Ver mais

Mesmo com bitcoin em alta, MicroStrategy compra mais R$ 83 milhões em BTC

2 mins
Atualizado por Caio Nascimento

EM RESUMO

  • MicroStrategy anunciou hoje mais uma compra de R$ 83 milhões em bitcoin.
  • Com a alta do mercado, a MicroStrategy passa a ter US$ 5 bilhões de BTC sob gestão.
  • Em março completa um ano que a empresa vem investindo de forma consistente na criptomoeda.
  • promo

Com uma nova aquisição de bitcoin, a MicroStrategy mostra que não investe só nos períodos de baixa.

Mesmo pagando “caro”, a MicroStrategy voltou a adquirir bitcoin nesta semana. Conforme anunciado nesta sexta-feira (12), a empresa investiu US$ 15 milhões para comprar mais 262 BTC. Cada criptomoeda foi comprada pelo valor médio de US$ 57.146.

O preço pago por cada unidade de BTC atualmente está maior do que a cotação do bitcoin nesta manhã. Valendo US$ 55.614, o bitcoin recuou nas últimas 24 horas e seu preço caiu 1.67%.

Nesta semana, o bitcoin está lutando para manter a sua cotação acima da marca dos US$ 57 mil. Apesar de atingir US$ 58.091 na noite de quinta, o bitcoin parece estar com dificuldade de segurar esses ganhos de forma consistente.

Essa volatilidade, no entanto, não assusta Michael Saylor, famoso evangelista do bitcoin que está no comando da MicroStrategy.

A partir de hoje, a empresa passa a ter sob gestão 91.326 bitcoins. Como a nova compra, a MicroStrategy alcança o equivalente a US$ 5 bilhões em bitcoin no seu portfólio, consolidando a sua liderança entre as empresas públicas que mais investem na criptomoeda.

MicroStrategy BTC

Há um ano atrás, MicroStrategy fazia a primeira compra de BTC 

Desde março de 2020, a sua empresa vem adquirindo bitcoin de forma contínua e com a compra de hoje, mostra que mesmo em alta, os investimentos vão continuar acontecendo. 

Em conversa nesta quinta-feira (12) no canal do YouTube Context Live, Michael Saylor explicou a sua trajetória até no mundo das criptomoedas e o que motivou ele a apostar no bitcoin.

De acordo com Saylor, a teoria moderna do portfólio foi quebrada depois dos acontecimentos de março de 2020. Naquele momento, as fragilidades do mercado ficaram totalmente expostas.

“Março foi um alerta: eu tenho que fazer alguma coisa. Se eu levasse aos acionistas da MicroStrategy a ideia de investir em bitcoin em fevereiro, falariam que eu estava louco. Mas depois das experiências que tivemos em março, todo mundo percebeu que havia um problema no mercado, e assim as pessoas começaram a se abrir para entender o que afinal era bitcoin.”

Há exatamente um ano atrás, no dia 12 de março de 2020, o mercado financeiro quebrou como resultado da chegada da pandemia do coronavírus.

Naquela data, o bitcoin teve uma das maiores quedas diárias da sua história, perdendo 24% do seu preço.

Depois disso, no entanto, o BTC logo se recuperou e nos meses seguintes, começou uma nova corrida de touros que se estende até os dias atuais.

Aliás, um dos fatores que aceleram a subida do bitcoin foi justamente a entrada de investidores institucionais, como a MicroStrategy, Tesla e Square, que buscavam formas de proteger suas reservas da inflação. Recentemente, esse movimento vem chegando às empresas brasileiras.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

photo_saori.jpg
Saori Honorato
Saori Honorato é jornalista e para o BeInCrypto escreve sobre os principais acontecimentos do universo das criptomoedas.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados