Ver mais

Urgente Sheik dos Bitcoins é solto pela justiça, diz site

2 mins
Atualizado por Anderson Mendes

EM RESUMO

  • Francisley Valdevino da Silva, popularmente conhecido como o ‘Sheik dos Bitcoins’, ganhou liberdade provisória da Justiça Federal.
  • Empresário foi preso em novembro de 2022, após descumprir medidas cautelares impostas pela Polícia Federal.
  • Francisley é acusado de comandar um esquema de pirâmide que movimentou mais de R$ 4 bilhões.
  • promo

Francisley Valdevino da Silva, popularmente conhecido como o ‘Sheik dos Bitcoins’, ganhou liberdade provisória da Justiça Federal, segundo informações do G1 Paraná.

O empresário foi preso em Curitiba em novembro de 2022, após descumprir medidas cautelares impostas pela Polícia Federal.

Investigado desde 2016, Francisley é acusado de comandar um esquema de pirâmide disfarçado como aluguel de criptomoedas, que chegou a movimentar R$ 4 bilhões segundo as autoridades.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

Liberdade para o Sheik dos Bitcoins

Com o alvará de soltura, Francisley poderá responder as acusações em liberdade. No entanto, ele terá que lidar com uma série de restrições, conforme apontado pelo G1, que teve acesso ao documento.

Entre elas está a impossibilidade de sair do país, visto que seu passaporte segue retido pela PF. Silva não pode nem ao menos sair de Curitiba. O investigado também está proibido de se ausentar da sua residência por mais de oito dias sem comunicar a Justiça.

O Sheik dos Bitcoins não pode ter contato com nenhum ex-funcionário, demais acusados, vítimas e testemunhas do caso. Além disso, ele está impedido de se envolver com qualquer atividade profissional relacionada ao aluguel de criptomoedas ou especulação financeira.

Relembrando o caso

Entre as diversas empresas que o Sheik dos Bitcoins comandava está a Rental Coins, especializada no aluguel de criptomoedas. O empreendimento prometia rendimentos muito acima do mercado, que podiam chegar a 20% ao mês.

Com as promessas de alto rendimento, a empresa conseguiu atrair milhares de clientes, entre eles celebridades como Sasha e Wesley Safadão.

Vítimas do golpe afirmam que os pagamentos dos rendimentos foram interrompidos no final de 2021. Em março do ano seguinte, a PF iniciou a Operação Poyals para investigar o caso depois de um pedido de cooperação da Interpol.  Ao que tudo indica, o empresário e seu grupo operavam não somente no Brasil, mas em outros 11 países.

Segundo a PF, não foram detectadas movimentações ou operações de trade com os valores que os clientes depositavam na Rental Coins, provando que o capital não era aplicado no mercado de criptomoedas. Com isso, as investigações concluíram que a empresa promovia uma pirâmide financeira.

Agora em liberdade, Francisley irá responder por cinco crimes: organização criminosa, estelionato, obter ganhos ilícitos mediante especulação ou processos fraudulentos, lavagem de dinheiro e emitir título ou valor mobiliário sem registro prévio junto à autoridade competente.

Enquanto isso, os clientes da Rental Coins seguem sem ter acesso aos fundos depositados na Rental Coins.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados