QNT, UNI e LINK entre as melhores criptomoedas da semana

1 outubro 2022, 10:09 -03
1 outubro 2022, 10:09 -03
EM RESUMO
  • QNT atingiu a área de resistência de US$ 145.
  • MKR está negociado dentro de uma cunha de baixa de longo prazo.
  • HNT está negociado dentro de um triângulo de alta.
  • promo

Análise do Be[in]Crypto das cinco criptomoedas que mais subiram na semana, mais especificamente de 23 de setembro a 30 de setembro.

As criptomoedas que mais valorizaram na semana foram:

  1. Quant (QNT): 21,63%
  2. Maker (MKR): 17,05%
  3. Helium (HNT): 11,87%
  4. Uniswap (UNI): 11,15%
  5. Chainlink (LINK): 10,47%

/Artigos relacionados

Mais artigos
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter, Instagram e Facebook.

QNT se aproxima de importante resistência

A QNT vem subindo desde que rompeu uma linha de tendência de baixa de longo prazo no início de junho. O movimento vem seguindo uma linha de tendência de alta e, até agora, levou a um topo de US$ 145,80.

O preço do token atingiu a área de resistência horizontal de longo prazo de US$ 145, que é a resistência mais importante até a máxima histórica de preço. Portanto, um movimento acima desse nível poderia acelerar bastante a tendência de alta para US$ 283, que é o nível de retração de 0,618 de Fibonacci.

Gráfico da QNT no TradingVIew

MKR volta a subir após atingir suporte

O MKR está negociado dentro de uma cunha de baixa desde agosto de 2021. A cunha é considerada um padrão de alta, o que significa que um eventual rompimento seria o cenário mais provável. As linhas de resistência e suporte da cunha foram validadas várias vezes, aumentando a legitimidade desse padrão.

O preço saltou na linha de suporte da cunha em 21 de setembro e vem subindo desde então. Se conseguir sair desse padrão, a área de resistência mais próxima seria encontrada em US$ 2.000.

Gráfico do MKR no TradingView

HNT atinge resistência

O HNT vem subindo ao lado de uma linha de tendência de alta desde 6 de setembro. A linha foi validada três vezes (ícones verdes), a mais recentemente na última quarta-feira (28).

Quando combinado com a área de resistência de US$ 5,40, isso cria um triângulo de alta, que é considerado um padrão de alta. No entanto, o token foi rejeitado pela área de resistência em 30 de setembro (ícone vermelho).

O HNT cair abaixo da linha de suporte ou se mover acima da resistência de US$ 5,40 provavelmente determinará a direção futura de sua tendência.

Gráfico do HNT no TradingView

UNI volta a subir após concluir movimento de baixa

A partir de 28 de julho, a UNI completou um movimento de baixa de cinco ondas, que levou a uma mínima de US$ 5,14 feita em 21 de setembro. Seu preço tem subido desde então, atingindo um topo em US$ 6,76.

Atualmente, a UNI está enfrentando resistência em US$ 6,80. Se for bem-sucedido em se mover acima desse nível, a área de resistência mais próxima seria encontrada em US$ 8,15.

Gráfico da UNI no TradingView

O preço da LINK tem subido dentro de um canal paralelo de alta desde 28 de agosto. O movimento dentro dele levou a um topo de US$ 8,54 na última quarta-feira.

No entanto, o token não foi capaz de ultrapassar a linha de resistência do canal e o nível de retração de 0,618 de Fibonacci. Isso criou um longo pavio superior (ícone vermelho) no processo.

Atualmente, a LINK está se aproximando do meio do canal, em US$ 7,50. Como os canais paralelos geralmente contêm movimentos corretivos, um eventual rompimento seria o cenário mais provável. As chances de isso acontecer seriam aumentadas ainda mais por um movimento abaixo desse canal.

Gráfico da LINK no TradingView

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.