Ver mais

Fintech africana de internet via blockchain vai deixar rede Cardano

2 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • A 3air, plataforma que visa dar mais acessibilidade à internet e serviços digitais na África, anunciou que deixará de construir os seus projetos na Cardano.
  • Fintech tinha fechado parceria com a rede do token ADA devido a sua forte presença na África, especialmente em nível governamental.
  • No entanto, a 3air observou que poucos desenvolvedores possuim conhecimento da linguagem de programação da Cardano, além de sua falta de escalabilidade.
  • promo

A 3air, plataforma que visa dar mais acessibilidade à internet e serviços digitais na África, anunciou que deixará de construir os seus projetos na Cardano (ADA).

A 3air, fintech que tem como propósito utilizar a blockchain para levar a internet de banda larga e diversos serviços digitais, como pagamentos sem banco, micro empréstimos e IoT para milhões de africanos, tinha a Cardano como base para o desenvolvimento de seus projetos e serviços.

Segundo o seu CEO, Sandi Bitenc, o principal motivo para ter escolhido a blockchain liderada por Charles Hoskinson estava na forte presença da Cardano na África, especialmente em nível governamental.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

No entanto, recentes problemas exigiram que a fintech migrasse para outra rede. Após analisar diversas blockchains, como Avalanche e Binance Smart Chain, a empresa decidiu utilizar os serviços da SKALE, rede multichain focada no dimensionamento do Ethereum (ETH).

Dificuldades em desenvolver na Cardano

A inesperada mudança de rede pode ser vista como um golpe à reputação da Cardano, especialmente por ter sido realizada por um projeto na África – região onde a Cardano possui sua maior área de interesse e influencia. Segundo Bitenc, uma série de fatores fizeram com que a 3air precisasse tomar essa decisão.

Ele afirma que a principal dificuldade foi de encontrar desenvolvedores que tivessem bons conhecimentos de Haskell, linguagem de programação utilizada na Cardano.

“Estamos tendo dificuldade em encontrar talentos que possam desenvolver a plataforma da 3air em Haskell. Passamos meses contratando ativamente desenvolvedores seniores de Haskell para desenvolver Cardano, mas há uma enorme escassez de talentos no mercado.”

Além disso, Bitenc se mostrou desconfiado com o potencial de escalabilidade que a rede do token ADA é capaz de oferecer. Segundo ele, o modelo atual “não será adequado para construir dApps baseados em contratos inteligentes até que uma boa solução de dimensionamento seja encontrada”.

Nesse sentido, a Cardano realmente tem enfrentado alguns problemas. A rede passou por grandes períodos de congestionamento após o lançamento da SundaeSwap, apenas o segundo projeto DeFi lançado em sua blockchain principal até o momento.

Na última semana, a IOHK anunciou que está trabalhando em atualizações para aumentar o tamanho de blocos da Cardano, algo que pode evitar que novos problemas de congestionamento aconteçam.

No entanto, parece que Charles Hoskinson e sua equipe terão que trabalhar para que a rede volte a ter uma boa reputação entre desenvolvedores e líderes de projetos e protocolos cripto.   

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados