Ver mais

Bitcoin atinge mínima de 3 meses. Ativo ainda é uma reserva de valor?

2 mins
Por Martin Young
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • Apesar de atingir uma mínima de 3 meses, o Bitcoin continua sendo uma reserva de valor, superando o ouro em 430% desde março de 2020.
  • A empresa de análises on-chain Glassnode observa que o preço à vista do Bitcoin é equivalente a 13,3 onças de ouro, um aumento de 46% no ano.
  • Enquanto o ouro é lento e constante, o Bitcoin é mais uma montanha-russa, mas ambos são excelentes portos seguros em comparação com a desvalorização do dólar americano.
  • promo

O Bitcoin (BTC) caiu para o seu menor valor desde março. No entanto, o ativo manteve sua reserva de propriedades de valor, superando o ouro por uma grande margem este ano.

A empresa de análises on-chain Glassnode tem comparado o preço do Bitcoin com o preço do ouro. Atualmente, o valor à vista do BTC é equivalente a 13,3 onças de ouro, o que representa um aumento de 46% no acumulado do ano.

Leia mais: 5 criptomoedas para ficar de olho em junho

Bitcoin vs. ouro

Além disso, o Bitcoin superou o ouro por uma margem impressionante de cerca de 430% desde a crise do COVID-19 em março de 2020.

Bitcoin atinge mínima de 3 meses. Ativo ainda é uma reserva de valor?
Fonte: Glassnode

Os dados sugerem que o BTC ainda é considerado uma reserva de valor, apesar de sua atual volatilidade de preços. Desde o início de 2023, o valor da criptomoeda subiu 51,6%. Se contarmos seu preço máximo anual em meados de abril, esse aumento seria o dobro do valor.

Comparativamente, o preço do ouro subiu apenas 6,2% desde o início do ano. O ouro é negociado atualmente a US$ 1.940/oz, caindo 5% em relação à máxima histórica de meados de abril de US$ 2.040/oz.

No entanto, o Bitcoin mais volátil está em uma posição pior, perdendo 63,7% de sua alta histórica de US$ 69.000 em novembro de 2021. A conclusão é que ambos são excelentes reservas de valor ou portos seguros, com o ouro sendo lento e constante e o BTC sendo mais uma montanha-russa.

Por outro lado, o dólar americano desvalorizou significativamente nos últimos anos devido aos altos níveis de inflação. De acordo com os dados da Inflation Tool, a inflação acumulada de 1956 a 2022 é de impressionantes 976%. Isso significa que US$ 100 naquela época equivalem a quase US$ 1.000 agora.

A inflação nos EUA está atualmente em 4%, depois de cair de mais de 9% no ano passado devido aos aumentos nas taxas de juros do Federal Reserve.

Na quarta-feira (14), o Fed anunciou que estava suspendendo os aumentos de juros no mês. É a primeira suspensão desse tipo desde que começou a aumentá-los em março de 2022 em resposta à inflação galopante.

Preço cai para mínima de três meses

O Bitcoin reagiu mal ao anúncio do Fed e ao sentimento do mercado cada vez mais negativo em meio à repressão cripto nos EUA.

O BTC caiu para uma nova mínima de três meses de US$ 24.879 algumas horas atrás. O ativo se recuperou para pairar um pouco acima do nível de US$ 25.000 no momento da redação deste artigo, mas parece cada vez mais pessimista.

Bitcoin atinge mínima de 3 meses. Ativo ainda é uma reserva de valor?

O BTC rompeu seu canal de consolidação de longo prazo e encontrou suporte nos níveis atuais. Uma quebra abaixo desse nível pode ter mais suporte em US$ 23.600, onde saltou várias vezes em janeiro e fevereiro.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados