Ver mais

Mercado Bitcoin lança conta digital Meubank para criptomoedas, utility tokens, milhas e colecionáveis

2 mins
Atualizado por Paulo Alves

EM RESUMO

  • Mercado Bitcoin lança banco digital Meubank para o público em geral.
  • Lançamento era aguardado desde o segundo semestre de 2020.
  • App une carteira e conta digital capaz de guardar de criptomoedas a colecionáveis.
  • promo

O Mercado Bitcoin disponibiliza, a partir desta segunda-feira (26), uma carteira aliada a uma conta digital do Meubank para usuários da exchange.

O Meubank não é novo. Lançado em março de 2020, a fintech funcionava até então como processadora de pagamentos e saques da corretora. O CEO do Mercado Bitcoin, Reinaldo Rabelo, chegou a aventar a possibilidade de liberar o acesso do banco digital ao público em geral no ano passado, mas a novidade só chega agora.

Segundo a empresa, o prazo se deu pela necessidade de alcançar o valor em transações exigido para solicitar ao Banco Central (BC) a autorização para integrar o Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB).

O novo Meubank chega com a proposta de se tornar um banco digital tudo-em-um, onde o usuário poderá armazenar não só criptomoedas e reais, mas também demais ativos relacionados ao mercado de criptoativos. O app poderá armazenar também utility tokens, pontos de programas de milhagem, futecoins (como o Vasco Token) e colecionáveis de games.

“Será um local para guardar qualquer ativo digital, com a possibilidade de fazer a conversão entre eles e usar como quiser”, explica Gleisson Cabral, CEO do Meubank.

Atualmente, o Meubank já movimenta quase R$ 3 bilhões e tem 130 mil clientes que chegam já com direito de obter crédito decorrente de 1,99% em cashback de saques e transferências feitos pelos clientes da exchange. O aplicativo do Meubank já está disponível para download, mas a liberação para novos clientes, diz o Mercado Bitcoin, será gradual.

Plataforma para crowdfunding de startups no Brasil

Também nesta segunda-feira (26), o Mercado Bitcoin anunciou, em parceria a Distrito, o Clearbook, nova plataforma de investimentos que visa facilitar o financiamento de startups no Brasil. O objetivo é “financiar o crescimento de startups de diversos segmentos e oferecer aos investidores negócios que tenham potencial real de retorno financeiro e impacto”.

Além disso, a ideia é minimizar o risco para pessoas físicas e incrementar a injeção de capital em startups que precisam de financiamento para começarem a operar.

A plataforma deve facilitar o acesso de pessoas leigas ao mercado de financiamento, que geralmente é dominado por quem já está imerso no ecossistema de fintechs, diz o CEO da Mercado Bitcoin, Reinaldo Rabello. “A robustez da Clearbook (…) irá justamente ajudar nessa busca”, garante.

“Estamos construindo um ambiente de infraestrutura de mercado para oferecer aos clientes opções para negociar ativos digitais onde e como quiserem”.

Quando for lançada, a Clearbook só vai aceitar investimentos dentro da plataforma, mas a intenção é expandir com o tempo e aceitar outros tipos de canais, de acordo com o que a regulamentação permitir. Um exemplo é a criação de tokens, que seriam negociados no Mercado Bitcoin.

A nova plataforma já recebe inscrições para a avaliação de empresas que estarão listadas na abertura, e conta com aval da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para operar. No entanto, a solução ainda está em fase final de ajustes e não data definida para lançamento.

*Colaborou Júlia Kurtz

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

d5d468215717a9856e67059bb80b21e2?s=120&d=mm&r=g
Paulo Alves
Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Colaborei entre 2013 e 2021 com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados