Ver mais

Dogecoin (DOGE) se mantém forte: 85% dos detentores estão lucrando, diz análise on-chain

2 mins
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • Os endereços de carteiras de Dogecoin aumentaram 85%, com quase 90% dos detentores com lucro.
  • Apesar das posições lucrativas, o aumento dos saques nas exchanges sugere um sentimento de alta entre os detentores.
  • A rede Dogecoin experimenta um crescimento em endereços, mas uma leve queda na atividade, com investidores de varejo detendo mais de um terço da oferta total.
  • promo

Em meio ao frenesi especulativo em torno das memecoins, os endereços de carteiras que contêm Dogecoin (DOGE) estão em forte alta.

Ainda mais intrigante é o fato de que a maioria dos investidores se encontra em posições lucrativas. Apesar disso, parece haver uma relutância coletiva em se desfazer de suas participações na criptomoeda.

Dogecoin em tendência de alta

Os dados on-chain fornecidos pelo IntoTheBlock mostram que quase 85% dos endereços de Dogecoin estão atualmente na zona verde. Ou seja, tendo lucros.

Distribuição de preços do Dogecoin
Distribuição de preços da Dogecoin. Fonte: IntoTheBlock

Por outro lado, apenas 12% dos endereços estão na zona de perda ao preço atual, enquanto aproximadamente 3,3% estão em torno do ponto de equilíbrio.

Grandes retiradas nas exchanges

Apesar de a maioria dos detentores ter conseguido vender seus tokens com lucro, houve uma tendência notável de aumento dos saques de DOGE nas exchanges de criptomoedas. Nos últimos sete dias, elas testemunharam uma retirada líquida de 110 milhões de tokens a mais do que os depósitos.

Leia mais: Como comprar Dogecoin anonimamente

Essa tendência se estende pelos últimos 30 dias, com aproximadamente 62 milhões de DOGE retiradas e, somente nas últimas 24 horas, foi observado um excedente de cerca de 218 milhões de tokens . Esse padrão normalmente sinaliza um sentimento de alta, já que os indivíduos tendem a transferir moedas que pretendem vender para as exchanges.

Fluxos líquidos em trocas de criptomoedas Dogecoin
Fluxos líquidos em exchanges de criptomoedas. Fonte: IntoTheBlock

Rede Dogecoin registra um crescimento renovado

A rede Dogecoin tem demonstrado um crescimento robusto desde o início do ano. Nos últimos 30 dias, foi registrada uma média de 6,3 milhões de endereços com saldo na blockchain.

Análise de cadeia do Dogecoin InToTheBlock
Número de endereços DOGE. Fonte: IntoTheBlock

Pequena queda é observada

Por outro lado, a atividade de rede sofreu uma ligeira queda. Nos últimos sete dias, houve uma redução de aproximadamente 12,73% na criação de novos endereços, juntamente com um declínio de quase 8% na proporção de endereços ativos.

Atividade da rede DOGE. Fonte: IntoTheBlock

Curiosamente, houve um aumento de quase 1% no número de endereços Dogecoin sem saldos.

Investidores de varejo possuem mais de 33% de Dogecoin

No quesito dominância, alguns poucos investidores importantes detêm uma proporção significativa da propriedade de tokens. Aproximadamente 77 entidades possuem participações que variam de 0,1% a 1% do total de moedas, representando coletivamente cerca de 21,3% da oferta geral.

Além disso, 9 notáveis “baleias” abrigam coletivamente quase 42,5% de todas as DOGE, cada um detendo individualmente mais de 1% dos tokens disponíveis.

Leia mais: Dogecoin vs Bitcoin – Uma comparação

Propriedade por tipo de Dogecoin. Fonte: IntoTheBlock

Para investidores de menor escala, cujas participações são inferiores a 0,1% cada, apenas aproximadamente 36% da oferta total de Dogecoin permanece sob sua alçada.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados