Ver mais

Desenvolvedores da Monero são responsáveis pelo ataque ao Zcash?

2 mins
Atualizado por Anderson Mendes

EM RESUMO

  • A blockchain Zcash está passando por um ataque de spam que está preenchendo blocos de transações a uma taxa sem precedentes.
  • Alguns argumentam que o ataque tem como objetivo trazer descrédito para o projeto.
  • A segurança da blockchain Zcash é mantida por meio de auditorias regulares da Electric Coin Company e da Zcash.
  • promo

Um spammer não identificado causou estragos nos operadores de nó da Zcash (ZEC), preenchendo os blocos de transações com inúmeras saídas de transações blindadas.

Até o momento, os mineradores da Zcash verificaram um bloco com quatro saídas de transações blindadas a uma altura de bloco de 1832666, de acordo com a ferramenta de exploração da blockchain.

Motivo do spammer ainda não está claro

O usuário do Twitter xenumonero foi o primeiro a apontar a atividade do spammer:

Até o momento da publicação, pelo menos dois em cada cinco blocos haviam recebido spam ao máximo com saídas de transações blindadas, com tamanhos próximos ao limite de dois megabytes. O tamanho do bloco mais recente era de aproximadamente 1,4 megabytes.

Embora o motivo do ataque ainda não tenha sido determinado, bax1337 da Convex Labs acredita que o objetivo é trazer descrédito para a Zcash através das falhas devido a problemas de memória, desempenho e sincronização. Além disso, potenciais operadores de nós podem ser desencorajados a participar da rede, tornando a blockchain suscetível à vigilância ou aos chamados ataques Eclipse.

Os ataques Eclipse ocorrem quando um hacker engana um nó de rede criando um ambiente artificial em torno dele para fazer com que ele receba confirmações de transações falsas, entre outras coisas. O sucesso de um ataque Eclipse depende muito da estrutura da blockchain subjacente e, muitas vezes, a estrutura inerente da blockchain é suficiente para frustrar esses ataques.

O usuário @igototokyo sugeriu que os desenvolvedores da comunidade da Monero (XRM), moeda de privacidade rival da Zcash, são os responsáveis pelo ataque:

Monero é outro projeto focado em privacidade que usa as chamadas assinaturas de anel para obscurecer as identidades do remetente e do destinatário em uma transação. As assinaturas de anel combinam a assinatura ou permissão de um remetente para uma transação com outras assinaturas. Essa combinação torna difícil determinar qual assinatura pertence ao remetente.

A Zcash, por outro lado, usa uma prova criptográfica chamada Zero-Knowledge Succinct Non-Interactive Argument of Knowledge, ou zk-SNARK, para suas transações blindadas. Ela permite que uma parte da transação, por exemplo, convença um verificador de que existe um número para um determinado hash criptográfico sem revelar qual é esse número.

A rede foi fundada por um grupo de cientistas que bifurcou o software Bitcoin para criar uma criptomoeda chamada Zerocash. Os cientistas fundaram a Zerocoin em 2015, tornando-se mais tarde a Electric Coin Company.

Zcash é seguro?

De acordo com o blog Zcash, tanto a Electric Coin quanto a Zcash Foundation realizam auditorias regulares para avaliar a segurança da blockchain. A rede também é atualizada rotineiramente para acomodar casos de uso presentes e futuros.

Em maio, o projeto foi atualizado para o Network Upgrade 5, que introduziu um novo sistema de conhecimento zero chamado Halo 2.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados