Ver mais

Reino Unido lança sandbox para testar tokenização de CBDC

2 mins
Por David Thomas
Traduzido Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • O Tesouro do Reino Unido lançou um sandbox para testar transferências de instrumentos tokenizados que acredita que transformarão os mercados.
  • O Digital Securities Sandbox não oferecerá suporte a criptomoedas, mas permitirá liquidações de ativos tokenizados com CBDCs.
  • O projeto está aberto a entidades regulamentadas e novos participantes no Reino Unido, incluindo bolsas e instituições depositárias.
  • promo

O Tesouro do Reino Unido propôs um sandbox para testar trocas de ativos tokenizados que poderiam “transformar” os mercados financeiros e os regulamentos de valores mobiliários existentes.

O novo banco de testes do Tesouro de Sua Majestade adaptará os limites transacionais com base em volumes, atividades e desempenho da sandbox.

Leia mais: 5 criptomoedas para ficar de olho em junho

Nenhuma criptomoeda incluída no sandbox de transferência de ativos

Apesar da aprovação do Projeto de Lei de Mercados e Serviços Financeiros, o Digital Securities Sandbox não oferecerá suporte a criptoativos. Pelo contrário, ele aproveita que o projeto de lei aprovou sandboxes regulatórios que se baseiam em projetos que o Banco da Inglaterra (BOE) concluiu com o Banco de Compensações Internacionais (BIS).

O BoE fez pilotos de teste para um sistema de liquidação em tempo real para transferências interbancárias e uma troca de moeda digital do banco central de varejo entre pares.

Da mesma forma, o sandbox permitirá liquidações de ativos tokenizados com dinheiro tokenizado por meio de links para sistemas de pagamento. Uma única entidade institucional pode desempenhar as funções de depositário de valores mobiliários em dinheiro e plataforma de câmbio. O projeto está aberto a entidades regulamentadas no Reino Unido.

O Tesouro pode alterar os regulamentos de valores mobiliários sem o processo legal padrão durante o sandbox.

Uma semana antes, o BIS divulgou um novo plano para proteger as moedas digitais do banco central (CBDCs) contra ataques cibernéticos.

Reino Unido segue a liderança de Cingapura

Esforços nacionais para tokenizar ativos do mundo real estão em andamento em Cingapura por meio do Project Guardian. A filial da Sygnum em Cingapura criou, em seguida, uma corretora de ativos digitais e empresa de custódia para oferecer às instituições acesso a ativos tokenizados.

O DBS Bank em Cingapura também lançou acordos de yuans digitais por meio de uma rede privada.

Enquanto isso, o projeto de lei FSM do Reino Unido legalizou o comércio de criptomoedas. Além de tratar as stablecoins como outros pagamentos no país, ele também introduz regras sobre promoções de criptomoedas.

Reino Unido lança sandbox para testar tokenização de CBDC
Fonte: Statista

Os fundadores da exchange americana Gemini disseram em maio que consideram uma segunda base em Londres. A empresa de capital de risco a16z, por outro lado, também cogita abrir uma filial da web3 na cidade.

O maior investimento de capital de risco na indústria Web3 em 2022 foi para a Gensyn AI, com sede no Reino Unido, que usa blockchains para desenvolver inteligência artificial.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora do BeInCrypto Brasil, a jornalista é especializada em dados e participa ativamente da comunidade de Criptoativos, Web3 e NFTs. Formada pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui mais de 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia, tendo passado por veículos como Globo, Gazeta do Povo e UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados