Ver mais

Urgente Polícia prende Faraó do Bitcoin em Florianópolis

2 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • A Polícia Militar de Santa Catarina prendeu Claudio Barbosa, conhecido como “Faraó do Bitcoin”.
  • Barbosa é suspeito de um esquema de pirâmide de criptomoedas que gerou R$ 4,1 bilhões de prejuízo em mais de 80 países.
  • Ele foi localizado em Florianópolis e está detido desde então.
  • promo

A Polícia Militar de Santa Catarina prendeu, na tarde de terça-feira (26), o empresário Claudio Barbosa, conhecido como “Faraó do Bitcoin”. Ele é suspeito de integrar um esquema de pirâmide de criptomoedas que gerou R$ 4,1 bilhões de prejuízo em mais de 80 países.

Barbosa estava foragido desde 2022. A polícia o localizou em Florianópolis, no Bairro Jurerê Internacional, após denúncias.

Polícia prende Faraó do Bitcoin por crime com criptomoedas

Conforme o G1, a polícia recebeu uma denúncia sobre um foragido do Mato Grosso do Sul que estaria escondido na região norte da capital de SC. Os agentes encontraram Barbosa circulando em um Audi e, em seguida, o encaminharam até a sede da Polícia Federal. Ele permanece detido desde então.

Ao site, a advogada de Barbosa, Talesca Campara de Souza, disse ter pedido uma audiência de custódia para a liberdade dele, o que a foi negado pela Justiça. O processo tramita em Campo Grande (MS).

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

Além disso ela disse que “entende ser totalmente desnecessária sua custódia cautelar uma vez que o processo já está em sua fase final”.

“Com a manutenção da prisão preventiva e considerando o feriado e plantão judicial estão sendo consideradas as melhores estratégias para as medidas cabíveis para restabelecer sua liberdade”, finaliza.

Suspeito é acusado de operar esquema de pirâmide

Barbosa era diretor de tecnologia da Trust Investing. A empresa foi alvo da operação “La Casa de Papel”, deflagrada pela PF em 2022.

Conforme a PF, a Trust Investing oferecia pacotes de investimentos falsos cujo preço mínimo era de US$ 15. Além disso, ela prometia ganhos diários de até 20% ao dia e 300% ao ano.

Ainda de acordo com a polícia, a empresa criou duas criptomoedas sem lastro. Ela usava essas moedas para pagar os clientes e manter o esquema operando por mais tempo.

Apesar de ser chamado de “Faraó do Bitcoin”, ele não pode ser confundido com outro investigado, Glaidson Acácio dos Santos, cujo apelido é ”Faraó dos Bitcoins”, no plural.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora do BeInCrypto Brasil, a jornalista é especializada em dados e participa ativamente da comunidade de Criptoativos, Web3 e NFTs. Formada pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui mais de 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia, tendo passado por veículos como Globo, Gazeta do Povo e UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados