Ver mais

O que é finanças descentralizadas (DeFi)?

8 mins
Atualizado por Airí Chaves

As finanças descentralizadas (DeFi) revolucionaram o universo das criptomoedas. Você já viu artigos sobre o que é DeFi de uma forma que não ficou clara ou não fez sentido? O que é DeFi é uma pergunta que muitos recém-chegados ao setor desejam responder. 

Quer ser o primeiro a aprender sobre finanças descentralizadas? Junte-se à comunidade do BeInCrypto no Telegram. Lá nós compartilhamos diariamente análises técnicas e respostas às suas perguntas. Além disso, é possível conversar com traders e entusiastas do mercado de criptomoedas.

No entanto, as definições de DeFi variam dependendo de quem você pergunta. Neste artigo, vamos detalhar os conceitos fundamentais de finanças descentralizadas e explorar alguns dos termos comuns usados ​​no setor.

Neste artigo:

O que é DeFi?

DeFi

Então, o que é DeFi? Finanças descentralizadas (DeFi), ou “finanças abertas”, é um termo usado para descrever um ecossistema de tecnologias de código aberto e produtos financeiros. O DeFi opera fora do sistema financeiro tradicional sem a necessidade de intermediários. Assim, qualquer pessoa com conexão de internet pode participar.

Em um nível fundamental, o Bitcoin pode ser considerado como DeFi. Afinal, a maior criptomoeda opera bem fora do sistema financeiro legado. No entanto, o termo refere-se mais especificamente a uma série de protocolos e tecnologias que replicam vários aspectos do sistema financeiro tradicional de forma não confiável. Usando contratos inteligentes, esses protocolos automatizam termos e acordos entre mutuários, credores, compradores e vendedores.

Além disso, o DeFi pode ser pensado como um “lego” financeiro. Isso ocorre porque vários aplicativos e protocolos DeFi podem ser conectados e usados ​​em conjunto para criar ferramentas financeiras avançadas

Por exemplo, você pode bloquear algum ETH em um pool de liquidez com o para obter um empréstimo. Em seguida, você pode fazer staking deste empréstimo em outro protocolo para ganhar mais juros. Além disso, isso permite que os usuários se beneficiem de vários fluxos de receita enquanto ganham várias recompensas de token

Não está entendendo nada? Calma, as coisas vão começar a ficar mais claras no decorrer do artigo.

Além disso, os usuários do DeFi podem participar de um processo conhecido como “yield farming”. O yield farming permite que os usuários pulem entre vários protocolos para obter o melhor rendimento percentual anual (APY) com seus ativos. Dito isso, vale a pena notar que o yield farming pode ser incrivelmente arriscado se você não souber o que está fazendo.

Em resumo, podemos dizer que as finanças descentralizadas (DeFi) é um termo abrangente que se refere a um ecossistema de “serviços financeiros ponto a ponto em blockchains públicas”. O DeFi permite que qualquer pessoa empreste, peça emprestado, negocie e ganhe juros com custos mínimos, independentemente de riqueza, status ou geografia. Além disso, isso pode ser alcançado sem intermediários ou sistemas centralizados (como bancos).

O significado de DeFi

Finanças descentralizadas significam muitas coisas para muitas pessoas. Por exemplo, pode ser desafiador obter acesso a instrumentos financeiros em países com economias em dificuldades, hiperinflação e instituições financeiras proibitivas. Em algumas áreas do mundo que carecem de inclusão financeira, o DeFi atua como uma ferramenta de sobrevivência e preservação da riqueza.

No entanto, o DeFi também ganhou notoriedade por um tipo de negociação e investimento extremamente alavancado e de alto risco, conhecido como “yield farming”. Protocolos de empréstimos descentralizados, como Compound e MakerDAO, permitem que os detentores de tokens coloquem seus ativos para trabalhar.

Os usuários podem bloquear fundos de criptomoedas para obter um empréstimo com garantia excessiva ou emprestá-los a outros usuários para obter juros. Além disso, muitos desses protocolos oferecem um token nativo que pode agregar mais ganhos.

Tokens DeFi

Os tokens DeFi desempenham um papel essencial no incentivo aos usuários de protocolos DeFi. Muitas plataformas de empréstimos oferecem um token nativo como recompensa pela interação com a plataforma. Além disso, alguns desses tokens concedem direitos de governança aos detentores. Assim, esses detentores de tokens podem votar em propostas para fazer alterações na plataforma.

Existem muitos tokens DeFi diferentes. Apesar do alto rendimento que muitas dessas plataformas oferecem, os tokens DeFi podem ser incrivelmente voláteis. Os tokens mais populares são: Uniswap (UNI), Compound (COMP), PancakeSwap (CAKE), SushiSwap (SUSHI) e Avalanche (AVAX). 

Esses tokens são tokens DeFi nativos. No entanto, vários outros tokens se enquadram na categoria de tokens DeFi. Por exemplo, Chainlink (LINK) não é um token específico de DeFi. No entanto, como um número substancial de projetos DeFi depende dos oráculos Chainlink, o token LINK é amplamente considerado um token DeFi.

Ecossistema DeFi

Agora que você já entendeu o que é DeFi é hora de examinar mais de perto o ecossistema das finanças descentralizadas e algumas das tecnologias inovadoras que estão ganhando imensa popularidade. Muitas dessas tecnologias se tornaram uma parte essencial do cenário e foram replicadas em várias blockchains. 

Abaixo, vamos dar uma olhada em alguns dos elementos mais populares das finanças descentralizadas.

Pool de liquidez

Os criadores de mercado automatizado (AMM) dependem da provisão de liquidez para swaps (troca) de token descentralizados. Os provedores de liquidez podem depositar tokens em um contrato inteligente para fornecer ativos para trocas de token.

Isso permite que os usuários obtenham uma renda passiva na forma de taxas de negociação. A maioria dos pools de liquidez exige depósitos de um valor igual a dois ativos. Por exemplo, um usuário pode depositar um ETH no valor de R$ 4.000, com R$ 4.000 DAI ou USDC. Assim, os usuários DEX podem executar trocas de token usando essa liquidez.

Embora fornecer liquidez a pools de liquidez possa ser um empreendimento lucrativo, não é isento de riscos. Vale a pena notar que, ao fornecer liquidez a esses protocolos DeFi, você pode acabar com uma proporção diferente de ETH para DAI ou USDC. Isso é chamado de perda impermanente. A perda impermanente ocorre quando o preço dos ativos depositados muda.

Além disso, os provedores de liquidez podem se beneficiar ainda mais usando tokens de pool de liquidez (LP). Os tokens LP representam uma parte de um pool de liquidez específico. Por exemplo, se você depositar um valor igual de ETH e USDC em um pool de liquidez, poderá receber tokens ETH-USDC LP. Esses tokens LP podem gerar valor adicional em pools secundários

Exchanges descentralizadas (DEXs)

dex

Uma exchange centralizada (CEX) como Coinbase ou Binance oferece serviços de custódia, o que significa que eles mantêm seus criptoativos para você. Uma exchange descentralizada (DEX) é uma exchange sem custódia em que os usuários podem fazer transações ponto a ponto interagindo com contratos inteligentes. De um modo geral, a maioria das DEXs não exige uma identificação com foto para se inscrever. 

Existem muitos tipos diferentes de DEX. No entanto, a mais popular usa o modelo de criador de mercado automatizado (AMM). AMMs como Uniswap ou PancakSwap operam sem livros de pedidos centralizados. Em vez disso, compradores e vendedores são combinados algoritmicamente usando contratos inteligentes.

Empréstimos

Os empréstimos rápidos (empréstimos relâmpago ou instantâneos) são um método avançado de empréstimo sem garantia. No financiamento tradicional, os credores geralmente exigem que o mutuário forneça alguma forma de garantia. Além disso, os empréstimos podem demorar muito para serem aprovados e exigem muita papelada. Ademais, a maioria dos empréstimos é paga ao longo de semanas, meses ou anos.

No entanto, os empréstimos instantâneos funcionam de maneira diferente. Com empréstimos relâmpagos, os mutuários não precisam de garantias. Além disso, o empréstimo e o pagamento de empréstimos rápidos acontecem em uma única transação em apenas alguns segundos. Ademais, os empréstimos instantâneos usam contratos inteligentes para executar transações complexas que definem os termos de uma negociação. 

Apesar dos empréstimos rápidos serem um método inovador para gerar riqueza a partir de muito pouco, eles também foram usados ​​em vários ataques para explorar protocolos DeFi mal protegidos.

Tokens “embrulhados”

Os serviços e protocolos de “empacotamento” de token permitem que os ativos operem em várias blockchains. Por exemplo, o Wrapped Bitcoin (WBTC) pega o Bitcoin (BTC) e o “embrulha” para que ele possa operar na blockchain Ethereum usando o padrão de token Ethereum ERC-20.

Preencher a lacuna entre blockchains dessa maneira tem vários benefícios. Em primeiro lugar, permite que os detentores de BTC aproveitem o ecossistema DeFi no Ethereum sem vender seu BTC. Em segundo lugar, extrai parte da imensa liquidez dos protocolos baseados em Bitcoin para Ethereum.

Yield farming

O yield farming, ou mineração de liquidez, é um tipo de estratégia de investimento em criptomoedas por meio da qual os usuários de token podem emprestar criptomoedas e receber juros em troca. Ao alternar entre vários protocolos, os usuários podem buscar os maiores retornos para seus ativos

Além disso, alguns protocolos de yield farming oferecem um token específico além dos juros para empréstimos. Muitos desses tokens viram uma tremenda ação de preço após a adoção da plataforma. Assim, os usuários da plataforma têm um incentivo adicional para tomar emprestado e emprestar.

Devido à natureza volátil do yield farming, pode ser um empreendimento de alto risco. Perdas impermanentes e oscilações bruscas de preços podem deixar os investidores perdidos se não forem cuidadosos. No entanto, aqueles com um olhar atento para tendências e movimentos de preços podem se beneficiar de estar um passo à frente da curva e maximizar seus ganhos.

Cadeia cruzada

altchain

A primeira onda de protocolos DeFi foi construída principalmente no Ethereum. Como a blockchain habilitada para contrato inteligente número um e a segunda maior blockchain do setor, o Ethereum abriu o caminho para grande parte do desenvolvimento e inovação em DeFi. No entanto, várias outras blockchains habilitadas para contratos inteligentes ganharam destaque para competir contra o Ethereum.

Consequentemente, existe uma variedade de aplicativos descentralizados (dApps) fora do Ethereum. A Binance Smart Chain (BSC), Polygon, Solana e Avalanche estão entre um número cada vez maior de redes blockchain centradas em DeFi. 

Além disso, muitos aplicativos descentralizados (dApps) buscam compatibilidade entre cadeias para atender a uma base de usuários mais ampla e extrair mais liquidez de várias exchanges. A compatibilidade entre cadeias não apenas fornece aos traders acesso a uma gama mais ampla de ativos, mas também ajuda os traders a evitar altas taxas de rede durante períodos de alto congestionamento da rede. 

Além disso, exchanges como SushiSwap e QuickSwap permitem que os traders DeFi acessem uma variedade de tokens em várias redes a partir de um local conveniente.

Riscos do DeFi

Apesar das várias vantagens do DeFi, ele é inerentemente arriscado. Enquanto os serviços de custódia centralizados assumem o controle dos fundos do usuário, os usuários DeFi assumem a propriedade total de seus ativos na blockchain.

Embora isso agrade a muitos, pode ser um desafio para alguns. Conhecimento técnico e compreensão limitados podem colocar os usuários em risco de perder seus fundos sem a rede de segurança de um custodiante regulamentado. Como tal, considerar o tempo ou não a auto-custódia é a opção certa para você.

Além disso, como o mercado não é regulamentado, existem todos os tipos de golpes e “puxões de tapete” por aí. Ademais, o risco técnico de interagir com aplicativos baseados em contratos inteligentes pode resultar em perda de fundos.

Assim, ao interagir com esses protocolos pela primeira vez, recomendamos tomar o máximo cuidado para evitar perdas. Sempre faça sua própria pesquisa (DYOR) e invista apenas o que você pode perder.

Perguntas frequentes

O que é DeFi?

Quais as vantagens do DeFi?

Quais são os principais recursos das finanças descentralizadas?

Melhores plataformas de criptomoedas | Maio de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e com o objetivo único de informar. Qualquer atitude tomada pelo usuário a partir das informações veiculadas no site é de sua inteira responsabilidade.
Na seção Aprender, nossa prioridade é fornecer informações de alta qualidade. Nós tomamos o tempo necessário para identificar, pesquisar e produzir conteúdo que seja útil para nossos leitores.
Para manter esse padrão e continuar a criar um conteúdo de excelência, nossos parceiros podem nos recompensar com uma comissão por menções em nossos artigos. No entanto, essas comissões não afetam o processo de criação de conteúdo imparcial, honesto e útil.

Airi-Chaves-2.png
Airí Chaves
Com formação em marketing pela Universidade Estácio de Sá e um mestrado em liderança estratégica pela Unini, escreve para diversos meios do mercado de criptomoedas desde 2017. Como parte da equipe do BeInCrypto, contribuiu com quase 500 artigos, oferecendo análises profundas sobre criptomoedas, exchanges e ferramentas do setor. Sua missão é educar e informar, simplificando temas complexos para que sejam acessíveis a todos. Com um histórico de escrita para renomadas exchanges brasileiras,...
READ FULL BIO