Ver mais

Como a blockchain pode prevenir a pirataria?

9 mins
Atualizado por Maria Petrova

Desde o início da era da internet, a pirataria tem sido um fardo em constante evolução no conteúdo digital. Antes das plataformas de streaming começarem a dominar o consumo de mídia, a internet estava repleta de pirataria. Qualquer um podia fazer upload de cópias ilegais de música, filmes ou livros, e o entretenimento se tornou uma mercadoria. 

Apesar das muitas tentativas de restringir essas práticas, bilhões são perdidos a cada ano devido à pirataria. Nenhuma quantidade de paywalls ou assinaturas parece capaz de impedir a cópia e distribuição ilegal de mídia digital. Além disso, os criminosos têm um incentivo financeiro para encontrar novas maneiras de contornar as estratégias de prevenção à pirataria e participar da distribuição ilegal de conteúdo digital e software. 

No entanto, a blockchain pode provar ser uma solução eficaz para combater a pirataria.

Para conhecer mais sobre os benefícios da blockchain contra a pirataria, você pode acessar a nossa seção educacional. Ou então participar da nossa comunidade no Telegram e conversar com traders e especialistas da área.

Neste artigo, vamos entender como a blockchain pode evitar a pirataria. Vamos discutir o impacto que a pirataria tem nas indústrias de entretenimento e mídia, além de descrever as diferentes maneiras pelas quais a blockchain pode ajudar a minimizar a pirataria. 

Além disso, exploramos alguns dos principais projetos de blockchain que ajudam a acabar com a pirataria de conteúdo digital. 

Neste artigo:

A pirataria digital

cbdc, pirataria

Existem várias razões para que as pessoas copiem e distribuam ilegalmente conteúdo digital. O custo do software e da mídia muitas vezes é suficiente para encorajar algumas pessoas a infringir a lei. No entanto, isso pode resultar em multas pesadas e, em alguns casos, prisão. No entanto, algumas pessoas estão dispostas a arriscar quando se trata de acessar mídia digital ou software.

Em alguns casos, as pessoas simplesmente não estão dispostas a pagar pelo conteúdo, mesmo que possam pagar. O grande número de sites de torrent e compartilhamento de arquivos normalizou a pirataria, dando a qualquer pessoa acesso a software e conteúdo gratuitos em apenas alguns minutos.

Além disso, alguns hackers usam a pirataria como uma forma de justiça social contra empresas que consideram que já ganharam dinheiro suficiente. Em essência, parece que esses atores justificam a pirataria digital sob o pretexto de democratização. Em outros casos, a pirataria é simplesmente uma ferramenta para ganho financeiro. Qualquer pessoa que possa duplicar conteúdo ilegalmente e tiver um mercado para revendê-lo pode se beneficiar da pirataria.

Como a blockchain pode impedir a pirataria?

Pesquisas sugerem que a economia dos EUA pode estar perdendo até US$ 71 bilhões em receitas domésticas anuais devido à pirataria online. No entanto, estima-se que o efeito sobre o produto interno bruto (PIB) esteja entre US$ 47,5 bilhões e US$ 115 bilhões ao contabilizar as perdas de empregos subsequentes, que ficam entre 230.000 e 560.000 empregos anualmente.

Já no Brasil, a pirataria de forma geral causa prejuízos na casa dos R$ 280 bilhões, sendo a pirataria digital Embora existam várias estratégias para contornar a pirataria digital, poucas parecem estar tendo muito sucesso. No entanto, a tecnologia blockchain pode ajudar a remediar esse problema.

A blockchain fornece um registro imutável de eventos com carimbo de data/hora. Quando os criadores publicam conteúdo na blockchain, eles podem alcançar seu público sem terceiros. Além disso, o conteúdo é armazenado em uma rede ponto a ponto em vez de um único servidor em silos, graças à natureza distribuída de um banco de dados blockchain.

Como resultado, os fraudadores têm um vetor de ataque a menos e os distribuidores podem publicar conteúdo diretamente para seus fãs. Além disso, o conteúdo baseado em blockchain pode criar impressões digitais ou marcas d’água que detectam vazamento de conteúdo e identificam cópias de conteúdo digital.

Além disso, tokenizar conteúdo na blockchain como tokens não fungíveis (NFTs) fornece uma camada extra de segurança para evitar a duplicação de conteúdo ilegal.

Quais são os benefícios da distribuição de conteúdo na blockchain?

Talvez o benefício mais significativo de usar a blockchain para publicação de conteúdo seja a capacidade de rastrear artigos, vídeos e músicas em vários canais de mídia social. A tokenização da propriedade intelectual na blockchain permite que os criadores vejam exatamente como seu conteúdo é distribuído e quanto dos ganhos eles conseguem manter.

As plataformas tradicionais de mídia social fazem muito pouco para proteger os direitos de propriedade intelectual. No entanto, as blockchains permitem que os criadores registrem seus trabalhos em bancos de dados imutáveis ​​e mantenham o controle sobre seu trabalho e a receita que ele gera, decidindo como e para quem é licenciado.

Além disso, os modelos de distribuição baseados em blockchain dão aos criadores um maior grau de autonomia do que os estabelecimentos tradicionais. Em vez de cumprir as metas estabelecidas por uma agência terceirizada, os criadores podem distribuir seus trabalhos de acordo com seus próprios objetivos. Além disso, a blockchain permite que os criadores recebam 100% de seus royalties e pode facilitar pagamentos instantâneos de royalties em tempo real.

Vigiando o conteúdo

A vigilância de conteúdo baseada em blockchain permite que criadores e editores de conteúdo monitorem o ciclo de vida do conteúdo digital. Quando um usuário copia conteúdo digital sob vigilância, notificações são enviadas ao criador imediatamente sobre o dispositivo e sua localização. 

Além disso, os serviços de distribuição de conteúdo baseados em blockchain podem implementar recompensas para ajudar a identificar a pirataria e incentivar a comunidade a erradicá-la. Além disso, os criadores podem rastrear qualquer conteúdo com marca d’água para sua cópia original. Ademais, os criadores podem implementar “lista negra” de endereços de carteira de qualquer infrator.

Projetos de blockchain para minimizar a pirataria

apis, pirataria

Vevue

Vevue é uma plataforma de mídia social descentralizada de cadeia cruzada e serviço de streaming de conteúdo que paga aos editores usando o token VPAY nativo toda vez que alguém interage com seu conteúdo. 

Além disso, a plataforma permite que os editores rastreiem seu conteúdo na blockchain para ver se ele está duplicado ilegalmente. O Vevue usa tecnologia proprietária de vigilância de conteúdo para permitir que os criadores rastreiem cópias ilegais no dispositivo e nos endereços da carteira de qualquer agente mal-intencionado. 

Graças à tecnologia blockchain, os usuários do Vevue podem compartilhar conteúdo de forma eficiente e segura. Além disso, eles podem identificar facilmente quaisquer vazamentos de conteúdo à medida que ocorrem.

Custos

Custos é um projeto de marca d’água blockchain com base na África do Sul. O projeto usa tecnologia proprietária de marca d’água incorporada em conteúdo digital que é impossível de remover. Sempre que ocorrer a duplicação ilegal de um arquivo, o Custos pode identificar o endereço da carteira do destinatário do arquivo ilegal

Além disso, o projeto codifica recompensas Bitcoin em cada conteúdo para incentivar a identificação de pirataria e aumentar a segurança para todos os tipos de mídia digital.

Pixelynx

Pixelynx é um projeto de metaverso musical que permite aos artistas criar experiências virtuais únicas para acompanhar suas músicas. O projeto se uniu aos criadores do Pokémon GO para criar experiências de metaverso imersivas. Além disso, o Pixelynx possui várias figuras proeminentes em sua lista, incluindo deadmau5, Richie Hawtin, Seven20 e Graphite Media.

O objetivo do projeto é tirar o poder das mãos dos gigantes da indústria e colocá-lo nas mãos de criadores e artistas. Além disso, a plataforma torna tênue as fronteiras entre música e jogos ao criar um novo paradigma para o entretenimento digital. Além disso, o Pixelynx ajuda a reduzir a pirataria digital na música graças ao uso da blockchain.

Movie Coin

Movie Coin é uma plataforma de crowdfunding baseada em blockchain para cineastas. O projeto usa NFTs para tokenizar investimentos em filmes e reduz a barreira de entrada para investidores. Os fãs podem possuir um pedaço de seus filmes favoritos e ganhar renda passiva sempre que alguém assistir a determinados filmes. Além disso, a Movie Coin usa a tecnologia blockchain para eliminar a pirataria e estabelecer novos fluxos de receita para os criadores.

Além disso, cada NFT de filme contém metadados essenciais que facilitam o pagamento em tempo real de divisões complexas de royalties. Dessa forma, a plataforma torna mais fácil para as equipes de produção reinvestirem seus ganhos, independentemente de quão grandes ou pequenos sejam. Além disso, a plataforma permite que os criadores controlem a venda de filmes em mercados secundários e ganhem uma parte dos lucros.

MODA DAO

MODA DAO é um projeto de publicação e licenciamento de música baseado em blockchain. O objetivo é redefinir o futuro da propriedade e consumo de música usando governança descentralizada e tokens não fungíveis (NFTs). Além disso, o MODA DAO usa criptomoedas para pagamentos de royalties de artistas em tempo real, removendo os intermediários da equação.

Além disso, o projeto usa uma série de padrões NFT proprietários que facilitam o uso de metadados antipirataria para cada faixa publicada na rede MODA DAO. O projeto visa moldar o futuro da publicação de música usando a tecnologia blockchain para dar aos artistas mais controle sobre seu trabalho e uma melhor participação na receita gerada.

Microsoft

Como um dos maiores nomes globais em tecnologia, a Microsoft está extremamente bem posicionada para facilitar a adoção em massa da blockchain. Em 2021, o departamento de pesquisa da Microsoft anunciou planos de usar a blockchain Ethereum como parte de uma nova estratégia antipirataria. A iniciativa visa criar um mecanismo de incentivo sem confiança para ajudar a reduzir a pirataria.

No documento intitulado “ Argus: um sistema de incentivo totalmente transparente para campanhas antipirataria ”, a equipe da Microsoft colabora com pesquisadores dos principais institutos para traçar uma proposta de superação da pirataria usando a blockchain. A Argus facilitará a denúncia anônima de dados de pirataria usando marcas d’água digitais como parte do mecanismo de “proof of leakage”. Além disso, incluirá recursos para evitar a duplicação de relatórios de pirataria e tentativas de burlar o sistema usando diferentes aliases.

Render Network

A Render Network fornece soluções de renderização descentralizadas baseadas em GPU que visam revolucionar o processo de criação digital. Ela conecta pessoas com GPUs ociosas àquelas que precisam de trabalhos de renderização. Qualquer pessoa com capacidade de GPU sobressalente pode se conectar à The Render Network para concluir “trabalhos de renderização”. Em troca, os usuários podem ganhar o token RNDR.

Embora a plataforma não impeça diretamente a pirataria, ela apresenta uma solução viável para incorporar tecnologias de vigilância no conteúdo antes que alguém o publique. Assim, a Render Network pode se tornar uma peça-chave na luta da blockchain contra a pirataria. Além disso, se a tecnologia for adotada pelas indústrias cinematográfica e musical, poderá abrir um novo precedente para coibir a pirataria digital.

SingularDTV

brave

O SingularDTV é um dos projetos mais inovadores neste espaço que procura agitar as coisas para a maneira como consumimos conteúdo online. O modelo da Singular consiste em tokenizar o próprio conteúdo para que o criador possa arrecadar fundos vendendo “compartilhamentos” da obra. 

Depois que o trabalho é concluído e a mídia está sendo consumida, o criador original e os primeiros investidores são pagos pela receita do anúncio usando contratos inteligentes. Devido às blockchains, agora é mais fácil do que nunca rastrear cada conteúdo digital em todos os sites em que está incorporado. Os contratos inteligentes cuidam da contabilidade necessária para liquidar os pagamentos e garantem que os intermediários não estejam tirando os artistas de suas comissões e, ao mesmo tempo, garantem que todo o uso seja contabilizado.

Como já vimos em plataformas como Netflix e Spotify, a pirataria diminui significativamente quando os usuários têm acesso fácil ao conteúdo que desejam consumir. Os usuários preferem assistir a anúncios entre seus vídeos em vez de ter que pagar diretamente pelo conteúdo. É aqui que entra em jogo o Basic Attention Token

Basic Attention Token

A plataforma BAT junto com o navegador Brave está criando a primeira economia baseada em anúncios para conteúdo digital. A premissa é esta: em vez de ter que pagar dinheiro para se livrar de anúncios em serviços premium como o YouTube Red, os usuários podem assistir aos comerciais e ganhar BAT de criptomoeda diretamente de seus navegadores. 

O navegador possui um bloqueador de anúncios integrado que pode ser desativado para ganhar tokens BAT. Toda a contabilidade necessária para lidar com pagamentos é feita a partir do navegador, e, portanto, os dados de um usuário nunca são enviados para um servidor centralizado. 

A Brave também implementou recentemente o suporte do YouTube em seu navegador, o que permite que os usuários doem para os canais que assistem com base em quanto tempo passam nesses canais. Essa é a maneira mais justa de incentivar os usuários a reduzir a pirataria e simultaneamente ganhar criptomoedas assistindo a vídeos.

Perguntas frequentes

A blockchain pode acabar com a pirataria?

O que causa a pirataria?

Quais setores estão investindo em ações antipirataria?

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e com o objetivo único de informar. Qualquer atitude tomada pelo usuário a partir das informações veiculadas no site é de sua inteira responsabilidade.
Na seção Aprender, nossa prioridade é fornecer informações de alta qualidade. Nós tomamos o tempo necessário para identificar, pesquisar e produzir conteúdo que seja útil para nossos leitores.
Para manter esse padrão e continuar a criar um conteúdo de excelência, nossos parceiros podem nos recompensar com uma comissão por menções em nossos artigos. No entanto, essas comissões não afetam o processo de criação de conteúdo imparcial, honesto e útil.

Airi-Chaves-2.png
Airí Chaves
Com formação em marketing pela Universidade Estácio de Sá e um mestrado em liderança estratégica pela Unini, escreve para diversos meios do mercado de criptomoedas desde 2017. Como parte da equipe do BeInCrypto, contribuiu com quase 500 artigos, oferecendo análises profundas sobre criptomoedas, exchanges e ferramentas do setor. Sua missão é educar e informar, simplificando temas complexos para que sejam acessíveis a todos. Com um histórico de escrita para renomadas exchanges brasileiras,...
READ FULL BIO