Ver mais

Casos de uso da Web 3 – Guia para iniciantes

9 mins
Atualizado por Maria Petrova

Você pode ter encontrado o termo descentralização da Internet várias vezes, mas o que isso significa e o que é a Web 3?

Web 3 é um termo que descreve a ideia de uma internet nova e melhorada. Essa forma de Internet aprimorada é conhecida por usar o conceito de NFTs , blockchains e criptomoedas para que possa devolver o acesso ou propriedade ao próprio consumidor.

Mas, qual é o benefício da web3? A web 3.0 levará a uma operação transparente do sistema e, por sua vez, proporcionará maior segurança aos consumidores.

Muitas pessoas obtiveram acesso à internet graças à centralização, que produziu a infraestrutura confiável de que precisavam para sobreviver.

No entanto, como você deve ter notado, o controle da internet está nas mãos de algumas empresas. A população costumava receber informações desses proprietários centralizados pela Internet. Em essência, eles se assemelhavam aos proprietários do mercado de internet com controle total sobre tudo online.

Mas a Web3 oferece uma solução para esse problema. As coisas estão evoluindo como resultado do desenvolvimento da Web3.

Neste artigo, vamos aprofundar o conceito da web 3 e entender seus casos de uso.

Neste artigo:

A evolução da web 3

web3, web 3

A maioria dos usuários acredita que a Web foi criada e só faz parte da vida moderna desde aquela época. A Web de hoje, no entanto, é consideravelmente diferente do passado. Mesmo os próprios criadores originais da Internet não podiam prever como a Internet evoluiria. Para entender o futuro da internet, é imprescindível olhar para o passado. A história da Web pode ser dividida em dois grandes períodos: Web 1.0 e Web 2.0.

O que era a web 1

A versão original da internet é chamada de “Web 1.0”. Este termo se refere principalmente a sites estáticos de propriedade de algumas empresas e, como os usuários quase nunca criavam conteúdo, quase não havia interação com o usuário. Por isso, as pessoas costumam se referir a ela como a Web somente leitura. 

Atualmente e a web 2

A introdução das plataformas de mídia social em 2004 marcou o início da era da web 2.0. A web 2 permitiu que usuários estão interagissem uns com os outros, trocando histórias e se comunicando online. A Web tornou-se um meio de leitura e gravação em vez de um meio somente de leitura. Em vez de oferecer material aos usuários, as empresas começaram a oferecer plataformas nas quais os usuários podiam trocar conteúdo gerado pelo usuário e se comunicar uns com os outros.

Depois de algum tempo, o público em geral aprendeu como essas grandes corporações de tecnologia coletavam seus dados e os usavam para produzir anúncios personalizados e marketing. O Facebook, em particular, tem sido criticado com frequência por violar os regulamentos de privacidade de dados e em 2019 recebeu uma multa de US$ 5 bilhões, a multa mais alta que a Comissão Federal de Comércio já aplicou. Os usuários desta tecnologia web 2.0 são vistos como clientes.

O futuro e a web 3

À medida que mais indivíduos se conectavam, um pequeno número de empresas começou a deter uma porcentagem desproporcional do tráfego e do valor produzido na Internet. Os usuários podem gerar conteúdo, mas não o possuem ou são pagos quando ele é feito.

Isso desencadeou a discussão sobre como a Internet pode evoluir, e foi assim que surgiu o conceito de Web 3. Esta terceira geração da Internet está focada exclusivamente em reverter o poder dos consumidores sobre suas informações confidenciais e melhorar a transparência.

A web 3 é simplesmente a próxima versão da Internet, que suporta protocolos descentralizados e pretende diminuir a dependência de grandes empresas de tecnologia como Youtube, Google, Netflix e Amazon.

Ao contrário das duas gerações anteriores da Internet, na Web 3 os usuários podem realizar três tarefas. Eles podem ler, escrever e possuir.

A gestão, assim como a governança da Web, pode ser feita para os usuários. Deixar de fornecer dados a corporações cada vez que você se cadastra, visita seus sites e etc. O usuário se torna proprietário dos seus dados. 

Mas isso não quer dizer que o usuário não possa compartilhar esses dados. É só que ele tem a opção de não realizar a tarefa de qualquer maneira. Se o usuário deseja compartilhar seus dados, a Web 3.0.0 pode fazê-lo facilmente com as demais versões da Internet.

Esses compartilhamentos na Web 3.0 são chamados de tokens ou criptomoedas, que significam propriedade das redes descentralizadas conhecidas como blockchains. Por possuir um certo número desses tokens, todo consumidor ou visitante da Web pode influenciar a rede.

Além disso, com esses tokens em mãos, o usuário pode votar em questões que acha que devem ser resolvidas. Questões relacionadas a protocolos de desenvolvimento, segurança, manutenção e empréstimos descentralizados podem ser levantadas.

Casos de uso da Web 3

carteira web3

Jogos blockchain

Os jogos blockchain são talvez os casos de uso mais comuns da Web 3. Os jogos construídos na tecnologia blockchain têm suas próprias economias únicas, onde os jogadores podem realmente possuir itens que podem ser usados no jogo. Quando perguntado “Para que serve a web 3”, uma das respostas mais usadas é “desenvolver jogos blockchain”, especialmente quando se considera o fato de que os jogos blockchain foram um dos aplicativos iniciais da Web 3.

Metaverso

Ao procurar por aplicativos na web 3, a primeira coisa que você vai encontrar são os metaversos. Mas você entende o que é o metaverso na realidade? 

Resumidamente, o metaverso é uma versão tridimensional da Internet que qualquer um pode usar para navegar. Em essência, você usará a Internet para realizar atividades em vez de assistir ao evento nos monitores de seus computadores.

Se o metaverso será ou não reconhecido como um dos casos de uso mais significativos para Web3 dependerá em grande parte das reivindicações de um ambiente virtual aberto, compartilhado e descentralizado.

Apesar disso, o metaverso ainda não permeou o cotidiano, mas há indícios da tecnologia espalhados por várias plataformas. Várias das empresas mais conhecidas nas indústrias de tecnologia e comercial, como Facebook, Google, Epic Games, etc., reconheceram os benefícios que os princípios da Web3 oferecem a diversos aplicativos do metaversos.

DAO – Organizações Autônomas Descentralizadas

Uma das principais funcionalidades da Web 3.0 são as organizações autônomas descentralizadas (DAOs). Uma organização autônoma descentralizada ou DAO refere-se a uma organização que não tem ou não está usando a autoridade para controlar. Essas organizações preferem funcionar por códigos de contato sensatos.

O principal papel dos DAOs é empregar contratos inteligentes, capazes de considerar a maioria dos votos e tomar decisões que não envolvam interferência humana. Utilizar DAOs permitirá distribuir o controle sobre todos os usuários da web, em vez de uma única pessoa.

Privacidade e segurança

web 3 privacidade

Muitos aplicativos de mensagens descentralizadas estão evoluindo para versões web3 do “WhatsApp”. A Web 3.0 busca priorizar a privacidade e a segurança ao permitir conexões sem número de telefone ou qualquer ID de e-mail. A versão atual da Web, a web 2.0, era capaz de identificar uma pessoa por ser centralizada. O proprietário do servidor é dono das informações.

O mesmo acontece com serviços de streaming de vídeos. Atualmente, o YouTube pode recomendar os vídeos que preferimos assistir e exibi-los em nossos feeds. Mas esse não é o caso da versão 3.0 da Web. Já existem serviços descentralizados, onde os usuários podem assistir aos vídeos que os interessam.

Além disso, serviços de streaming também tomam decisões cruciais sobre quais indivíduos podem ganhar dinheiro com seus vídeos e quais vídeos podem ser monetizados. Tudo isso é realizado seguindo diretrizes sob o controle do proprietário do site.

No entanto, esses sistemas de streaming de vídeo descentralizados tentam dar aos consumidores esse controle baseando todas as decisões de exposição de vídeo em visualizações, compartilhamentos e curtidas. No sentido convencional, nenhum “proprietário” tem autoridade para controlar o conteúdo carregado simplesmente removendo-o de seus servidores.

Criador de conteúdo

Embora não possamos classificar tecnicamente a economia do criador de conteúdo como um caso de uso da web 3.0, ela é um dos principais recursos do ambiente da web 3.0. De acordo com a economia do criador, as comunidades de criadores em ascensão, incluindo músicos, artistas e desenvolvedores, estão se conectando diretamente com fãs e apoiadores. Os princípios da web 3 podem ser invocados pelos criadores para se envolver em colaboração sem atritos, sem intermediários.

O uso de NFTs, ou tokens não fungíveis, é uma das principais características da economia do criador de conteúdo em casos de uso da web 3 do mundo real. Devido à importância da exclusividade, a nova classe de ativos digitais experimentou um incrível aumento no apelo. Além disso, as vendas de NFT de alto nível têm sido cruciais para impulsionar as economias dos criadores.

Um dos três melhores casos de uso da web é a economia do criador, que dá às pessoas que passam muito tempo online em diferentes ambientes digitais a chance de ganhar dinheiro. Os NFTs oferecem aos criadores uma variedade de novas alternativas para monetização, ignorando os gatekeepers (aquele que define os valores) tradicionais. Consequentemente, o caso de uso da economia do criador de conteúdo da web 3.0 pode fornecer uma maneira benéfica para os criadores comercializarem seu trabalho diretamente.

DeFi – Finanças descentralizadas

Você já deve ter percebido as maravilhas que a Web 3.0 pode fazer no mundo das finanças. Se sim, vamos apresentá-lo às finanças descentralizadas, muitas vezes chamadas de DeFi. É uma ideia inovadora construída sobre a utilização de software descentralizado para serviços financeiros

DeFi é um componente da Web 3.0 que ganhou imensa popularidade ao longo dos anos. O benefício do Defi é a aliança de usuários para fazer transações sem o envolvimento de instituições financeiras como bancos, até mesmo do próprio governo. No entanto, depois de perceber o potencial que o DeFi tem a oferecer, várias empresas estão investindo seu dinheiro nele. Portanto, imaginar que não haja envolvimento de qualquer instituto pode ser difícil, mas, claro, não impossível.

Bitcoin

Apesar de ter mais de uma década de idade, o bitcoin foi a primeira moeda digital descentralizada. Na verdade, o bitcoin foi realmente o aplicativo que ganhou fama e mostrou o verdadeiro potencial da blockchain.

Embora outras criptomoedas e plataformas de blockchain, como Solana ou Ethereum, tenham avançado a tecnologia em relação ao bitcoin e usem o conceito de web 3.0 melhor, o bitcoin ainda corresponde ao padrão.

Estima-se que milhares de pequenas empresas no Brasil aceitam pagamentos em Bitcoin, e El Salvador já reconheceu a criptomoeda como moeda legal.

Além disso, muitos outros países e empresas estão aceitando criptomoedas como pagamento.

Desvantagens da web 3

web3
  • É necessário implementar uma política de privacidade antes de colocar a Web 3.0 em ação.
  • A tecnologia ainda está em fase de desenvolvimento.
  • Há uma necessidade de fazer uma tecnologia mais ecológica porque a tecnologia atual tem uma pegada de carbono muito maior do que sua antecessora.
  • Muitas leis tiveram que ser alteradas para garantir a segurança e a propriedade dos dados.
  • Pode ser extremamente difícil para os recém-chegados compreenderem a web 3.
  • A Web 3 será inacessível para dispositivos menos avançados.

O futuro da web 3

A Web 3 mudou drasticamente o trabalho e o estilo de vida dos usuário de plataformas web. Anteriormente era possível só ler as informações na web, hoje o usuário possui as informações com todas as restrições de privacidade e segurança. Um longo caminho foi percorrido nessa evolução.

A Web 3.0 é um conceito de ponta, mas precisa de tempo para se desenvolver porque ainda está em sua infância. Muitos setores começaram a implementar casos de uso da web 3.0 para modernizar sua infraestrutura interna e mudar para a arquitetura da web 3.0. 

Os DAOs e o metaverso são os dois casos de uso proeminentes da Web 3.0 que estão ajudando as empresas a atingir todo o seu potencial. Com o passar do tempo e o desenvolvimento acelerado da tecnologia, novos casos de uso da Web 3.0 surgirão para tratar das atuais ineficiências dos negócios.

Perguntas frequentes

O que é web 3?

Quais são os casos de uso da web 3?

Se você quiser saber mais sobre os casos de uso da web 3, confira os nossos artigos educacionais. Afinal, aqui você pode encontrar todas as informações de que precisa para começar!

Além disso, junte-se à nossa comunidade no Telegram para conversar com usuários reais sobre trading de criptomoedas.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e com o objetivo único de informar. Qualquer atitude tomada pelo usuário a partir das informações veiculadas no site é de sua inteira responsabilidade.
Na seção Aprender, nossa prioridade é fornecer informações de alta qualidade. Nós tomamos o tempo necessário para identificar, pesquisar e produzir conteúdo que seja útil para nossos leitores.
Para manter esse padrão e continuar a criar um conteúdo de excelência, nossos parceiros podem nos recompensar com uma comissão por menções em nossos artigos. No entanto, essas comissões não afetam o processo de criação de conteúdo imparcial, honesto e útil.

Airi-Chaves-2.png
Airí Chaves
Com formação em marketing pela Universidade Estácio de Sá e um mestrado em liderança estratégica pela Unini, escreve para diversos meios do mercado de criptomoedas desde 2017. Como parte da equipe do BeInCrypto, contribuiu com quase 500 artigos, oferecendo análises profundas sobre criptomoedas, exchanges e ferramentas do setor. Sua missão é educar e informar, simplificando temas complexos para que sejam acessíveis a todos. Com um histórico de escrita para renomadas exchanges brasileiras,...
READ FULL BIO