CBDCs continuam a todo o vapor em 2023

By Shubham Pandey
15 janeiro 2023, 13:00 -03
15 janeiro 2023, 13:00 -03
EM RESUMO
  • O euro digital do BCE começou a ser elaborado neste mês de janeiro.
  • O banco central da Rússia começará a estudar dois possíveis modelos de liquidação transfronteiriços de CBDC neste trimestre.
  • Os analistas políticos estão expressando preocupações, pois os CBDCs podem ser armados como uma ferramenta total de vigilância e controle do estado.
  • promo

A implementação das Moedas Digitais de Banco Central (CBDC) continua a avançar em 2023. Da Europa à Rússia, todos deram passos significativos para acelerar o processo. Mas a que custos?

Mais de noventa por cento dos bancos centrais em todo o mundo estão trabalhando em CDBCs. As regiões se concentraram no desenvolvimento constante, da África à China, para uma implantação tranquila.

A Europa, em particular, está correndo para lançar seu euro digital. Seu segundo e mais recente relatório de progresso, intitulado “Progresso na fase de investigação de um euro digital”, foi publicado no final do ano passado. O Banco Central Europeu (BCE) compartilhou um cronograma acelerado em relação ao seu relatório de setembro de 2022.

Fonte: ECB

Novidades do euro digital para 2023

O BCE tem explorado ativamente um euro digital desde outubro de 2021. Isso foi pouco antes do pico do mercado de criptomoedas, o que não é coincidência. A instituição declarou explicitamente que vê as stablecoins como concorrentes de sua futura moeda. O Banco Central Europeu tem discutido ativamente o desenvolvimento de seu euro digital com entidades públicas e privadas.

Prevê-se que este esquema do euro digital comece a ser elaborado neste momento, ou seja, em janeiro de 2023. A Comissão Europeia pretende propor um regulamento que estabeleça um euro digital no segundo trimestre de 2023. A Even iniciou os preparativos legislativos. Isso significa que o CBDC europeu pode se tornar uma realidade nos próximos anos.

Além disso, o relatório compartilha alguns possíveis projetos para o euro digital. Abstendo-se de recorrer a transações ponto a ponto, o BCE quer que a maioria das transações digitais em euros envolva um intermediário, principalmente os grandes bancos. No entanto, o Banco acabará por controlar a emissão e liquidação do euro digital. Além disso, afirmando que os intermediários atuarão como aplicativos, sites ou carteiras voltadas para o usuário.

Embora a privacidade continue sendo uma prioridade para muitos usuários em relação aos CDBCs, o BCE afirmou que o anonimato completo é impossível com o euro digital. Não apenas por causa de possíveis crimes. Mas, se o euro digital for anônimo, as pessoas poderão proteger seu poder de compra detendo muitos CDBCs. Isso é algo que o BCE não deseja por razões de estabilidade financeira.

Para uso diário, o esquema do euro digital exige que todos os comerciantes da zona do euro não aceitem apenas pagamentos em euros digitais. Mas também pode pagar os funcionários em euros digitais. Também exige que os euros digitais sejam acessíveis a pessoas sem acesso a pagamentos digitais.

CBDC na Rússia

Do outro lado da fronteira, a Rússia está explorando dois possíveis modelos de liquidação de CBDC transfronteiriços neste trimestre. Isso foi em resposta às sanções impostas ao país devido à guerra em andamento com a Ucrânia. O Banco da Rússia compartilhou uma apresentação com o Kommersant, um meio de comunicação local. Insights essenciais foram compartilhados com o BeInCrypto pelo Telegram.

Fonte: Kommersant

Aqui, a proposta apresenta dois modelos que podem ser tomados como versão básica. No entanto, os céticos acreditam que as capacidades tecnológicas e a situação geopolítica provavelmente manterão esses modelos como um conceito de um futuro distante.

A iniciativa faz parte do projeto rublo digital mais amplo. O objetivo é construir uma moeda digital que coexista com rublos monetários e não monetários. Ao contrário das criptomoedas, como o Bitcoin, o rublo digital é projetado para representar um risco mínimo. Principalmente porque será emitido pelo regulador monetário do estado e apoiado por dinheiro tradicional.

  • Ficou com alguma dúvida? O BeInCrypto tem um glossário que pode ajudar a responder a suas dúvidas em relação ao mundo cripto!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter, Instagram e Facebook.

Duas rotas para ficar de olho

O relatório mostra que os dois modelos de CBDC transfronteiriços diferem nos modos de operação e transferência de moeda. O primeiro modelo se baseia em acordos bilaterais individuais entre países para integrar plataformas de moeda digital entre si. Isso exigiria plataformas de países individuais para facilitar a conversão e transferência de formatos entre países de acordo com as regras e padrões acordados.

A segunda opção adota uma abordagem mais centralizada. Aqui, a plataforma individual de cada país será conectada a uma única plataforma de integração. Isso atuará como um facilitador de pagamentos entre plataformas de moeda digital com base em protocolos e padrões unificados. A plataforma integrada servirá como um hub e conectará as plataformas individuais.

O primeiro modelo apresenta uma solução mais direta. Já o segundo modelo garante a transparência, pois todos os países estariam conectados a uma entidade central. Roman Prokhorov, Presidente do Conselho da Associação de Inovações Financeiras (AFI), diz que:

“A implementação de acordos transfronteiriços usando o Centro Central de Exposições dependerá da prontidão, não tanto do lado russo. Aqui, nossa jurisdição para promover o projeto CECB está seguramente em segundo lugar depois da China, mas com a prontidão de nossos parceiros”

Na prática, o esquema de acordo bilateral seria implementado inicialmente, começando pela China, considerando a prontidão tecnológica e política. A abordagem multipartidária parece um conceito futurista, considerando o escrutínio global sobre a invasão da Ucrânia pela Rússia. Mas, além da tensão geográfica, os CBDCs, em geral, apresentam alguns riscos.

Riscos a serem levados em conta

O BeInCrypto cobriu extensivamente os problemas relacionados aos CBDCs, que podem ser transformados em uma ferramenta total de vigilância e controle do estado. Diferentes analistas de políticas disseram o contrário, apesar das tentativas de incorporar a privacidade no CBDC. No ano passado, em um relatório de 28 de novembro, Nick Anthony afirmou que:

“Um CBDC provavelmente seria o maior ataque à privacidade financeira desde a criação da Lei de Sigilo Bancário e o estabelecimento da doutrina de terceiros”.

No entanto, as autoridades continuam a tomar medidas para implementar o controle de CBDCs. Agora, 2023 pode ser uma era crucial para entender as implementações práticas desses ativos.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.