Ver mais

As criptomoedas que caíram para US$ 0 em 2022

2 mins
Por Valdrin Tahiri
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • LUNA colpasou em maio, depois que o UST perdeu sua paridade com o dólar.
  • SGB perdeu valor durante todo o ano de 2022.
  • FTT caiu depois que a FTX declarou falência.
  • promo

Os principais colapsos de criptomoeda em 2022 envolveram a Terra (LUNA), Songbird (SGB) e o FTX Token (FTT).

2022 foi um ano volátil para a indústria de criptomoedas, embora a ação de preços nos tenha sido decisivamente baixa. Notavelmente, provavelmente será o primeiro ano em que todos os trimestres terão um fechamento de baixa para o preço do Bitcoin (BTC). Este ano deixou claro que o mercado passa por um inverno cripto.

Vários projetos de criptomoedas colapsaram ou foram abandonados, deixando uma comunidade devastada para trás. Embora o Bitcoin esteja familiarizado com essas falhas na indústria, alguns outros projetos não conseguiram se recuperar e talvez nunca o façam.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

LUNA: o maior crash cripto de 2022

A principal queda no mercado em 2022 ocorreu com a Luna (Terra). Depois do UST, a stablecoin algorítmica do ecossistema Terra perder sua paridade com o dólar em maio, o fundador da Terra, Do Kwon, investiu US$ 1,5 bilhão em capital para aliviar as preocupações do mercado.

No entanto, as tentativas não deram certo e causaram uma espiral mortal que derrubou o preço da Luna e UST. Posteriormente, o token foi renomeado para Luna Classic (LUNC), enquanto um novo token foi criado e denominado de Terra (LUNA).

Desde a queda massiva (destacada), a LUNA saltou ligeiramente e está negociada atualmente a US$ 1,30. Isso ainda está 99% abaixo do seu preço recorde, de US$ 119,6. Além disso, não há suporte abaixo do preço atual, permitindo a possibilidade de um novo colapso.

Finalmente, como não há mais stablecoin algorítmica apoiada pela LUNA, não há mais função ou propósito inerente para o token.

Gráfico da LUNA no TradingView

Songbird cai para US$ 0,01

O preço do Songbird caiu 98% desde sua alta de US$ 0,43. É possível que a queda tenha ocorrido como resultado do atraso extremo no airdrop do Flare (FLR), anunciado há mais de dois anos. Como o Songbird é a rede canário do Flare, o não cumprimento dos prazos pode ter causado uma queda no preço do SGB.

No entanto, espera-se que o Flare finalmente conclua seu airdrop em janeiro de 2023. Isso pode ter um efeito positivo no preço do SGB. O preço do token está negociado atualmente na mínima histórica de US$ 0,01. Não há sinais de reversão até o momento.

Gráfico do SGB no TradingView

FTT: o crash mais recente do mercado cripto

Embora não tenha caído tecnicamente para US$ 0, o preço do FTT perdeu 99% de seu valor em relação a máxima histórica e está atualmente em US$ 1. A queda começou em 8 de novembro, depois que começaram a circular rumores de que a FTX estava insolvente. Pouco depois, a corretora declarou falência. Sam Bankman-Fried, o CEO da companhia, agora está enfrentando processos na justiça.

Da mesma forma que a Luna, o FTT está negociado perto de uma mínima histórica. Além disso, não há mais uso para o token, pois a exchange agora está falida. Como resultado, as chances de recuperação parecem mínimas.

Gráfico do FTT no TradinView

Para concluir, três dos maiores colapsos cripto em 2022 foram LUNA, FTT e SGB. Enquanto os dois primeiros ativos digitais parecem ter poucas chances de recuperação, o SGB pode se recuperar em janeiro de 2023.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados