Ver mais

Estas novas tecnologias podem transformar o mercado de criptomoedas

5 mins
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • O mercado de criptomoedas está à beira de uma evolução significativa em 2024, impulsionado pela tecnologia emergente.
  • As inovações nos protocolos de interoperabilidade são fundamentais, melhorando a comunicação e a utilidade da blockchain.
  • Os desenvolvimentos visam resolver os desafios atuais, impulsionando um ecossistema cripto mais integrado.
  • promo

O mercado de criptomoedas está à beira de uma transformação em 2024. A indústria está preparada para mudanças significativas com o surgimento de novas tecnologias?

Estes avanços prometem melhorar a funcionalidade e a utilidade das moedas digitais e abordar alguns dos desafios mais prementes que o mercado enfrenta atualmente.

A promessa da interoperabilidade

Um desenvolvimento fundamental na tecnologia blockchain é o avanço dos protocolos de interoperabilidade. Kadan Stadelmann, diretor de tecnologia da Komodo Blockchain, disse ao BeInCrypto sobre a compatibilidade crítica entre as redes.

“A interoperabilidade blockchain permite que redes distintas se comuniquem, compartilhem dados e colaborem. É a cola que une vários ecossistemas, bem como suas respectivas criptomoedas, tokens não fungíveis e aplicações descentralizadas”, disse Stadelmann.

Essa inovação permite que diferentes ecossistemas de blockchain se conectem perfeitamente, facilitando um ambiente mais coeso e eficiente. À medida que a interoperabilidade aumenta, também aumenta a descentralização de todo o setor, inaugurando uma experiência de utilizador sem confiança, onde a dependência nas exchanges centralizadas diminui.

A interoperabilidade une várias criptomoedas, NFTs e aplicativos descentralizados, anunciando a era das exchanges descentralizadas (DEXes) entre redes. Essas plataformas permitem a negociação de ativos em blockchains diferentes e a movimentação de ativos de uma blockchain para outra.

“As soluções Blockchain até o momento foram formadas em torno de ecossistemas menores existentes para casos de uso relativamente simples. Para concretizar os resultados promissores de abastecimento globais que se cruzam com múltiplos ecossistemas e utilizam múltiplas plataformas blockchain, a interoperabilidade é crítica”, escreveram analistas da Deloitte.

Fonte: Deloitte

Portanto, esta inovação visa resolver o problema da fragmentação da liquidez no mercado, proporcionando uma experiência de negociação mais simplificada e fácil de ser feita.

“Desenvolver ou aproveitar soluções cross-chain pode ser pioneiro em dApps que operam perfeitamente em várias blockchains. Isto não só diversifica a sua base de utilizadores, mas também lhes permite explorar vários ecossistemas existentes, apresentando oportunidades incomparáveis de inovação, crescimento e desenvolvimento de novas soluções descentralizadas”, acrescentou Stadelmann.

Uma série de iniciativas estão liderando o caminho para um ambiente mais interconectado, cada uma introduzindo métodos e tecnologias inovadores para promover a interoperabilidade.

Unindo redes blockchain

O crescimento das finanças descentralizadas (DeFi) é uma prova da interoperabilidade e do potencial revolucionário da tecnologia blockchain. De acordo com Stadelmann, contratos inteligentes e DEXes se tornaram a espinha dorsal do setor DeFi. Isso porque oferecem empréstimos e negociações ponto a ponto (P2P) sem a necessidade de intermediários financeiros tradicionais.

Essencialmente, o DeFi democratiza as finanças, reduzindo as barreiras à entrada e promovendo a inclusão e a transparência financeiras, desafiando os fundamentos dos bancos e das finanças tradicionais.

“DEXes oferecem uma maneira de negociar ativos por meio de redes peer-to-peer, pools de liquidez de formadores de mercado automatizados (AMM) ou formas híbridas que combinam tecnologia P2P e AMM. Os protocolos de empréstimofacilitam os empréstimos P2P, enquanto os oráculos descentralizados preenchem a lacuna entre os dados fora da rede e dentro da cadeia. Coletivamente, essas soluções capacitam os usuários com um controle sem precedentes sobre seus ativos”, afirmou Stadelmann.

À medida que a interoperabilidade aumenta, todo o setor blockchain torna-se cada vez mais descentralizado. A interoperabilidade é crucial porque cria uma experiência de usuário mais confiável, sem intermediários terceirizados, como exchanges centralizadas.

Por exemplo, a Polkadot utiliza uma estrutura inovadora de parachain que permite que várias blockchains se interliguem e interajam dentro de uma rede unificada. Este método facilita a interoperabilidade e consolida a segurança e o compartilhamento de dados entre as cadeias interligadas. Portanto, marca um passo significativo em direção a uma infraestrutura de blockchain coesa.

“Além disso, DEXes cross-chain, como aquele integrado na Komodo Wallet, permitem que os usuários negociem ativos em blockchains separados (ou seja, BTC e ETH) ou transfiram/movam ativos de uma blockchain para outra (ou seja, convertam BEP-20 USDT em PLG). -20 USDT)”, afirmou Stadelmann.

O Cosmos, por outro lado, emprega seu protocolo Inter-Blockchain Communication (IBC) que permite uma transmissão direta e sem confiança de mensagens e valor entre cadeias autônomas. O conceito de uma “internet de blockchains” apresentado pela Cosmos enfatiza o papel crítico da interoperabilidade na realização da rede descentralizada e escalável necessária para o sucesso da Web3.

A Chainlink desenvolveu o Cross-Chain Interoperability Protocol (CCIP) para facilitar uma troca padronizada, segura e suave de dados e comandos em diversos blockchains. A iniciativa da Chainlink sublinha a necessidade essencial de um intercâmbio de dados seguro e confiável para apoiar o futuro das capacidades interoperáveis da blockchain.

“Os bancos compreendem agora que, sem uma forma de interoperar com as cadeias das suas contrapartes e com as cadeias públicas, não serão capazes de ter sucesso em quaisquer ativos que criem. A interoperabilidade é agora um requisito difícil [também para blockchains]”, disse o cofundador da Chainlink, Sergey Nazarov.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

Melhorando a privacidade e a segurança

A integração da tecnologia de conhecimento zero em redes blockchain é outro avanço significativo para melhorar a privacidade e a segurança. As provas de conhecimento zero permitem a validação de transações sem revelar informações confidenciais, abordando questões de privacidade associadas a blockchains públicas.

Ramani Ramachandran, CEO da Router Protocol, disse ao BeInCrypto que as provas de conhecimento zero contribuem para a criação de transações seguras e privadas, essenciais em aplicações onde a sensibilidade dos dados é fundamental.

Portanto, essa inovação é crucial para casos de uso que exigem confidencialidade, tornando-se uma pedra angular para futuras aplicações de blockchain.

“A adoção de provas de conhecimento zero é um passo significativo para alcançar um equilíbrio entre transparência e privacidade nas redes blockchain, tornando-as mais adequadas para uma gama mais ampla de aplicações, incluindo aquelas que exigem proteção rigorosa de dados”, explicou Ramachandran.

Da mesma forma, Vitalik Buterin, cofundador do Ethereum, acredita no uso de pools de privacidade como mecanismo para aumentar a confidencialidade nas transações financeiras. Esta abordagem utiliza provas de conhecimento zero para permitir que os indivíduos certifiquem a sua separação de quaisquer fundos associados a atividades ilegais.

“O próximo avanço lógico na busca por maior privacidade envolveu a introdução de provas de conhecimento zero de uso geral, usadas em blockchains como Zcash e sistemas de contratos inteligentes on-chain como Tornado Cash. Esses sistemas permitem que o conjunto de anonimato de cada transação seja potencialmente igual ao conjunto inteiro de todas as transações anteriores”, escreveu Buterin.

Buterin destacou que as soluções baseadas em provas de conhecimento zero deverão ter um crescimento substancial no próximo ano. Este aumento é esperado à medida que as regulamentações globais mudam e os indivíduos dão cada vez mais prioridade à salvaguarda da sua privacidade.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados