Bacen já prepara testes do Real Digital. Saiba a data

3 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • Testes do piloto do Real Digital podem começar em abril de 2023, diz BC
  • promo

O Banco Central do Brasil já definiu os próximos passos para o Real Digital. Eles incluem analisar o nível de privacidade dos dados para garantir o nível máximo de segurança para todos os envolvidos no ecossistema

De acordo com o coordenador do projeto, Fábio Araújo, o foco é analisar o nível de privacidade dos dados e a infraestrutura de testes. Se tudo der certo, o Piloto do Real Digital pode começar a partir de abril de 2023.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Lançamento do Real Digital será definido em 2024

Nós conversamos com o economista do BCB sobre os próximos passos da CBDC brasileira:

  • Quando começarão essas análises?

O Bacen planeja começar a preparar a infraestrutura de testes do Piloto do Real Digital a partir de abril de 2023. Desde o início dessa implantação, as características relevantes do sistema – como interoperabilidade, segurança e privacidade – serão avaliadas.

  • Quando passará por testes para avaliar privacidade de transações? 

Após a implantação da infraestrutura de testes do Piloto do Real Digital, serão efetuadas simulações que avaliarão, entre outras características, a privacidade das transações.

  • Quais são os próximos passos do Real Digital? 

No momento, o Real Digital está concluindo o LIFT Challenge, uma etapa de testes de casos de uso. Em seguida, ainda no primeiro semestre de 2023, ele passará à etapa de piloto, na qual são feitos testes de infraestrutura e privacidade.

Assim que estes testes forem concluídos, será possível a ampliação das funcionalidades do sistema com a perspectiva de atingir, ao fim de 2024, um nível de maturidade do projeto que permita o lançamento do Real Digital.  

Real Digital

Com o Real Digital, o Banco Central fará a ponte para o ambiente DeFi, ligando o sistema bancário ao mundo digital. A expectativa, portanto, é que isso popularize o conceito de tokenização, aumente a eficiência bancária e implemente a interação de tokens com carteira digital. A CBDC brasileira também terá integração com o PIX.

Entre os desafios citados pelo BC estão a escalabilidade, taxas de liquidação, limitações de plataformas Blockchain, interoperabilidade e falta de maturidade sobre as novas tecnologias.

Já as oportunidades listadas pelo Bacen incluem, por exemplo, a redução dos custos de transação e fricções para projetar, distribuir, negociar e liquidar acordos financeiros, auditabilidade, rastreabilidade, transparência, inclusão financeira, ferramentas automáticas ao alcance de todos com transparência e execução não discriminatória.

Empresas como Itaú Unibanco, Santander Brasil, B3, blockchain R3, Microsoft, Visa do Brasil, ConsenSys e Aave estão entre os parceiros selecionados que estão desenvolvendo parte das soluções para implementar o Real Digital.

O presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, disse que a implementação do Real Digital pode ocorrer até 2025. Ele deu a declaração durante uma apresentação no Milken South Florida Dialogues 2023, evento sobre inovações digitais, nos Estados Unidos.

O presidente do Banco Central falou sobre inovações digitais, defendeu a tokenização e a autonomia da instituição.

Campos Neto quer integrar PIX, Open Finance, internacionalização da moeda brasileira e o Real Digital. Ele explica que nos próximos anos, esse processo de inovação levará a “um sistema financeiro cuja concorrência será não só por produto, mas também por canal”.

“Prevemos esses quatro blocos de construção dando origem a agregadores financeiros, permitindo que os clientes acessem informações e serviços de diferentes bancos usando as mesmas aplicações”.

BC participa de edição de texto de Lei Cripto

Após o governo sancionar a Lei nº 14.478 que regulamenta o ecossistema dos criptoativos no Brasil no final de dezembro de 2022, faltava esclarecer quais instituições participariam do processo para regular e fiscalizar os criptoativos.

De acordo com o Valor Econômico, a proposta de texto já está sendo elaborada no Ministério da Fazenda, pelo secretário-executivo Gabriel Galípolo, e pelo secretário de reformas econômicas, Marcos Pinto.

Após a conclusão da redação pelo Ministério da Fazenda, a Casa Civil deverá receber o texto para revisar a proposta. Após essa etapa BCB e CVM devem participar na criação do texto com conhecimentos técnicos para criar normas para empresas de criptomoedas que operam no Brasil.

Ainda não está confirmado oficialmente e nenhum detalhe técnico foi divulgado até agora, mas tudo indica que o BCB deve ser o responsável por regular e fiscalizar corretoras e plataformas de criptomoedas

Já a CVM deve ser a responsável por exemplo, por analisar os valores mobiliários tokenizados, emitidos como security token por empresas do mercado.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

aline.jpg
Aline Fernandes
Aline Fernandes atua há 20 anos como jornalista. Especializada nas editorias de economia, agronegócio e internacional trabalha na BeINCrypto como editora do site brasileiro. Já passou por diversas redações e emissoras do país, incluindo canais setorizados como Globo News, Bloomberg News, Canal Rural, Canal do Boi, SBT, Record e Rádio Estadão/ESPM. Atuou também como correspondente internacional em Nova York e foi setorista de economia dentro do pregão da BM&F Bovespa, hoje B3 -...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados