Ver mais

O que esperar da Chainlink (LINK) após queda de 15%? Análise on-chain

3 mins
Por Ibrahim Ajibade
Traduzido Anderson Mendes

A Chainlink (LINK) caiu 15% em relação a sua máxima anual de US$ 16,60. A análise on-chain explora os principais impulsionadores dessa correção e as perspectivas de uma recuperação.

Os touros estão mostrando os primeiros sinais de fadiga após quase um mês de pressão de alta consistente. A LINK se recuperará ou retornará para a marca de US$ 10?

Baleias Chainlink mostram sinais de fadiga

Recentemente, a Chainlink realizou um salto de 130% entre 17 de outubro e 11 de novembro. As tendências dos dados on-chain mostram que os 150 principais detentores foram fundamentais nessa alta.

De acordo com a Santiment, eles acumularam rapidamente 36,07 milhões de LINK durante esse período, elevando seus saldos acumulados a um topo de 4 meses de 730,37 milhões de tokens. Mas, desde que o preço atingiu o topo de US$ 16,60 em 11 de novembro, eles desaceleraram significativamente a pressão de compra.

Conforme ilustrado no gráfico abaixo, os investidores detinham um total de 732,37 milhões de tokens em 10 de novembro. É preocupante que o número agora tenha caído para 730,81 milhões.

Em essência, os 150 maiores investidores da Chainlink reduziram suas participações em 1,56 milhão de tokens desde o topo local.

Fonte: Santiment

O gráfico acima ilustra, após quase um mês de frenesi de compras, que os 150 maiores detentores de LINK já venderam 1,56 milhão entre 11 e 21 de novembro. Avaliados no valor de mercado atual de US$ 14,2, significa que eles reservaram US$ 22 milhões com a venda.

Normalmente, é um indicador de baixa quando os principais endereços começam a ser vendidos durante uma alta de preços. Implica que os maiores investidores no ecossistema estão ficando com medo.

Em primeiro lugar, o seu frenesim de compras ao longo do mês passado esteve intimamente correlacionado com a recuperação percentual de três dígitos do preço. Portanto, se eles começarem a vender, poderá ter um impacto semelhante ao contrário.

Mas, o mais importante é que os investidores estratégicos também poderão assumir posições pessimistas se as baleias continuarem a vender durante um período prolongado.

Pessimismo está se espalhando no mercado de varejo

A Chainlink está em forte tendência de baixa desde que caiu do nível de US$ 16,60 na semana passada. No entanto, as tendências mostram que, além das baleias que começaram a realizar lucros, os investidores de varejo também estão a comprar menos.

De acordo com o rastreador de dados on-chain TheTie, 4.610 endereços ativos aumentaram seus saldos por volta de 10 de novembro. Mas, desde então, o número de investidores às suas participações caiu continuamente, atingindo 2.150 carteiras em 20 de novembro.

Fonte: TheTie

Intuitivamente, quando uma rede regista um número cada vez menor de utilizadores ativos, aumentando os seus saldos, isso implica um desinteresse crescente e uma diminuição da pressão de compra. Não é novidade que o preço da LINK caiu 15% desde que os investidores começaram a comprar menos por volta de 10 de novembro.

Concluindo, a queda nas compras desacelerou significativamente a recuperação dos preços. Com isso, será necessário um novo impulso ou frenesi do mercado para que o ativo faça outra tentativa para superar a área de US$ 20.

Com base nas métricas on-chain analisadas acima, a Chainlink poderia se consolidar em torno da área de US$ 12 a US$ 15 se a fadiga dos compradores persistir.

Os dados do Global In/Out of the Money (GIOM), que agrupam os endereços atuais da LINK de acordo com seus preços de entrada, também confirmam essa previsão.

Mostra que os touros podem montar uma parede de suporte formidável em torno da área de US$ 12. Conforme ilustrado abaixo, 50.660 endereços compraram 42,9 milhões de LINK ao preço médio de US$ 12,50. Se esses endereços permanecerem firmes, poderão evitar uma grande queda nos preços.

Fonte: IntoTheBlock

Mas, se os ursos conseguirem derrubar essa área de suporte, a Chainlink poderá cair para US$ 10. No lado positivo, os touros poderão retomar o controle do mercado novamente se o preço do Chainlink subir para US$ 15.

Mas, nesse caso, os 52.880 endereços que compraram 23,84 milhões de LINK ao preço mínimo de US$ 15,20 poderiam formar uma forte resistência. Nesse caso, será possível um impulso em direção a US$ 20.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Formado em Administração de Empresas pela Universidade Positivo, Anderson atua como redator para o BeInCrypto há 2 anos. Escreve sobre as principais notícias do mercado de criptomoedas e economia em geral. Antes de entrar para a equipe brasileira do site, participou de projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto em sua cidade natal, Curitiba.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados