Ver mais

Binance é criticada por retirar US$ 2,7 bilhões de suas reservas

2 mins
Por Rahul N.
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • A comunidade cripto notou que a Binance movimentou US$ 2,7 bilhões de sua carteira de prova de reservas.
  • A exchange respondeu, dizendo que era uma mudança para uma carteira fria TRX.
  • Os membros da comunidade cripto também duvidam das reservas, dizendo que são inadequadas para o que está no ecossistema BNB.
  • promo

A Binance está recebendo críticas da comunidade cripto depois de movimentar US$ 2,7 bilhões de sua carteira de prova de reservas. A exchange respondeu, dizendo que a mudança era para uma carteira fria da rede Tron (TRX).

Todos os olhos estão voltados para a Binance quando a comunidade cripto notou que a exchange havia movimentado US$ 2,7 bilhões de sua carteira de “prova de reservas”. Outra postagem do Reddit também afirmou que a empresa não possuía prova adequada de reservas na rede BNB.

Alguns membros da comunidade afirmam que a exchange movimentou 2,7 bilhões de USDT 20 horas depois de publicar seu relatório. Observou-se que o endereço de destino não foi mencionado no relatório. 200 milhões de USDT foram posteriormente devolvidos, deixando 2,5 bilhões de USDT na carteira não revelada.

Desde então, a Binance respondeu ao post, observando que a carteira não revelada é uma carteira fria TRX. A empresa afirmou que “os movimentos de ativos [destacados] são resultado de operações padrão que movimentam recursos entre nossas carteiras internas”.

O funcionário da Binance também mencionou que a exchange estava trabalhando com Vitalik Buterin para criar uma prova de reservas em árvore Merkle para fins relacionados. Isso permitirá que as reservas e passivos sejam verificados por código.

No entanto, isso não significa que a exchange passou impune pela comunidade cripto. Em resposta à declaração da Binance, os membros apontaram para um tweet antigo de CZ. Nele, o CEO comentou: “Se uma exchange tiver que movimentar grandes quantidades de cripto antes ou depois de demonstrar seus endereços de carteira, é um sinal claro de problemas. Fique longe. Fique #SAFU.”

Comunidade cripto duvida da Binance

A comunidade cripto também está apontando para o que diz ser uma prova inadequada de reservas para várias moedas. O post dizia que a Binance “não fornece prova adequada de reservas para ativos na cadeia do BNB”. Foi ainda mais longe ao dizer que “a Binance poderia criar tokens falsos no ecossistema BNB que não são respaldados por nenhum ativo subjacente e, em seguida, vender e usar ativos”.

O post aponta vários tokens que não possuem reservas suficientes para o que está circulando no ecossistema BNB. Eles também se referem a um post da Binance falando sobre como a prova de reservas pode ser a solução para os ativos detidos pela exchange.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Outras exchanges também liberam comprovantes de reservas

A Binance não é a única exchange que está publicando comprovantes de reservas. Kraken e Gate.io fizeram o mesmo, incluindo passivos em suas auditorias.

O colapso da FTX levou as principais exchanges a fazer uma auditoria e publicar comprovantes de reservas para convencer seus clientes de que seus fundos estão seguros.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados