Ver mais

Bitcoin BRC-20, BRC-21 e Ordinals: entenda os padrões de tokens

12 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • BRC-20, sua relação com as 'meme coins' e os problemas gerados por essa associação. O novo padrão BRC-21 proposto.
  • Como comprar e armazenar BRC-20? Como configurar uma wallet BRC-20? Visão geral do Unisat Marketplace. Detalhamento do mercado de Ordinals: o mercado on-chain no Bitcoin e suas limitações. Teste de aquisição NFT ‘on-chain’ e questões envolvendo taxas.
  • Prós e contras dos Ordinals.
  • promo

    O BRC-20 é um novo padrão de token na blockchain do Bitcoin, que está possibilitando que memecoins tomem de assalto o mundo cripto novamente. Mas porque isto é um grande inconveniente para casos de uso na vida real.

    Há uma batalha acontecendo neste momento no blockchain Bitcoin por espaço no bloco e taxas de transação.

    Leia mais: 5 criptomoedas para ficar de olho em junho

    Os Maximalistas estão furiosos com os novos “Ordinals NFTs” que estão ‘congestionando’ a rede do Bitcoin via BRC-20. E apesar da melhora da situação na última semana, parece que os problemas causados na mais antiga e segura blockchain em operação estão longe de acabar.

    Vamos entender o por quê neste “wrap-up” sobre o tema.

    BRC-20 e sua relação com as ‘meme coins’

    Seguindo a linha do ERC-20 da ethereum,  a ideia do BRC-20 é criar tokens fungíveis por meio do protocolo Ordinals.

    No entanto, em vez de usar contratos inteligentes, os tokens BRC-20 exigem uma carteira de Bitcoin para cunhar e negociar tokens.

    E com memecoins como “Pepe, the Frog” usando cada vez mais o padrão BRC-20 na rede Bitcoin, apesar da aparente calmaria na última semana, a montanha-russa das meme coins promete continuar: a transição já fez com que a capitalização de mercado total desses tokens disparasse, atingindo mais de um bilhão de dólares no momento em que este artigo foi escrito.

    E se você está se perguntando de onde tudo isso veio, esse padrão experimental de token foi criado por um analista anônimo na cadeia chamado @domo.

    Desde então, ele atraiu um grande número de usuários, causando tanto entusiasmo quanto preocupação na comunidade cripto.

    Devido à rede descentralizada do Bitcoin, não há como rejeitá-los e como você pode imaginar, os mineradores obviamente preferem transmitir as transações para as pessoas que estão dispostas a pagar mais.

    Mas nem tudo são flores, como veremos a seguir. 

    O problema causado pelas memecoins

    A explosão e a popularidade do uso do padrão de token BRC-20 pelas meme coins têm provocado o congestionamento da rede Bitcoin, levando ao aumento recorde das taxas de cunhagem e reduzindo a capacidade de transação.

    Em 1º de maio, cerca de 50% das transações de Bitcoin eram de cunhagem BRC-20. Nas duas semanas anteriores, as taxas médias de transação do Bitcoin aumentaram 297%.

    Os desenvolvedores do Bitcoin Core chegaram ao ponto de chamar o tráfego de Ordinals de spam, e a sugerirem a filtragem do tráfego associado.

    O aumento maciço de taxas de transação decentes afetou as exchanges e os usuários em todo o mundo, fazendo com que a Binance suspendesse temporariamente as retiradas de BTC,  gerando preocupações entre aqueles que, em regiões como a África e a América do Sul, realmente dependem do bitcoin para seus pagamentos diários.

    El Salvador, como você deve se lembrar, tornou-se o primeiro país a aceitar o Bitcoin como moeda legal em uma decisão controversa em 2021. Imagine que agora, com o aumento das taxas, as pessoas tiveram que pagar vinte dólares apenas para sacar cem dólares. Ora, em um país onde a renda média varia entre 300 e 500 por mês, isso é um grande problema.

    No entanto, como a inovação tende a ser rápida no espaço cripto e os salvadorenhos podem encontrar alívio na forma da Lightning Network, que é a solução de escalonamento de camada 2 do bitcoin à medida que o BRC-20 ganha força.

    Um novo padrão BRC 21 foi proposto

    Um novo padrão BRC 21 foi proposto para resolver esses problemas de congestionamento.

    Em 7 de maio, Alexei Zamyatin, fundador da Interlay, propôs a introdução do padrão de token BRC-21 para trazer ativos de cross-chain totalmente descentralizados para a rede Bitcoin e usá-los na Lightning Network.

    Esse BRC-21 tem como objetivo permitir que tokens de outras cadeias de blocos sejam cunhados e resgatados na rede Bitcoin. Em resumo, esse padrão oferece uma maneira de cunhar versões BRC-20 de outros ativos de cadeia, como ETH e DAI, na rede Bitcoin.

    Agora que já vimos a relação do BRC-20 com as ‘meme coins‘, os problemas gerados por essa associação, e que você já sabe do novo padrão BRC-21, vamos dar uma olhada na combinação de carteiras com os dapps certos para acessar essa nova ferramenta, e entender qual a praticidade e o custo de entrada para usuários comuns.

    BRC-20 e Ordinals: como comprar e armazenar

    Nossa primeira parada é o unisat.io

    Configuração de uma carteira BRC-20

    No site unisat.io, vamos baixar e configurar nossa carteira BRC-20, o que nos permitirá interagir com o blockchain do Bitcoin.  

    Ao selecionar o download na Chrome Store, será solicitado que adicionemos a carteira ao nosso navegador. Neste momento, selecionamos “ADD extension” para criarmos uma nova carteira. Note que temos a opção para visualizar os endereços, antes da criação da carteira. 

    Agora que já temos uma carteira BRC-20 pronta para uso, vamos entender como enviar recursos a ela para, em seguida, adquirirmos um Ordinal / NFT.

    Abastecendo a carteira

    Precisamos abastecer nossa carteira através de uma exchange cripto.

    Vale dizer que quando comecei este teste de como comprar a armazenar BRC-20 e Ordinals, as taxas na rede não estavam tão altas quando o finalizei  –  o que se tornou um grande problema.

    Por isso, é importante destacar que, se você estiver abastecendo sua carteira com a intenção de usar Ordinais, talvez precise de 0,01 BTC – cerca de R$ 1.350,00 – ou mais, para participar de forma realista de muito do que veremos a seguir. 

    Lembre-se de que, neste momento, ao selecionar “recebimento”, podemos depositar fundos em nossa carteira a partir de uma exchange cripto centralizada (CEx).

    A confirmação pode demorar um pouco mais, dependendo da exchange que você estiver usando. Mas após alguns minutos, podemos ver nossa carteira abastecida – em nosso teste, carreguei a wallet com a quantia de cem mil SATs [Fig 1]. 

    Ao navegar no brc20.io, é possível ver uma lista de ativos negociados na rede Bitcoin. Embora o site brc20.io nos dê uma boa visão geral dos ativos, ele não é o melhor site para negociá-los.

    Usando como exemplo a ‘meme coin‘ Pepe [Fig 2], se rolarmos a página para baixo, vemos os três diferentes mercados disponíveis: unisats, ordinerswallet.com e brc-20.io [Fig 3].

    Olhando para o brc-20.io, temos a lista de mercados disponíveis. Ao selecionarmos “Pepe” nessa lista [Fig 4] e rolando a tela para baixo, vemos algumas das opções de negociação disponíveis [Fig 5]. 

    As opções de compra disponíveis nos levam a restaurar uma carteira usando uma frase-semente?!! Não sei por que eles não oferecem suporte a uma função simples de conexão de carteira. Por esse motivo, não recomendo o uso desse site para negociar ativos em bitcoin.

    De todo modo, ele oferece uma boa visão geral dos mercados atuais. 

    Pois bem, continuando nossos testes no site da UNISATS, vamos escolher o Marketplace e depois, clicar no ‘connect’ para conectar nossa carteira [Fig 6].

    Para acessar o mercado, precisaremos de 20 pontos ‘unisats’ [Fig 7]. Uma publicação no Twitter nos mostra como começar a mergulhar um pouco mais fundo neste mercado.

    Visão geral do Unisat Marketplace

    O tutorial fornecido pela Ignas DeFi Research revela que o custo do mundo real para usar essa exchange específica é algo em torno de US$ 430 ao preço de mercado mais a taxa de gás quando o tuíte foi publicado.

    Lembre-se de que os preços das taxas de transação na rede Bitcoin subiram de duas a quatro vezes desde que esse tweet foi publicado.

    Assim, neste momento, esse valor pode chegar a US$ 1.500, o que não inclui a tomada de posições e ativos. E isso é apenas para obter acesso à Plataforma. 

    Por esse motivo não realizaremos nenhuma etapa diretamente no mercado da unisats.

    Portanto, podemos resumir o que vimos até agora em: altas barreiras à entrada e uma exchange que é proibitivamente cara para se envolver, pelo menos para muitos novatos

    Seguindo com nosso artigo. Agora vamos compreender melhor o que vimos até aqui, vamos explorar algumas das maneiras alternativas de se envolver com esse ecossistema, além do brc20.io. 

    Para tanto, exploraremos três outros marketplaces de Ordinais, cada um desses seis com suporte à corretoras de NFTs  e alguns também com suporte a exchanges de ativos BRC-20.

    Detalhamento do mercado de Ordinals

    Se você estiver procurando em qual mercado trocar um ativo BRC-20, você sempre pode dar uma olhada no detalhamento do mercado em brc-20.io. 

    Alguns ativos, como o Ordi, foram além do mundo on-chain, e agora são vendidos em várias exchanges centralizadas (CEx), incluindo a Crypto.com.  

    Para o teste de nosso artigo, utilizei o gate.io na exploração da carteira Ordinals que usei.

    E aqui, encontrei alguns problemas: 

    Embora fosse possível visualizar as inscrições, inclusive os NFTs, quando tentei comprar um NFT, recebi seguidamente a mesma mensagem de fundos insuficientes. E o pior: essa mensagem era verdadeira!

    Ao longo dos testes, mesmo quando reforçava o saldo da carteira, o valor que existia em um dado momento não era mais suficiente para processar a transação  – devido ao contínuo aumento de taxas que comentamos no início deste artigo. 

    E isto me impediu de assumir uma posição em uma exchange de NFT. 

    Também, tive diversos problemas quando tentei conectar a carteira aos Marketplaces de Ordinals que pareciam não suportar de forma alguma a carteira escolhida. 

    A Unisats era suportada por  todos os outros mercados que exploramos, exceto o ORD swap

    Pontuadas estas questões, veremos a seguir exatamente como funciona um swap on-chain, utilizando os Ordinais do Bitcoin, seja  comprando ativos BRC 20, seja NFTs. 

    O mercado on-chain no Bitcoin

    Vamos acessar a Unisats e selecionar BRC-20 [Fig. 8] na barra superior para visualizarmos um detalhamento dos ativos negociados na Plataforma – que são basicamente altcoins negociados na rede Bitcoin [Fig. 9]

    Se selecionarmos, por exemplo, “Punk”, ele nos mostrará o número de ‘mintagens’ e a oferta atual disponível [Fig. 10]. Ele também nos mostrará os detentores e transferências recentes [Fig. 11].

    Ao selecionarmos “Marketplace”, ele nos permite escolher em uma lista de diferentes Ativos BRC-20 para trocá-los.

    Aqui, vamos selecionar “Ordi”, já que estamos pesquisando de baixo para cima. A primeira opção é a de menor preço [Fig. 12]

    Você notará que há um preço e também um número do que já estamos comprando. Não é possível dividir “o número do pedido”.

    Logo, só é possível interagir com esses pedidos se você estiver interessado em comprar o pedido inteiro.

    Para o primeiro pedido, consideramos um preço total de $ 1.144 dólares, que é o preço que vemos listado aqui [Fig. 13].

    Durante os testes, não consegui identificar nenhuma posição disponível por menos de algumas centenas de dólares, e muitas delas custariam US$ 1.000 dólares ou mais, mesmo para ‘meme coins’ como “Pizza”. 

    É preciso considerar as taxas de transação necessárias para acessar uma das “baskets of funds” (cestas de fundos), que exploraremos mais a frente.

    Limitações 

    A primeira limitação relacionada aos marketplaces de BRC-20 é óbvia: não é possível dividir ativos fora de uma transação. 

    Por que isso acontece? Bem, porque, para representar um token no blockchain do Bitcoin, você precisa atribuir um mínimo de um Satoshi para representá-lo. 

    Note que essa não é a primeira vez que isso foi tentado. 

    Quando a rede Bitcoin estava no seu início, os “Colored Coins” foi um experimento com a mesma tecnologia, tentando produzir um valor alternativo para um único saldo Satoshi. 

    É por essa razão que mudanças nas CEXs podem ser um caminho muito mais fácil de seguir. Vamos explorar como e por quê. 

    Sabemos, ao analisar o BRC-20.io e a listagem do ativo, que o ativo é negociado comprando ORDI em uma exchange centralizada [Fig 14], incluindo a gate.io

    Na gate.io podemos negociar o ativo usando um livro de ordens centralizado [Fig 15], selecionando “compra”. 

    E, em seguida, o Marketplace nos permite fazer uma negociação à taxa de mercado.

    Todavia, após adquirir o ativo, não consegui transferir o que já possuía no gate.io para a rede Bitcoin. Mas pude optar por receber um aviso quando os saques voltarem à normalidade novamente [Fig. 16].

    Pois bem, já garantimos alguns ativos BRC 20 usando uma exchange centralizada, e exploramos completamente as opções disponíveis com esses tipos de tokens. Mas os NFTs no Bitcoin só podem ser acessados on-chain.

    Por isso, a seguir mostraremos como fazer isso do início ao fim, explorando algumas opções diferentes de corretoras NFT no Bitcoin. 

    Aquisição dos Ordinals NFT on-chain

    Após escolher o marketplace de NFTs Magic Eden [Fig 17], por oferecer a opção de conectar minha wallet e apresentar uma ampla gama de diferentes NFTs, o maior problema encontrado para garantir um NFT on-chain foi o custo  das taxas.

    Detalhamento das taxas

    Você encontra um resumo dos custos aqui [Fig 18]. Cada um desses valores de Bitcoin listados são taxas. 

    As duas primeiras são necessárias para financiar a carteira e, em seguida, as últimas taxas são usadas para processar as transações na rede, incluindo a aprovação e, finalmente, a compra do NFT. Busquei os Bitcoins Ordinals “Bitamigos” [Fig. 19], devido ao baixo custo da coleção. 

    Ao consultar o site ordinalswallet.com, achei uma variedade de NFTs disponíveis por um preço baixo de bitcoin. Escolhi um deles [Fig. 20] e selecionei “comprar”. 

    Em seguida, me foi pedido para preparar a wallet para usar os contratos Magic Eden [Fig. 21]. Tal requer a publicação de uma transação on-chain assinada com a Wallet para aprovar a transação. 

    Após o pop-up com a opção para finalizar o processo de compra [Fig. 22], aparece uma prévia do preço de compra e do valor da taxa [Fig. 23]

    Selecionada a opção “assinar”, a transação é processada. Ao acessar meu perfil, o estado da transação já aparece como pendente [Fig. 24]. 

    Quando a transação de compra NFT terminar de ser processada, conseguimos ver nosso NFT por meio da página do perfil, na aba itens. Também é possível ver nosso Ordinal na carteira da unisats [Fig. 25].

    Em seguida, veremos um detalhamento dos pontos negativos e positivos do processo que vimos ao longo dos parágrafos anteriores. 

    Prós e contras dos Ordinais NFTs 

    1) Prós

    O principal ponto a favor , sem dúvida alguma, é o fato de todas as transações on-chain dos Ordinais serem nativas da blockchain Bitcoin e, portanto, imutáveis e publicadas na rede mais segura existente.

    Não há dúvida de que Bitcoin é a blockchain de mais alta segurança do mundo, ainda mais que o Ethereum. E como resultado, quando você publica dados nela, eles estão seguros, imutáveis, e não podem ser alterados. E essa é uma grande vantagem em relação a outros tokens. 

    2) Contras

    2.1) Grande diversidade de sites e dApps.

    Existe uma grande diversidade de sites que mostram a taxa atual por Satoshi por bit, e uma grande diversidade de dApps que mostram os diferentes mercados disponíveis. 

    2.2) Alto custo das taxas

    Esse pode ser um inconveniente de curto prazo, supondo que haja mudanças na rede.

    Contudo, no momento, o alto custo das taxas, como vimos, é certamente uma preocupação. Ou seja, com as taxas equivalendo a 10 vezes ou mais o valor de um NFT, a baixa ou nenhuma liquidez é certamente um problema. 

    2.3) Não há mercados reais em jogo aqui, fora das exchanges centralizadas.  

    Se você participar dessas redes com a expectativa de que poderá vender imediatamente os ativos que vier a adquirir, talvez se surpreenda ao descobrir que isto não será possível.

    2.4) Toda a tecnologia dos Ordinals está relacionada à wallets

    A blockchain Bitcoin não detém nativamente nenhum conhecimento do sistema Ordinals. Ela simplesmente registra as notas que estão embutidas em um único Satoshi e requer uma wallet que entenda o que está acontecendo para interpretar os dados. 

    2.5) Essa nova tecnologia está fragmentando os grupos de usuários 

    Basicamente, há dois grupos diferentes competindo pelo uso da rede Bitcoin. Um desses grupos quer apenas garantir o propósito para o qual o Bitcoin foi criado [ser uma rede monetária peer-to-peer, enquanto o outro está interessado em ampliar as funções da rede Bitcoin.

    Como resultado não hoje temos um movimento unificado em relação aos usuários do Bitcoin e isso pode ser um problema no longo prazo. 

    2.6) A limitação dos padrões estabelecidos 

    Não há um padrão estabelecido de qual carteira as pessoas devem usar ao interagir com o Bitcoin BRC-20. 

    Eu utilizo três tipos diferentes de carteiras, mas pode haver muitas mais disponíveis. 

    A wallet que utilizei para escrever este artigo é uma das mais universais, mas mesmo ela não é aceita em todos os Marketplace.

    Takeaway

    Muitas coisas interessantes estão acontecendo com Bitcoin e os Ordinais, mas a barreira de entrada também é bastante alta.

    O que Satoshi acharia do Bitcoin BRC-20 ou dos Ordinals NFTs não importa. Aonde isto tudo dará, só o tempo dirá. 

    Como vimos, é possível adotar uma abordagem de baixo risco, acessando alguns desses ativos BRC-20 por meio de uma CEX. 

    E quem deseja realmente mergulhar na onda do BRC-20 precisa operar ações na rede, assumindo uma posição em Ordinals NFTs. Mesmo assim, correndo o risco do preço do Ordinal não valorizar o suficiente para cobrir os custos com as taxas despendidas. 

    Mas, e você? Acha que as pessoas são loucas por pagarem a mais por altas taxas só para obterem seus memecoins ou um Ordinal na rede bitcoin?

    Acredita que a integração do BRC-20 com a Lightning Network, ou que a criação do novo padrão BRC-21 será realmente suficiente para lidar com as demandas crescentes do ecossistema cripto?

    Conhecimento é poder! Vamos ver em breve!

    Trusted

    Isenção de responsabilidade

    Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

    image_from_ios-1.jpg
    Tatiana Revoredo
    Tatiana Revoredo é membro fundadora da Oxford Blockchain Foundation. LinkedIn Top Voice em Inovação e Tecnologia. Estrategista Blockchain pela Saïd Business School, University of Oxford. Especialista em Blockchain Business Applications pelo MIT. Especialista em Artificial Intelligence & Business Strategy pelo MIT Sloan & MIT CSAIL. Especialista em Cyber-Risk Mitigation pela Harvard University. Convidada pelo Parlamento Europeu para a “The Intercontinental Blockchain Conference”....
    READ FULL BIO
    Patrocinados
    Patrocinados