Vendedores em pânico ‘dão Bitcoin de graça” a baleias, diz CEO do Devere Group

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • O fundador e CEO do Devere Group, Nigel Green, diz que os vendedores em pânico do Bitcoin podem estar enriquecendo os compradores que possuem maior capital.

  • Os vendedores estão “praticamente dando” seus ativos aos ricos, que por sua vez usam o BTC acumulado como proteção contra a inflação, segundo ele.

  • Descrito anteriormente como a versão do ouro do mercado cripto, o Bitcoin é considerado um ativo de proteção que se valorizará à medida que outros cairem.

  • promo

    Deposite 100€ e Negocie 100€, Nada Menos! Negocie CFDs de Cripto Com Zero Comissões na Libertex Negocie agora

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O fundador e CEO da consultora financeira global Devere Group, Nigel Green, disse que vendedores em pânico podem estar enriquecendo os compradores de Bitcoin (BTC).

Segundo Green, os vendedores estão “praticamente dando” suas criptomoedas aos maiores investidores, que por sua vez acumulam Bitcoin como proteção contra a inflação.

  • Ficou com alguma dúvida? O BeInCrypto possui uma série de artigos para lhe ajudar a entender o universo cripto. Confira!
  • Se quiser ficar atualizado no que acontece de mais importante no espaço cripto, junte-se ao nosso grupo no Telegram!

“Os investidores ricos e de longo prazo normalmente se beneficiam dos vendedores assustados, comprando suas moedas digitais a baixo custo para melhorar seus portfólios de investimento”, disse Green em um comunicado feito na quarta-feira (15).

O Devere Group é uma empresa de consultoria financeira independente com escritórios ao redor do mundo. Com sede em Dubai, Emirados Árabes Unidos, a empresa tem mais de US$ 10 bilhões de ativos sob gestão.

Crash do Bitcoin

O mercado cripto despencou nas últimas semanas, com o Bitcoin caindo 40% em relação ao seu preço recorde de US$ 69.000, atingindo cerca de US$ 42.000. No fechamento da matéria, cada BTC era negociado por US$ 49.000, alta de 2% nas últimas 24 horas, conforme dados do CoinMarketCap.

O Bitcoin sofreu oscilações violentas desde que atingiu sua máxima histórica, quando investidores inquietos saíram do mercado devido à incerteza sobre a regulamentação do setor, bem como as perspectivas econômicas globais.

Mas, à medida que os vendedores, as chamadas “mãos fracas”, saíam do mercado, investidores ricos e astutos – em contraste, chamados de “mãos de diamante” – estavam disponíveis para comprar Bitcoin a baixo custo e acumular.

Por exemplo, o cripto bilionário Su Zhu, do fundo hedge Three Arrows Capital de Cingapura, comprou mais de US$ 660 milhões em Ethereum (ETH), enquanto Justin Sun, fundador da TRON (TRX), gastou mais de US$ 7 milhões em novas compras de BTC.

A Microstrategy de Michael Saylor comprou um valor adicional de US$ 82,4 milhões em Bitcoin, elevando as participações totais da empresa para 122.478 BTC, avaliados em mais de US$ 6 bilhões atualmente. Até mesmo os estados-nação “compraram na queda”. com El Salvador abocanhando cerca de 250 BTC.

Proteção contra inflação

“A recente venda foi desencadeada por um sentimento de risco mais amplo que também impactou muitas áreas dos mercados de ações globais”, disse Green. “Aconteceu em um momento de alta da inflação e, portanto, encorajando os bancos centrais a apertar as políticas monetárias, colocando em risco a liquidez que tem beneficiado muitas classes de ativos, incluindo o Bitcoin.”

Green explicou que, à medida que o valor do Bitcoin dobrou neste ano, investidores e traders mais ricos e experientes aproveitaram a “volatilidade da marca registrada do ativo para complementar seus portfólios”.

“Esses vendedores de Bitcoin em pânico estão praticamente dando suas criptomoedas para compradores ricos que acumulam …” Ele acrescentou:

Esse cenário parece particularmente provável na situação atual, pois eles estão cada vez mais preocupados que seu caixa e, portanto, seu poder de compra, esteja sendo corroído pela alta da inflação. O Banco Central agora está sendo forçado a agir para combater a inflação.

A inflação cresceu acentuadamente em todo o mundo nos últimos anos, com os EUA tendo um dos maiores aumentos, de 6,4%. Os danos às economias mundiais causados pelo COVID-19 levaram os governos a distribuir trilhões de dólares em estímulos, resultando em preços mais altos ao consumidor.

Enquanto a pandemia destrói economias e outros produtos de investimento, o Bitcoin é frequentemente considerado um ativo de proteção que será valorizado. Em alguns setores, ele foi descrito como a versão do ouro para o mercado cripto, em grande parte por conta da sua oferta limitada.

“Uma queda no preço do Bitcoin não parece especialmente benéfica para os investidores [ricos] durante estes tempos de inflação preocupantemente alta?” Green brincou.

O CEO da Microstrategy, Michael Saylor, também falou sobre como as moedas fiduciárias estão perdendo estilo como um ativo de reserva em comparação com o BTC.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jeffrey Gogo é um jornalista financeiro versátil baseado em Harare, Zimbábue. Por mais de 17 anos, ele escreveu extensivamente sobre os mercados financeiros locais e globais; notícias econômicas e da empresa. Entusiasta das mudanças climáticas, o trabalho de Gogo apareceu no maior diário do Zimbábue, The Herald, Thomson Reuters Foundation, Bitcoin.com e várias publicações online. A Gogo encontrou o bitcoin pela primeira vez em 2014 e começou a cobrir os mercados de criptomoedas em 2017.

SEGUIR O AUTOR

Negocie CFDs de Cripto com Zero Taxas de Comissão.      

Comece Hoje!

Crypto.com DeFi Wallet - Manage 400+ tokens, earn interest, and more      

Install

Crypto.com DeFi Wallet - Manage 400+ tokens, earn interest, and more      

Install