Ver mais

Worldcoin inaugura novo sistema de segurança para dados biométricos

2 mins
Traduzido Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • A Worldcoin apresenta o SMPC para aumentar a segurança dos dados biométricos.
  • A SMPC divide segredos, aumentando a resistência a violações de dados.
  • A Worldcoin afirma que a SMPC está em conformidade com as leis globais de proteção de dados
  • promo

A Worldcoin Foundation revelou um sistema Secure Multi-Party Computation (SMPC). Ela afirma que essa tecnologia está pronta para redefinir a proteção de dados biométricos.

Ela surge como essencial em uma era em que a aplicação desses dados se estende de serviços cotidianos a sistemas de segurança complexos.

Worldcoin explica o funcionamento da SMPC

Em uma conversa por e-mail com o BeInCrypto, a Worldcoin explicou a necessidade de proteção avançada de dados. Ela citou um aumento projetado no mercado de sistemas biométricos para US$ 76,70 bilhões até 2029, de US$ 30,77 bilhões em 2022, de acordo com a Fortune Business Insights.

O número de violações de dados cresceu 20% nos incidentes ano a ano. Além disso, houve uma duplicação no número de vítimas, de acordo com a pesquisa do professor do MIT, Stuart Madnick.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

A tecnologia SMPC divide um segredo em multiplas partes, distribuídas entre várias partes. Consequentemente, nenhuma entidade pode reconstruir sozinha o segredo completo, o que aumenta a segurança.

Esse método se mostrou resistente a ameaças, inclusive as da computação quântica. Historicamente, a natureza de uso intensivo de recursos da SMPC restringiu sua ampla aplicação, especialmente no manuseio de dados biométricos extensos.

Para superar essas limitações, a Worldcoin Foundation, juntamente com as equipes da TACEO e da Tools for Humanity, desenvolveu uma versão dimensionável e econômica da SMPC. Eles afirmam que essa versão é capaz de gerenciar grandes volumes de dados sem comprometer a segurança.

De acordo com o Diretor de Proteção de Dados da Worldcoin Foundation, Jannick Preiwisch, esse sistema está em conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados da UE e outros regimes de proteção de dados em todo o mundo.

“A implementação do novo sistema SMPC permitiu que a Worldcoin Foundation excluísse códigos de íris antigos, criptografando-os permanentemente em compartilhamentos SMPC que, por si só, não podem ser relacionados a uma pessoa identificada”, disse Preiwisch ao BeInCrypto.

Projeto sofre críticas

Apesar desse desenvolvimento, a Worldcoin (WLD) é negociada a US$ 4,90, com queda de cerca de 3% nas últimas 24 horas.

Desempenho de preço da Worldcoin (WLD)
Desempenho do preço da Worldcoin (WLD). Fonte: BeInCrypto

Enquanto isso, o projeto ainda enfrenta críticas em relação à sua tokenomics. O analista cripto DeFiSquared afirma que o WLD está se desvalorizando, com seu valor atualmente diminuindo diariamente em 0,6% devido às altas taxas de emissão. Com uma avaliação totalmente diluída de US$ 60 bilhões, as preocupações aumentam.

Por fim, a DeFiSquared alertou sobre o aumento iminente no fornecimento de tokens. Esse aumento, devido a alocações para capital de risco e membros da equipe, poderia potencialmente resultar em maior pressão de venda no mercado.

Além disso, o anúncio de uma venda estratégica de tokens WLD no valor de US$ 200 milhões para empresas de trading gerou mais controvérsia.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora do BeInCrypto Brasil, a jornalista é especializada em dados e participa ativamente da comunidade de Criptoativos, Web3 e NFTs. Formada pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui mais de 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia, tendo passado por veículos como Globo, Gazeta do Povo e UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados