Utilidade global impulsiona a ascensão de stablecoins, segundo Chainalysis

2 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • A adoção de stablecoins aumentou em todo mundo, conforme dados da empresa de análise blockchain, Chainalysis.
  • Cresce preferência em economias emergentes como Brasil e Turquia, por moedas estáveis.
  • Apenas em março deste ano, as compras de stablecoins em todo mundo, ultrapassaram US$ 40 bilhões.
  • promo

A adoção de stablecoins aumentou em todo mundo, conforme dados da empresa de análise blockchain, Chainalysis. Geralmente pareadas em 1:1 ao dólar americano, muitas economias têm encontrado nesses ativos uma saída contra inflação alta em mercados emergentes.

Além disso, as stablecoins também são consideradas uma ferramenta facilitadora para inclusão financeira, entretanto sem a volatidade de criptomoedas como Bitcoin e Ethereum

Esses ativos também são uma solução crucial para residentes de países que enfrentam volatilidade cambial, tanto para preservar as poupanças como para facilitar o comércio, aponta o reporte Primavera 2024 da Chainalysis.

Stablecoins facilitam a inclusão social, diz chainalysis

Outro fator positivo citado é o potencial das stablecoins serem usadas por desbancarizados como reserva de valor.

“Embora as principais criptomoedas como Bitcoin e Ethereum tendem a dominar as manchetes e oferecer ganhos que faltam às stablecoins, as stablecoins superaram todos os outros tipos de criptomoedas em uso, representando mais da metade de todo o volume de transações nos últimos meses”, afirma a Chainalysis.

fonte: Chainalysis


A ascensão contínua das stablecoins revela o alto nível de utilidade que elas alcançaram entre os usuários de criptomoedas. Elas tem desempenhado, acima de tudo, um papel crucial na adoção generalizada das criptomoedas para transações cotidianas.

O gráfico abaixo, que analisa a compra de stablecoins em moeda fiduciária por país, sugere que esses ativos estão se tornando cada vez mais, um verdadeiro ativo global.

fonte: CCData

Embora os Estados Unidos sejam consistentemente responsáveis ​​pela maior parte das compras de stablecoins, a demanda global só cresce.

Apenas em março deste ano, as compras de stablecoins ultrapassaram US$ 40 bilhões em todo mundo.

Stablecoins vs. PIB

A Chainalysis também comparou a compra desses ativos como uma parte do Produto Interno Bruto (PIB) de cada mais. A ideia é ter uma visão mais clara e ampla de como as stablecoins se enquadram na atividade econômica geral de cada país.

fonte: CCData

Emergentes como Brasil lideram compras

Com a comparação entre stablecoins e PIB, a conclusão é que Estados Unidos e União Europeia (UE), apesar de terem uma boa fatia deste setor, mercados emergentes lideram as compras.

Brasil, Turquia e Tailândia estão entre as economias emergentes que mais compram stablecoins – quando comparada ao PIB de cada nação. Dessa maneira, a Turquia lidera.

O interesse internacional também reflete, acima de tudo, uma dependência ampla e crescente do USDT em várias regiões do mundo.

Inflação, volatilidade e desvalorização de moedas locais, por exemplo, são os fatores mais citados. A ascensão da economia digital em todo planeta também foi mencionada.

As stablecoins podem não apenas conceder acesso a serviços financeiros essenciais e permitir a participação econômica, mas certamente podem oferecer uma reserva consistente de valor, especialmente para regiões com instabilidade econômica e desvalorização da moeda local, concluí a Chainalysis.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

aline.jpg
Aline Fernandes
Aline Fernandes atua há 20 anos como jornalista. Especializada nas editorias de economia, agronegócio e internacional trabalha na BeINCrypto como editora do site brasileiro. Já passou por diversas redações e emissoras do país, incluindo canais setorizados como Globo News, Bloomberg News, Canal Rural, Canal do Boi, SBT, Record e Rádio Estadão/ESPM. Atuou também como correspondente internacional em Nova York e foi setorista de economia dentro do pregão da BM&F Bovespa, hoje B3 -...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados