Ver mais

Inflação nos EUA atinge mínima de 2 anos. Fed vai diminuir os juros?

2 mins
Por David Thomas
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • O aumento do Índice de Preços ao Consumidor dos EUA desacelerou para 4% na base anual em maio.
  • O aumento mensal foi de 0,1%, sugerindo uma pausa iminente na taxa de juros.
  • O PCE e o núcleo do CPI sugerem que o Fed pode aumentar as taxas em julho.
  • promo

A inflação dos Estados Unidos desacelerou para 4% em maio, seu nível anual mais baixo desde março de 2021. Esse movimento pode aumentar as chances de que o Federal Reserve (Fed) suspenda os aumentos das taxas de juros na reunião prevista para quarta-feira (14).

O resultado mensal do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) subiu 0,1%, caindo 0,3% abaixo das estimativas dos analistas – o que fortalece ainda mais a narrativa de que o Fed pause sua política de aumento dos juros.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

Pressões de preços no PCE e CPI sugerem alta em julho

No início desta semana, os mercados futuros previram com 78% de probabilidade a chance do Fed manter as taxas de juros em 5-5,25%, já que o desemprego aumentou de 3,4% em abril para 3,7% em maio. Desde a divulgação do CPI, a probabilidade de haver uma pausa aumentou para 94%.

Inflação nos EUA atinge mínima de 2 anos. Fed vai diminuir os juros?
Fonte: CME Group

O Fed aumentou as taxas 10 vezes desde março de 2022 para induzir a estabilidade de preços depois de manter as taxas em zero e comprar títulos do governo para estimular a economia dos EUA. Agora, os mercados esperam que os aumentos das taxas parem em junho, já que vários indicadores-chave sugerem que a economia está esfriando.

No entanto, o indicador de inflação preferido da instituição, o Índice de Despesas de Consumo Pessoal (PCE), não respondeu tão favoravelmente ao aumento das taxas quanto seu relativo, o CPI.

O PCE cresceu em média 4,3% nos últimos três meses, enquanto os salários cresceram 0,3%. Além disso, o núcleo do IPC, excluindo preços de alimentos e energia, aumentou 0,4% pelo terceiro mês consecutivo em maio.

Inflação nos EUA atinge mínima de 2 anos. Fed vai diminuir os juros?
Fonte: TradingEconomics

Esses números podem levar o Fed a interromper os aumentos em junho e retomá-los em julho. “Não se deixe desviar pela queda da inflação”, disse o economista da Morning Consult, John Leer.

“O Fed pode interromper o aumento das taxas amanhã [quarta-feira], mas terá que aumentar as taxas novamente se quiser domar a inflação.”

Bitcoin rastreia futuros

O Dow Jones Industrial Average subiu 75 pontos após a divulgação dos números do CPI. Os futuros de S&P 500 e Nasdaq subiram 0,3% e 0,6%, respectivamente. Enquanto isso o Bitcoin subiu 1%, para US$ 26.300, mas desde então caiu para menos de US$ 26.100.

O ativo subiu quase US$ 10.000 em relação ao nível de US$ 16.600 em 1º de janeiro de 2023, impulsionado em parte pelas expectativas de que o Fed faria uma pausa ou mesmo reduziria as taxas de juros. Nesse sentido, o anúncio da próxima quarta-feira pode ser um catalisador para o aumento do ativo.

O Resumo das Projeções Econômicas do banco central para o final do ano, também previsto para esta semana, provavelmente testará a confiança dos investidores no Bitcoin como um porto seguro. O relatório provavelmente revisará as expectativas de desemprego e PCE para 4,5% e 3,6% no final deste ano.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados