Tether resiste a apelos por sanções à Rússia

EM RESUMO
  • O vice-primeiro-ministro ucraniano pediu para a Tether bloquear transações russas.
  • Empresa recusou o pedido, assim como Coinbase e Kraken.
  • Fedorov poderia temer a fuga de capital usando stablecoins, o que já foi feito na China antes.
  • promo

    Análises técnicas e insights do mercado por traders em nosso canal do Telegram!Entre hoje no nosso Telegram!

Os pedidos do governo ucraniano para que as transações em Tether (USDT) fossem interrompidas foram recebidos com descaso pela empresa.

Na sexta-feira (11), o vice-primeiro-ministro da Ucrânia, Mykhailo Fedorov, tuitou para o CTO da Tether e Bitfinex, Paolo Ardoino, pedindo que ambas as empresas parem de realizar transações com os russos.

“Hoje, todo o mundo democrático se uniu contra a Rússia para punir economicamente os invasores sangrentos. Peço a @tether_to @paoloardoino que parem qualquer transação com os russos! Pela Paz”, dizia o tweet.

Isso ocorre em meio a apelos enviados a empresas ocidentais como Apple, Intel, SAP SE e exchanges de criptomoedas para bloquear o acesso russo a seus bens e serviços. Em resposta, a Apple parou de vender iPhones, iPads e Macs na Rússia a partir de 1º de março de 2022,

“Estamos parando os negócios na Rússia e na Bielorrússia alinhados com as sanções e, além disso, pausando todas as vendas de serviços e produtos SAP na Rússia e na Bielorrússia”, afirmou a SAP SE em seu site.

A gigante americana de chips Intel Corporation também compartilhou em seu site que também estaria “suspendendo todos os envios para clientes na Rússia e na Bielorrússia”.

Embora a Tether não tenha respondido diretamente ao tuite de Fedorov, ela disse que “[a empresa] realiza monitoramento constante do mercado para garantir que não haja movimentos ou medidas irregulares que possam estar em desacordo com as sanções internacionais”.

Empresa se junta a Kraken e Coinbase

A Tether se junta a uma lista de empresas cripto que se recusam a impedir que todos os russos acessem seus serviços. A Coinbase e a Kraken disseram que não bloquearão todos os usuários russos, uma vez que tal ação vai contra a lógica de resistência à censura das criptomoedas.

Fedorov também solicitou à gigante americana de impressão Xerox que parasse de fornecer seus equipamentos à Ucrânia e pediu à gigante de software e computação em nuvem Microsoft que “fizesse mais” para parar a guerra. Ele acredita que a vergonha pública é eficaz porque as empresas são lógicas e racionais na tomada de decisões.

“É hora de tomar um lado, seja para tomar o lado da paz ou o do terror e do assassinato”, disse Fedorov em uma entrevista recente ao The New York Times.

No entanto, grupos da sociedade civil, como a Sociedade de Proteção à Internet na Rússia, oferecem uma perspectiva diferente:

“Desligamentos podem ser usados na tirania, não na democracia. Quaisquer sanções que interrompam o acesso do povo russo a informações só fortalecem o regime de Putin”, disseram eles em um comunicado divulgado no início desta semana.

Tether pode ser usado para voo de capital

Ao mirar a stablecoin, Fedorov pode estar sugerindo o potencial para o Tether ser usado pela elite russa para a fuga de capitais. Em outras palavras, movimentar dinheiro através das fronteiras, driblando as sanções.

Um relatório da Chainalysis de 2020 revelou que a China e outros investidores do Sudeste Asiático transferiram US$ 50 bilhões para outras jurisdições usando o USDT.

No entanto, algumas dessas saídas de capital foram devido à atividade de mineração ocorrida no país na época. Já os russos poderiam potencialmente mover seu dinheiro para fora do país e despejá-lo em outras criptomoedas. O pesquisador CryptoCompare estima que as entradas de Bitcoin do rublo russo subiram 0,08% desde o final de 2021. A empresa de análise Kaiko também sugere que o uso do USDT está impulsionando o volume de negociação em rublos.

A Tether é uma empresa privada que emite uma stablecoin homônima que alega ser apoiada por reservas de dólares. O procurador-geral de Nova York entrou com uma ação civil contra a empresa há muitos anos por mentir sobre suas reservas e por misturar fundos corporativos e clientes. A companhia posteriormente resolveu o processo, sem admitir ou negar qualquer irregularidade.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
BEINNEWS ACADEMY LTD © STREET: SUITE 1701 – 02A, 17/F, 625 KING’S ROAD, NORTH POINT. HONG KONG.