FBI confirma envolvimento de grupo hacker no ataque à Harmony Bridge

By Harsh Notariya
24 janeiro 2023, 15:00 -03
24 janeiro 2023, 16:42 -03
EM RESUMO
  • O FBI confirmou que hackers patrocinados pelo estado da Coreia do Norte estavam por trás do hack de US$ 100 milhões da Horizon Bridge.
  • Binance e Huobi recuperaram mais de 124 BTC roubados.
  • Coreia do Norte estaria financiando suas armas nucleares por meio do roubo de criptomoedas.
  • promo

O FBI confirmou o envolvimento dos grupos hacker Lazarus Group e APT38, ambos da Coréia do Norte, no hack de US$ 100 milhões do Harmony Horizon ocorrido em 2022.

A exploração dos protocolos DeFi foi desenfreada em 2022, e os maiores danos ocorreram em pontes de cadeia cruzada. Elas representaram 50% dos ataques em finanças descentralizadas (DeFi) naquele ano.

  • Ficou com alguma dúvida? O BeInCrypto tem um glossário que pode ajudar a responder a suas dúvidas em relação ao mundo cripto!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter, Instagram e Facebook.

Alguns alvos proeminentes são a Ronin Bridge, a Poly Network e a Binance Bridge, nas quais foram roubados pelo menos US$ 500 milhões de cada.

As bridges facilitam as transações entre blockchains sem a necessidade de uma autoridade centralizada.

Ataque à Harmony Bridge

O ataque à Harmony Horizon Bridge, que é a porta de entrada para a blockchain, ocorreu em junho de 2022 e resultou no roubo de mais de US$ 100 milhões.

Por meio de um comunicado à imprensa, o FBI confirmou, na segunda-feira (23), que o Lazarus Group da Coréia do Norte e o APT38 estavam por trás do hack. Ambos os grupos são patrocinados pelo governo da Coreia do Norte

As investigações do FBI foram feitas com a colaboração da National Cryptocurrency Enforcement Team e várias outras agências.

Na ocasião, os hackers usaram o protocolo de privacidade Railgun para roubar mais de US$ 60 milhões em Ethereum no dia 13 de janeiro de 2022. O detetive on-chain ZachXBT detectou essa atividade e a relatou três dias depois. Depois disso, os exploradores norte-coreanos depositaram os fundos em três exchanges diferentes, usando mais de 350 endereços.

No entanto, a Binance e a Huobi colaboraram para impedir a movimentação dos tokens roubados e recuperaram mais de 124 BTC.

O FBI também listou algumas carteiras que estão sendo usadas para estacionar a criptomoeda roubada na forma de Bitcoin.

Fonte: FBI

O FBI também vinculou o Lazarus Group e o APT38 ao hack de US$ 615 milhões da Ronin Bridge. O ataque é considerado um dos maiores exploits cripto da história.

A Coreia do Norte usa cripto para financiar armas de destruição em massa?

Hackers norte-coreanos estiveram envolvidos em vários roubos de criptomoedas, adquirindo mais de US$ 1 bilhão em criptoativos nos últimos cinco anos. Há pouco tempo, em dezembro de 2022, eles roubaram mais de 1.000 NFTs e 300 ETH.

De acordo com o FBI, a Coreia do Norte financia programas de mísseis balísticos e armas de destruição em massa por meio de roubos de criptomoedas. Inclusive, o ex-desenvolvedor do Ethereum Virgil Griffith é acusado de ajudar o governo do país com suas atividades maliciosas.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.