Cruzeiro anuncia token próprio e quer R$ 6 milhões para aliviar crise

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • O Cruzeiro Esporte Clube, time de futebol mineiro, irá lançar seus primeiros tokens em junho deste ano.

  • Detentores do criptoativo poderão receber parte das receitas oriundas das vendas de jogadores formados pelo clube.

  • Cruzeiro pretende gerar uma receita milionária com a venda dos tokens, que ajudarão o clube a lidar com a sua crise financeira.

  • promo

    NFTs estão ao vivo na Bybit! Compre já e ganhe até 20.000 USDT! Entrar agora!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O Cruzeiro Esporte Clube, time de futebol mineiro, irá lançar seus primeiros tokens em junho deste ano. Os ativos darão direitos aos seus detentores de receber parte das receitas vindas da venda de jogadores formados na categoria de base do clube. O propósito do ativo é de ajudar a instituição a gerar mais receitas para combater uma forte crise financeira.

Os tokens são fruto da parceria do Cruzeiro com a Liqi Digital Assets, empresa especializada em tokenização de diversos ativos, criada pelo fundador da BitcoinTrade, Daniel Coquieri. As informações são do Valor Investe.

Conforme relatado anteriormente pelo BeinCrypto, a empresa busca introduzir tokens em diversos setores do mercado brasileiro, entre eles o de futebol.

Intitulado de Cruzeiro Token – Talentos da Toca, o criptoativo é o primeiro token de futebol a ser emitido pela Liqi, e terá divulgação oficial para a torcida do clube em uma live nesta quinta-feira (19).

Como o Cruzeiro token irá gerar receitas

O token representa os possíveis lucros de venda de mais de 380 jogadores que foram formados pelas categorias de base do Cruzeiro, inclusive de atletas que não atuam mais pelo clube.

Isso é possível graças ao mecanismo de solidariedade da Fifa, que garante uma porcentagem de lucro para o clube formador em qualquer venda envolvendo determinado jogador.

Quando um dos atletas que compõe o grupo representado pelo token é vendido, parte da comissão do clube mineiro será destinado para os detentores desses criptoativos. As remunerações serão feitas na stablecoin BRLT, criada pela Liqi, que é pareada com o real.

Outra forma dos donos do Cruzeiro token conseguirem receitas é com a revenda desse ativo no mercado secundário, caso a sua demanda gere um aumento em seu preço. Inicialmente, as revendas acontecerão no marketplace BitPreço, mas a Liqi afirma que existe a possibilidade do criptoativo ser listado em outras exchanges em breve.

O Cruzeiro também irá gerar receitas com a venda dos tokens. A estimativa do clube mineiro, que vive a pior crise financeira de sua história, é a de angariar no mínimo R$ 6 milhões para os seus cofres.

O token, que possui um valor unitário de R$ 25,00, foi programado via blockchain utilizando contratos inteligentes, e terá duração de seis anos.  O Cruzeiro ainda se compromete a reter 60% das unidades do ativo durante o período, em sinal de compromisso com o projeto.

Tokenização no futebol brasileiro

Segundo o CEO do Cruzeiro, Paulo Henrique Vieira de Assis, a ideia de tokenizar jogadores do clube não teve muita resistência por parte da diretoria e dos sócios, apesar de muitos não terem um conhecimento prévio de como esse mercado funciona.

Ele acredita que mais clubes de futebol no Brasil devem seguir por esse caminho. Assis ainda revelou que a Liqi já está em contato com outras intuições esportivas, e que novidades podem ser anunciadas em breve.

 “A indústria do futebol está se transformando. Lá na frente, a gente vai ser parabenizado por ter sido um dos pioneiros.” – afirmou o Assis.

O Cruzeiro se une ao seu maior rival, o Atlético MG, e ao Vasco da Gama, como os primeiros clubes de elite do futebol brasileiro a entrarem no mercado de criptoativos.

Enquanto o Atlético anunciou o leilão de um NFT do clube, o Vasco inovou sendo o primeiro clube no país a lançar um token, com moldes parecidos ao do Cruzeiro.

O Vasco Token, inclusive, já deu lucros aos seus detentores decorrente da venda de Phillip Coutinho do Liverpool para o Barcelona. O time carioca recebeu uma porcentagem da negociação por ser o clube formador do jogador.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Anderson atua como redator para o BeInCrypto, escrevendo sobre as principais notícias sobre o criptomercado e economia em geral. Antes de entrar para a equipe brasileira do site, ele participou de projetos relacionados a trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados a criptomoedas. Formando em Administração, está cursando pós graduação em Investimentos e Blockchain pela EA Banking School.

SEGUIR O AUTOR

Sem medo, sem FUD. Vá para outro nível em sua jornada cripto com a Bybit!

Comece agora!

Sem medo, sem FUD. Ganhe 1 ETH ao depositar $100 com a Bybit!

Entrar agora

Compre o seu primeiro NFT e ganhe até 20.000 USDT.               

Entrar agora