Ver mais

Segurança da Web3 contra as Deepfakes, Airdrops e mais! – Bom Dia, Cripto!

2 mins
Atualizado por Thiago Barboza

Bom dia, criptonativos! A semana inicia em meio a folia do carnaval e os desenvolvimentos do mercado cripto seguem em ritmo frenético. Para saber o que está acontecendo no setor, confira estas notícias que o BeInCrypto separou para você!

Vitalik Buterin revela estratégia de segurança Web3 em resposta a ameaças deepfake

Buterin citou um relatório recente sobre uma empresa que perdeu US$ 25 milhões. Isso ocorreu quando um funcionário foi enganado por uma convincente vídeo chamada falsa.

As deepfakes estão se tornando cada vez mais frequentes. Além disso, tornam inseguro autenticar pessoas apenas com base em vê-las ou ouvi-las, disse ele.

“O fato é que, a partir de 2024, um fluxo de áudio ou mesmo vídeo de uma pessoa não é mais uma forma segura de autenticar quem ela é”, disse Buterin.

Métodos criptográficos, como assinar mensagens com chaves privadas, não são suficientes, observou Buterin, explicando que eles ignoram o propósito de fazer com que vários signatários verifiquem a identidade. No entanto, fazer “perguntas de segurança” personalizadas com base em experiências partilhadas é uma forma eficaz de autenticar a identidade de alguém, acrescentou.

As questões de segurança devem ser combinadas com outras técnicas, disse ele. Isso pode incluir palavras de código pré-acordadas, confirmação multicanal de informações, dentre outras técnicas.

Buterin concluiu que nenhuma técnica é perfeita. No entanto, técnicas de camadas adaptadas à situação podem fornecer segurança Web3 eficaz, mesmo em um mundo onde o áudio e o vídeo podem ser falsificados.

No mês passado, o Fórum Econômico Mundial (WEF) revelou que a desinformação e os deepfakes gerados por IA eram a maior ameaça mundial a curto prazo. Também em janeiro, o fundador da MicroStrategy, Michael Saylor, alertou sobre deepfakes que o apresentavam tentando enganar os usuários para obter Bitcoin.

Analista cripto está otimista com airdrops de testnet em 2024

Miles Deutscher, um analista de criptomoedas, anunciou aos seus 446.900 seguidores nas redes sociais que os airdrops de testnet representam o método mais simples para acumular riqueza no setor de criptomoedas.

Deutscher disse a seus seguidores que “há muito mais por vir este ano”.

Em uma série de postagens no X, Deutscher reconheceu que, embora os pagamentos de airdrops da testnet possam não ser tão substanciais quanto os airdrops da mainnet, eles servem como uma excelente oportunidade para novos investidores aprimorarem suas habilidades na rede sem assumir riscos excessivos.

“Os airdrops da Testnet são a maneira mais fácil de transformar US$ 0 em milhares de dólares. É a coisa mais próxima que você pode chegar de “dinheiro grátis” em criptomoedas.”

Leia mais: As 10 criptomoedas para investir em janeiro de 2024

Essencialmente, os airdrops testnet funcionam recompensando os usuários que participam ativamente dos testes da rede. Isso beneficia a rede ao permitir a identificação de bugs e apresentar a plataforma aos usuários, gerando assim um impulso boca a boca para o projeto.

O analista destaca Metis, Shardeum, Particle e Data Ownership Protocol como oportunidades de airdrops de testnet que valem a pena estudar e explorar.

Wallet Bitcoin brasileira lança inovação com PIX

A Bipa lançou na semana passada uma inovação em seu aplicativo. Agora os usuários da Bipa podem vincular sua chave PIX com wallet de Bitcoin. É isso mesmo. O procedimento é simples e com apenas um clique você pode receber uma transferência PIX e ter seus reais convertidos em Bitcoin automaticamente.

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Thiago-Barboza-red1.png
Thiago Barboza
Sound Designer de profissão e apaixonado por comunicação, Thiago Barboza é graduado em Comunicação com ênfase em escritas criativas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Em 2019 conheceu as criptomoedas e blockchain, mas foi em 2020 que decidiu imergir nesse universo e utilizar seu conhecimento acadêmico para ajudar a difundir e conscientizar sobre a importância desta tecnologia disruptiva.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados