao alegar ter sido “seduzido” pela empresa, o cliente espera desde setembro para receber o Bitcoin que está em posse do Atlas Quantum. Contudo, a justiça indeferiu o pedido de bloqueio de bens, e o homem terá que aguardar pelo julgamento do processo. Em valores atuais, o pedido de cerca de 7.2 Bitcoin (BTC) corresponde a mais de R$ 220 mil, de acordo com a cotação para a criptomoeda. O homem que processa o Atlas Quantum solicitou também uma multa pelo atraso do pagamento, que também foi indeferida pela justiça.

Plataforma é acusada de “seduzir” cliente com “marketing agressivo”

Com mais de R$ 220 mil em criptomoedas retidos no Atlas Quantum, Felipe Scarpa Julião processa a plataforma na Justiça de São Paulo – SP. O investidor espera reaver aquilo que foi custodiado ao negócio que enfrenta problemas com saques de Bitcoin. O cliente da empresa tentou um pedido de tutela de urgência para bloquear bens em nome do Atlas Quantum. Felipe atesta que a empresa o “seduziu”, mediante propaganda na televisão e o uso de celebridades. Atraído pelo lucro prometido pelo Atlas Quantum, o investidor narra que confiou na empresa que opera a custódia de Bitcoin. Até então, o Atlas Quantum conseguia pagar aos usuários uma porcentagem de lucro obtida pela compra e venda da criptomoeda em exchanges distintas.
“Seduzido pelo marketing agressivo das agravadas e promessa de rentabilidade apresentada, acabou por elegê-las como gestoras de sua carteira de investimento, passando a destinar parte de sua receita para a aquisição de Bitcoins.”

Atlas Quantum não paga cliente desde setembro

Felipe conta que inicialmente investiu 3,21607470 Bitcoin (BTC) na plataforma. Este seria o primeiro depósito realizado pelo proponente da ação, que fez outras operações de envio de valores para o esquema. Nos autos do processo consta que ele fez o seu último saque no Atlas Quantum no dia 25 de junho de 2019. Desde então, Felipe espera para receber suas criptomoedas de volta. O cliente da empresa autuada pela (CVM) conta que em 11 de setembro seu saldo era de 7.206475 Bitcoin (BTC). O desespero delecomeçou quando o prazo para saque foi estendido de 1 dia útil para 30 dias. O usuário demonstra que tentou vários contatos com a companhia para tentar receber as criptomoedas de volta. Contudo, nem mesmo telefonemas fizeram com que o pedido de saque em atraso fosse atendido.

Dinheiro não será bloqueado pela justiça

No caso do investidor Felipe Scarpa, a justiça indeferiu o pedido de bloqueio de dinheiro em contas do Atlas Quantum. O pedido, negado duas vezes pela justiça, pede para que a ré se manifeste antes de qualquer bloqueio acontecer. O indeferimento mostra ainda que uma multa diária pelo não pagamento também não será cumprida. Caso fosse aprovada, o Atlas Quantum deveria pagar R$ 5 mil por cada dia em que não devolveu o Bitcoin do cliente. A multa contaria 24 horas e seria aplicada após o deferimento da tutela de urgência. Com o pedido negado, o usuário deverá esperar pelo julgamento para ter acesso de volta a mais de R$ 220 mil em Bitcoin. Você conhece alguém que tem Bitcoin retidos em plataformas como o Atlas Quantum? Comente sobre a notícia e compartilhe no Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Paulo_Jose_basic.jpg
Paulo José
Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados