Ver mais

O que são ativos sintéticos?

12 mins
Traduzido Anderson Mendes

Juntamente com a revolução das finanças descentralizadas (DeFi), outro desenvolvimento inovador está ganhando impulso no mundo financeiro – os ativos sintéticos. Estes instrumentos financeiros poderão mudar drasticamente a forma como investimos, gerimos riscos e acedemos aos mercados globais. Eles prometem desencadear uma nova onda de oportunidades que as finanças tradicionais não conseguem igualar.

Neste guia, exploramos tudo o que você precisa saber sobre os ativos sintéticos, incluindo como funcionam, sua importância nos mercados financeiros, seus benefícios e muito mais.

O que são ativos sintéticos?

Ativos sintéticos, ou “sintetizadores”, como são frequentemente chamados, são essencialmente derivativos tokenizados. Para quem está fora deste mundo, um derivativo é um instrumento financeiro com um valor vinculado ao de outro ativo por meio de um contrato. Eles refletem os movimentos de preços e o comportamento de ativos tradicionais, como ações, commodities ou moedas, mas sem exigir que você possua o ativo subjacente real.

No contexto cripto, estes são ativos artificiais enraizados em derivados financeiros complexos e contratos inteligentes em redes blockchain – muitas vezes dentro de ecossistemas DeFi.

Algumas das principais características de um ativo criptossintético incluem a capacidade de:

  • Criar contratos inteligentes em plataformas descentralizadas como a rede Ethereum
  • Acompanhar com precisão os preços dos ativos
  • Garanta o valor do ativo subjacente usando garantias
  • Crie derivativos flexíveis.

A beleza dos ativos sintéticos é que eles abrem possibilidades para os usuários do setor DeFi. De repente, toda uma gama de ativos e mercados financeiros está ao nosso alcance, o que significa menos dependência dos intermediários tradicionais.

No entanto, deve ser destacado que estes não são investimentos comuns. Eles são complexos, arriscados e exigem uma compreensão sólida da mecânica subjacente. Então, faça sua lição de casa e só então prossiga (com cautela).

Ativos sintéticos: história e evolução

O conceito de ativos sintéticos está enraizado nas finanças tradicionais (TradFi), onde derivados como futuros, opções e swaps têm sido utilizados há muito tempo para cobrir riscos e ganhar exposição a vários mercados financeiros. No entanto, a ascensão da tecnologia blockchain deu origem a uma nova geração de ativos sintéticos.

A evolução começou com a introdução de plataformas DeFi como Synthetix, que permitia aos usuários criar e negociar ativos sintéticos na blockchain Ethereum. O Synthetix foi lançado em 2018. Ele revolucionou o espaço em um período relativamente curto, permitindo a criação de sintetizadores apoiados por seu token nativo, SNX. Outras plataformas, como o Mirror Protocol, logo se seguiram, permitindo a criação de ativos sintéticos representando ações, commodities e moedas.

À medida que o setor DeFi ganhou força, os ativos sintéticos evoluíram para oferecer produtos financeiros mais sofisticados e diversificados. Começaram a oferecer exposição a ativos do mundo real, como ações e matérias-primas, num ambiente descentralizado e sem confiança, ampliando o seu apelo e usabilidade.

Por que os ativos sintéticos são cada vez mais populares

Os ativos sintéticos desempenham um papel crucial no mercado financeiro. A sua importância pode ser destacada em diversas áreas-chave:

Acessibilidade e inclusão

Não importa onde você esteja ou quão limitados sejam seus fundos, os ativos sintéticos permitem que os usuários acessem várias classes de ativos. Esqueça taxas pesadas, obstáculos regulatórios e restrições geográficas. Isto é particularmente significativo para os investidores em regiões desfavorecidas, que agora têm um lugar na mesa financeira global.

Liquidez e eficiência

Os ativos sintéticos podem melhorar a liquidez do mercado, transformando ativos do mundo real em tokens. Eles possibilitam que os investidores possuam frações dos ativos subjacentes, o que elimina a necessidade de capital maciço. Escusado será dizer que isto garante uma alocação de capital mais suave.

Gerenciamento de riscos

Tal como os seus homólogos tradicionais, os ativos sintéticos permitem aos investidores enfrentar de frente a volatilidade do mercado. Por exemplo, um investidor pode utilizar ativos sintéticos para obter exposição a uma mercadoria sem deter o ativo físico. Dessa forma, eles não precisam se preocupar com os riscos de armazenamento e transporte. Esta flexibilidade é inestimável para estratégias de diversificação de carteiras e gestão de risco.

Como os ativos sintéticos funcionam?

Vamos dar uma olhada nos bastidores dos ativos sintéticos para ver como eles funcionam. No centro desta tecnologia estão vários componentes críticos:

  • Blockchain: As criptomoedas sintéticas são construídas em plataformas blockchain, que fornecem um livro-razão descentralizado e imutável para registrar todas as transações. Este livro-razão garante transparência e segurança, garantindo que ninguém possa mexer nos dados.
  • Oráculos: Os oráculos são cruciais no funcionamento dos ativos sintéticos. Eles atuam como pontes entre a blockchain e o mundo real, fornecendo dados em tempo real sobre os preços dos ativos subjacentes. Os oráculos extraem informações de preços de várias fontes e as alimentam na rede blockchain. Isto é crucial porque garante que os ativos sintéticos reflitam com precisão o verdadeiro valor de mercado dos ativos que representam.
  • Garantia: você precisa oferecer garantias para criar um ativo sintético. Isso geralmente é feito na forma de criptomoedas como Ether (ETH) ou token nativo de uma plataforma. É como fazer um depósito para garantir um empréstimo. O valor desta garantia deve ser superior ao valor do ativo sintético que está sendo criado, prática conhecida como sobrecolateralização. Isto é para garantir que o ativo sintético mantenha o seu valor mesmo que o mercado fique descontrolado.
  • Tokenização: Tokenização é o processo de conversão de direitos de um ativo em um token digital na blockchain. Para ativos sintéticos, isto significa criar representações digitais de ativos do mundo real, como ações, commodities ou moedas fiduciárias. Esses tokens podem então ser negociados em exchanges descentralizadas, o que proporciona aos investidores exposição ao ativo subjacente sem propriedade direta.

Contratos inteligentes e plataformas descentralizadas

Contratos inteligentes e plataformas descentralizadas são fundamentais para a criação e gestão de ativos sintéticos. Veja como eles funcionam em uníssono:

  • Os contratos inteligentes aplicam e executam automaticamente os termos quando as condições predefinidas são atendidas. No contexto dos ativos sintéticos, os contratos inteligentes tratam da emissão, negociação e resgate desses ativos. Por exemplo, quando um usuário deseja criar um ativo sintético, um contrato inteligente irá bloquear a garantia necessária e emitir o token sintético correspondente. Este processo não é confiável e é automatizado, o que reduz a necessidade de intermediários.
  • Plataformas descentralizadas como Synthetix e Mirror Protocol fornecem a infraestrutura para a criação e negociação de ativos sintéticos. Eles operam em redes blockchain, principalmente o Ethereum, aproveitando contratos inteligentes para gerenciar todo o ciclo de vida dos ativos sintéticos.
  • As plataformas utilizam frequentemente pools de liquidez para facilitar a negociação de ativos sintéticos. Os provedores de liquidez depositam pares de tokens nessas pools, permitindo assim que os usuários negociem ativos sintéticos sem depender de carteiras de pedidos. Este mecanismo proporciona liquidez contínua e reduz a derrapagem de preços, ao mesmo tempo que melhora a experiência geral de negociação.
  • Governança e incentivos: Muitas plataformas de ativos sintéticos são governadas por organizações autônomas descentralizadas (DAOs), onde os detentores de tokens podem propor e votar em alterações no protocolo. Este modelo de governação descentralizado garante que a comunidade tenha uma palavra a dizer no desenvolvimento e operação da plataforma. Além disso, as plataformas incentivam frequentemente a participação através de recompensas para fornecedores de garantias e fornecedores de liquidez. Isso incentiva o crescimento e a estabilidade do ecossistema.

Tipos de ativos sintéticos

Os ativos criptosintéticos estão disponíveis em várias formas. Algumas das mais comuns são:

Stablecoins sintéticas

As stablecoins sintéticas imitam o valor de moedas fiduciárias, como o dólar americano, o euro, o iene japonês ou a rupia indiana. Estes ativos digitais permitem aos utilizadores negociar e manter valores monetários em plataformas descentralizadas, proporcionando assim um meio de cobertura contra o risco cambial ou de participação em mercados cambiais sem necessidade de trocas de moeda tradicionais.

Ações sintéticas

As ações sintéticas reproduzem o valor e o desempenho das ações tradicionais sem exigir a propriedade das ações reais. Esses ativos digitais permitem que os investidores ganhem exposição aos movimentos de preços das empresas de capital aberto. Desta forma, os utilizadores podem facilmente negociar e investir em ações através de plataformas descentralizadas. Por exemplo, plataformas como o Mirror Protocol oferecem versões sintéticas das principais ações.

Commodities sintéticas

As mercadorias sintéticas representam o valor das mercadorias físicas, como ouro, prata, petróleo e produtos agrícolas. Ao deter mercadorias sintéticas, os investidores podem especular sobre os movimentos de preços destes ativos sem lidar com a logística de armazenamento físico e transporte. Esta forma de investimento proporciona uma forma conveniente e eficiente de obter exposição aos mercados de commodities.

Outros tipos

Além de ações, commodities e moedas, os ativos sintéticos também podem representar outros instrumentos e índices financeiros:

  • Índices sintéticos: acompanham o desempenho de índices de mercado como o S&P 500 ou o NASDAQ. Os investidores podem obter exposição diversificada a uma gama de ativos dentro de um índice sem deter os componentes individuais.
  • Imóveis sintéticos: Estes ativos imitam o valor dos imóveis (incluindo imóveis fracionados), permitindo aos investidores obter exposição aos mercados imobiliários sem propriedade física.
  • Criptomoedas sintéticas: são projetadas para replicar o valor de outras criptomoedas, o que torna mais fácil para os usuários obter exposição a diferentes ativos cripto sem realmente deter essas moedas. Isso é útil para estratégias de negociação e investimento entre cadeias.

Ativos sintéticos vs. derivativos tradicionais

Estrutura

Os criptossintéticos são representações digitais de ativos tradicionais criados usando tecnologia blockchain e contratos inteligentes. Eles replicam o valor e o comportamento dos ativos do mundo real sem exigir propriedade direta. Estes ativos são geridos em plataformas descentralizadas, contando com garantias e contratos inteligentes para garantir o seu valor e funcionalidade. Utilizam oráculos para obter dados de preços em tempo real, garantindo que os ativos sintéticos refletem com precisão o valor dos seus homólogos subjacentes.

Os derivativos tradicionais, por outro lado, são contratos financeiros cujo valor deriva de um ativo subjacente, como ações, commodities, moedas ou índices. Os tipos comuns incluem futuros, opções e swaps. Esses contratos são normalmente negociados em exchanges centralizadas ou em mercados de balcão (OTC). Envolvem acordos legais entre as partes para comprar ou vender o ativo subjacente numa data futura, muitas vezes envolvendo intermediários como corretores ou câmaras de compensação.

Acessibilidade e participação

Os criptossintéticos são acessíveis a qualquer pessoa com conexão à Internet e carteira digital. São negociados em DEXs, o que significa que estão disponíveis globalmente sem exigir os serviços de quaisquer intermediários financeiros tradicionais. Estes instrumentos democratizam o acesso a diversas classes de ativos, permitindo que os pequenos investidores participem em mercados que poderiam ter sido anteriormente inacessíveis devido a barreiras geográficas, regulamentares ou financeiras.

Entretanto, os mercados de derivados tradicionais enfrentam frequentemente barreiras à entrada mais elevadas, incluindo requisitos regulamentares e restrições de capital. Além disso, muitas vezes exigem serviços intermediários. Eles são normalmente mais acessíveis a investidores institucionais e indivíduos com alto patrimônio líquido. A participação em mercados de derivados tradicionais exige frequentemente um nível mais elevado de conhecimentos especializados e um investimento de capital significativo.

Transparência e segurança

As transações envolvendo ativos sintéticos são registradas em blockchains públicas, o que garante maior grau de transparência. Da mesma forma, os contratos inteligentes executam transações automaticamente e reduzem o potencial de manipulação. No entanto, a segurança destes ativos também depende da qualidade dos contratos inteligentes e da integridade dos feeds de dados oracle.

Os mercados de derivados tradicionais, por outro lado, são frequentemente opacos comparativamente. Oferecem visibilidade limitada das transações e posições subjacentes detidas pelos participantes no mercado. Estes mercados dependem de quadros jurídicos e órgãos reguladores estabelecidos para garantir a segurança e fazer cumprir os contratos. No entanto, também estão sujeitos a riscos como o incumprimento da contraparte e falhas sistémicas.

Liquidez e negociação

Os ativos sintéticos beneficiam da liquidez fornecida por exchanges descentralizadas e pools de liquidez. Oferecem maior flexibilidade e acessibilidade, permitindo a negociação contínua sem as restrições dos horários tradicionais do mercado. A negociação de ativos sintéticos é normalmente mais eficiente e rentável devido à eliminação de intermediários e à utilização de mecanismos automatizados de criação de mercado.

Em contraste, a liquidez nos mercados de derivados tradicionais é frequentemente fornecida por criadores de mercado e grandes instituições financeiras. Estes mercados podem sofrer variações significativas de liquidez dependendo das condições de mercado e das alterações regulamentares. Além disso, a negociação de derivados tradicionais envolve frequentemente custos mais elevados devido às taxas cobradas por corretores, bolsas e câmaras de compensação. O processo também pode ser mais lento e complicado devido à necessidade de envolvimento de intermediários.

Prós e contras dos ativos sintéticos

Ativos do mundo real tokenizados RWA

Prós

  • Acessibilidade: Os ativos sintéticos estão disponíveis globalmente através de plataformas descentralizadas. Isto elimina a necessidade de intermediários financeiros tradicionais, ao mesmo tempo que reduz as barreiras à entrada de investidores de retalho.
  • Diversificação: Oferecem exposição a uma ampla gama de classes de ativos e proporcionam fácil acesso a mercados como commodities, ações e moedas.
  • Liquidez: A negociação contínua em exchanges descentralizadas aumenta a liquidez, com pools de liquidez facilitando a compra e a venda em comparação com os ativos tradicionais.
  • Custos de transação mais baixos: As plataformas de ativos sintéticos podem reduzir facilmente as taxas, eliminando os intermediários. Isso, por sua vez, oferece mais retorno para seus investimentos. E não para por aí. A criação de mercado automatizada também agiliza o processo de negociação e minimiza custos.

Contras

  • Volatilidade: O valor dos ativos sintéticos pode ser afetado por flutuações de preços, o que pode afetar significativamente o valor da garantia. Portanto, existe sempre o risco de elevada volatilidade do mercado, levando a rápidas mudanças no valor dos ativos.
  • Preocupações regulamentares: Existe um ambiente regulamentar incerto para os ativos sintéticos, com potencial para futuras alterações regulamentares que poderão afetar a sua utilização e legalidade.
  • Risco de contraparte: A segurança dos ativos sintéticos depende da fiabilidade dos contratos inteligentes, que estão sujeitos a bugs ou vulnerabilidades. Além disso, a sua precisão também depende da confiabilidade dos oráculos.

Principais plataformas de ativos sintéticos

Synthetix

Synthetix é uma plataforma descentralizada na blockchain Ethereum que permite aos usuários criar e negociar ativos sintéticos. Ela usa seu token nativo, SNX, como garantia para cunhar sintetizadores, que podem representar uma variedade de ativos, incluindo criptomoedas, moedas fiduciárias, commodities e índices. Synthetix usa um modelo de garantia conjunta onde todos os participantes SNX compartilham os riscos e recompensas da plataforma.

Confira nossa previsão de preços SNX para ver de perto a possível trajetória de preços do ativo no curto, médio e longo prazo.

Movimentação de preço da Synthetix. Fonte: CoinMarketCap

Mirror Protocol

Semelhante a Synthetix, o Mirror Protocol também é uma plataforma descentralizada, embora na blockchain Terra. Ele foi projetado para criar e negociar ativos sintéticos conhecidos como mAssets, que refletem o comportamento dos preços de ativos do mundo real, como ações e commodities. Os usuários fornecem garantias, normalmente a stablecoin (UST) da Terra, para cunhar mAssets.

UMA (Universal Market Access)

Como um protocolo descentralizado no Ethereum, a UMA permite criar ativos sintéticos e derivativos usando contratos financeiros. O risco de contraparte é mínimo, uma vez que o protocolo aproveita um sistema oráculo descentralizado e incentivos económicos para garantir o desempenho do contrato. O protocolo UMA foi projetado para ser altamente flexível e oferece suporte a uma ampla variedade de tipos de ativos e estruturas de contrato.

Os ativos criptossintéticos são adequados para você?

Os ativos criptossintéticos são cada vez mais considerados o próximo estágio na evolução dos produtos derivativos tradicionais. Eles oferecem uma forma descentralizada, acessível e eficiente de obter exposição a diversas classes de ativos. É demasiado cedo para chamar esta classe de ativos de futuro das finanças. No entanto, o seu poder transformador em termos de acessibilidade, eficiência e gestão de riscos abre possibilidades estimulantes para o futuro das finanças.

Dito isto, estes ativos apresentam riscos como volatilidade, incertezas regulamentares e risco de contraparte. Portanto, se você planeja investir, certifique-se de realizar uma pesquisa completa antes de começar.

Perguntas Frequentes

O que são ativos cripto sintéticos?

Como são criados os ativos criptossintéticos?

Qual é a diferença entre ativos sintéticos e derivativos?

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e com o objetivo único de informar. Qualquer atitude tomada pelo usuário a partir das informações veiculadas no site é de sua inteira responsabilidade.
Na seção Aprender, nossa prioridade é fornecer informações de alta qualidade. Nós tomamos o tempo necessário para identificar, pesquisar e produzir conteúdo que seja útil para nossos leitores.
Para manter esse padrão e continuar a criar um conteúdo de excelência, nossos parceiros podem nos recompensar com uma comissão por menções em nossos artigos. No entanto, essas comissões não afetam o processo de criação de conteúdo imparcial, honesto e útil.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados